Goétia,Clavículas de Salomão e Lemegeton

Página 2 de 3 Anterior  1, 2, 3  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Respondi,

Mensagem  Convidad em Sex Dez 09, 2011 10:17 am

respondi o outro que o Chertograd postou, esse daqui, respondo assim que der.
Cherto, muita coisa pra ser colocada ainda, dei uma olhada por cima e vi muita coisa boa para se debater. Bom para quem lê também.

abraços,

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Goétia,Clavículas de Salomão e Lemegeton

Mensagem  Dirge em Sex Dez 09, 2011 10:31 am

Chertograd escreveu:
ygoryy escreveu:Estou gostando da discussão... rsrsrsrsr

Ora,o fórum não é apenas um amontoado de conhecimento parado. Ele também é para discussões. Então,quanto mais "acalorado" o debate melhor. São de discussões assim que saem as melhores informações. Então parabenizo o membro por expor aqui seus pontos de vista,suas teorias são sempre bem vindas. Concorde eu com elas ou não.

Não foi sarcasmo Cherto, realmente estou gostando da discussão, aprendi muito com ela...

_________________
''Aquele que é corajoso e paciente o suficiente para exergar, na escuridão, toda a sua vida, será o primeiro a encontrar um raio de Luz.'' Metrô 2033 (livro)

''As respostas para os maiores misterios da humanidade estão dentro de cada ser vivente.''
avatar
Dirge
Moderador

Rato Mensagens : 358
Data de inscrição : 03/11/2011
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Goétia,Clavículas de Salomão e Lemegeton

Mensagem  Lucrezia Rottenstern em Sex Dez 09, 2011 2:09 pm

ygoryy escreveu:
Chertograd escreveu:
ygoryy escreveu:Estou gostando da discussão... rsrsrsrsr

Ora,o fórum não é apenas um amontoado de conhecimento parado. Ele também é para discussões. Então,quanto mais "acalorado" o debate melhor. São de discussões assim que saem as melhores informações. Então parabenizo o membro por expor aqui seus pontos de vista,suas teorias são sempre bem vindas. Concorde eu com elas ou não.

Não foi sarcasmo Cherto, realmente estou gostando da discussão, aprendi muito com ela...

Também não respondi com sarcasmo não cara,relaxa. Foi mal se soou assim. Eu também realmente adoro um debate.

_________________
Diabo velho vou arrancar seu chifre, vou cortar teu rabo e dar para Exú comer. Da sua língua vou fazer um chicote, para dar nas costas de quem fala mal de mim. Fala mal de mim, mas não fala por detrás. Fala mal de mim, mas não fala por detrás. Ô pega ela Exú, pela ela Satanás.
avatar
Lucrezia Rottenstern
Administrador
Administrador

Macaco Mensagens : 584
Data de inscrição : 04/03/2010
Idade : 97
Localização : Iceland

Voltar ao Topo Ir em baixo

Um texto interessante....

Mensagem  Convidad em Sex Dez 09, 2011 4:19 pm

Ja aviso desde já este texto não é meu, ele foi escrito por Paulo Santos. Este mostra um visão um tanto diferenciada em relação a Goétia.

A Arte da Fraude
Apesar de muitas discussões em volta do polêmico manuscrito da Goetia, a Chave Menor de Salomão, aparentemente ninguém nos círculos mágicos parece estar preocupado -- ou desejoso -- de especular a possibilidade do manuscrito ser apenas uma fraude. Não digo o elemento físico em si, mas o conteúdo espiritual e mágico.
De início sempre me chamou atenção o fato de o livro ser atribuído a Salomão, o Rei Salomão, fato que obviamente é ridículo. Alguns nomes de demônios são quase que exclusivos da Goetia. Se um livro, dito espiritualizado e potente, contém uma fraude no título, qual a credibilidade que ele possui no conteúdo? E se ele fosse apenas um passatempo, ou um livro erroneamente copiado.
Outro ítem interessante é o fato de Steganographia de Trithemius conter uma lista como a da Goetia, só que lá há um jogo de criptografia, e o texto original é apenas para assustar os tolos. Já pensei na possibilidade de uma cifra na Goetia, mas visto que ela está em mais de um língua seria pouco provável a existência de um código, ou cada tradutor necessitaria de duas vidas para copiar, desenhar e consertar tudo apenas para continuar o jogo.

http://www.numaboa.com/criptografia/criptoanalise/1055-analise-trithemiushttp://www.maa.org/mathland/mathtrek_5_4_98.html

Então porque nós, adeptos de variadas e mesmo opostas forma de magia, nos preocuparíamos com um texto medieval cheio de contradições? Um interesse diferente do modismo New Age que por si só é uma grande bobagem que um dia vai passar. Seria possível que nós, adultos e trabalhadores, estejamos sendo vítimas de um embuste. Que pelo menos metade de algumas experiência e opiniões são falsas (mesmo as colocadas nesse fórum) é um fato que qualquer adulto ou adolescente com o mínimo de senso crítico perceberá logo na primeira leitura.

Que crédito dar a opinião ou experiência alheia, num assunto que é tão subjetivo? Como saber que não estamos apenas perdendo o tempo com uma brincadeira que seria, na realidade, apenas um RPG macabro medieval?

Aminha opinião tem sempre sido a da experiência pessoal. Também não temos prova da Cruz de Cristo, o que não impede que rituais belíssimos tenham sido criados em torno de um objeto que talvez nem tenha existido. O mesmo pode ser dito de qualquer religião, porque se Zeus mora no monte Olímpio, Odin realmente foi colocado numa árvore ou Xangô reinava como um deus em meio aos homens, então eu corto meu pescoço. Muito disso é apenas lenda, história para a alma e a imaginação. Nesse ponto eu gosto de diferenciar mentira de mito, ou mais propriamente o mito que encerra uma verdade espiritual ou pessoal da simples mentira.

Há grupos de historiadores que se interessaram e ainda se interessam por tais manuscritos, e a disparidade das versões é a única unanimidade entre eles.

E quanto a funcionar? Onde estão as estatísticas que mostram isso? E como acreditar em tudo só porque alguém disse que é verdade? Como acreditar na minha experiência pessoal, quando tudo poderia ser simples embuste para chamar a atenção? O termo fraude mágica é praticamente proibido entre os esotéricos mais radicais.

A questão do guia espiritual, alguém que apenas sabe o caminho e nada além disso, parece ser importante nesses assuntos.

Mas um guia apenas lhe mostrará por onde está o turismo, não vai guiá-lo por todos os lugares realmente interessantes, nem vai ensiná-lo realmente a apreciar a beleza da paisagem, algo que além de subjetivo é muito próximo da apreciação mágica.
Que Salomão não é o autor da Goetia, isto fala por si mesmo. Mas quem seria o autor? Se essa resposta pudesse realmente ser encontrado, sem dúvida alguma, então teríamos a resposta para dezenas de outras questões. A versão de Dr. Rudd com nomes dos demônios em hebraico contém dezenas de erros de ortografia, o que mostra que era ou uma invenção ou uma cópia mal feita.
A questão da autenticidade mágica raramente é levantada. Muitos livros contém transliterações incorretas, versões incompletas ou completamente deturpadas dos originais. Além disso muitos dos trabalhos "originais" são textos repletos de amadorismo e imaturidade psicológica evidentes.
Então porque nós perderíamos tempo com um livro que parece ser apenas uma simples invenção. Minha opinião é a seguinte: sim, é uma invenção, mas de forma alguma é simples; é uma invenção extremamente complexa e desafiadora, e pode ser convenientemente remontada ou refeita; esqueçam o que dizem... o manuscrito "original" é apenas uma anotação, e muito mal interpretada pelo que vejo...
Em segundo a questão do mito. Joseph Campbell já mostrou o poder do mito na vida das pessoas, e a utilidade deste ítem precioso e cada vez mais raro:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Joseph_Campbell

O que me leva a colocar atenção, ou mesmo paixão, na Goetia é a possibilidade de criar um mito individual. Afinal, cada um aqui está criando seu próprio mito a respeito da Goetia, suas vidas são a maior lenda a ser lembrada. Desafiar demônios capitalistas, ir contra as forças opressoras da sociedade e escolher um caminho mágico que para alguns é pura fantasia e, para alguns de nós, tornou-se um sistema de vida. Tenho certeza que ninguém aqui segue a tradição da Goetia...

ninguém segue o modelo original, a tradição medieval da Goetia, até porque essa tradição arcaica, poderosa e perfeita, onde cada palavra do livro encerra enorme poder, simplesmente não existe.

Já para mim, a tradição (real ou imaginária), a filosofia e a teoria são importantes como elementos de análise, até porque outros já podem ter tido a experiência que apenas antevejo, que apenas desejo, e ainda estou para fazer. Sempre há coisas novas no que temos á frente, se fosse tudo estático nunca seria extático.

Não há magia ocidental sem um profundo conhecimento da causa, nossa espiritualidade está mergulhada em profundas forças da história, e não há como escapar disso, a não ser criando algo inteiramente novo ou radical, que, aliás, deveria ser o objetivo primordial do praticante, do mago atuante. Adoro o termo mago de poltrona, aquele que muito especula e pouco pratica. Mas até o mago cabeça dura, que muito pratica e nada especula. Os dois são armadilhas, na qual todos nós, infelizmente caímos num momento ou noutro.

Acho o embasamento teórico fundamental. Aliás Kabbalah não é justamente sobre isso?



Texto retirado da comunidade .: http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=772095
Escrito por Paulo Santos.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Sobre o texto acima...

Mensagem  Lucrezia Rottenstern em Sex Dez 09, 2011 4:59 pm

Eu devo dizer,antes de tudo que não gosto de falar mal dos outros pelas costas,nem desmerecer conhecimentos de ninguém... Mas o autor do devido texto já fez algumas afirmações um tanto quanto absurdas em relação a goétia e outros temas na mesma comunidade citada como fonte. Acho que não convém "fofocar",mas foram coisas de fato tensas de serem lidas...

Enfim,quanto ao conteúdo e deixando o autor de lado,eu não gostei do texto por ISSO:

De início sempre me chamou atenção o fato de o livro ser atribuído a Salomão, o Rei Salomão, fato que obviamente é ridículo.
Na Idade média era totalmente normal atribuir uma obra a um personagem histórico famoso. Isso fazia o livro se tornar famoso e ao mesmo tempo ocultava a identidade do autor,quando necessário. Nunca saberemos a autoria da Goétia. Ela foi escrita em uma época de perseguição religiosa,e o cara,ou os caras provavelmente liberaram o grimório (provavelmente um grupo de magistas,visto a dificuldade em evocar tantas entidades diferentes) e depois esconderam que foram eles que fizeram a obra. Ao contrário de hoje em dia,onde os ocultistas inventam mentiras,atribuem a si feitos e fazem de tudo para aparecer e "posar" na cena ocultista,naquele tempo era melhor ficar escondido e se possível negar tudo que fez para não ser torturado,ter seu material destruído e depois ser imolado em uma fogueira.
Esse é oprimeiro fato que o texto ignora.

Alguns nomes de demônios são quase que exclusivos da Goetia


Segundo fato ignorado: O astral é lotado de entidades. São planos e mais planos e mais planos habitados por entidades,as quais nunca conseguiremos catalogar nem 1/3. Ainda assim,muitas das entidades listadas no "adendo" da goétia são famosas. Para quem duvidar das menos famosas,é simples. Procure por elas e tenha a resposta por si.

Outro ítem interessante é o fato de Steganographia de Trithemius conter uma lista como a da Goetia


A lista de entidades da Goétia é o MENOS importante do manuscrito. O mais importante pelo visto é sempre o mais ignorado. O método.

Então porque nós, adeptos de variadas e mesmo opostas forma de magia, nos preocuparíamos com um texto medieval cheio de contradições? Um interesse diferente do modismo New Age que por si só é uma grande bobagem que um dia vai passar. Seria possível que nós, adultos e trabalhadores, estejamos sendo vítimas de um embuste. Que pelo menos metade de algumas experiência e opiniões são falsas (mesmo as colocadas nesse fórum) é um fato que qualquer adulto ou adolescente com o mínimo de senso crítico perceberá logo na primeira leitura.

Modinha sempre tem,dentro do ocultismo principalmente. Mas ao duvidar da capacidade do sistema,e duvidar da própria crença já invalida o autor como praticante de goétia. Se você não acredita,então é só uma piada ridícula,simples assim. Já quanto aos depoismentos falsos... estão por toda parte. Acho que cabe a cada ocultista saber filtrar o que presta do que é lixo,e principalmente confiar nas próprias experiências,e deixar de lado as experiências alheias. Ocultismo é algo legal de ser estudado em grupo,muitas vezes necessária a prática com outros ocultistas... mas o resultado geral é individual para cada magista.

Aminha opinião tem sempre sido a da experiência pessoal. Também não temos prova da Cruz de Cristo, o que não impede que rituais belíssimos tenham sido criados em torno de um objeto que talvez nem tenha existido. O mesmo pode ser dito de qualquer religião, porque se Zeus mora no monte Olímpio, Odin realmente foi colocado numa árvore ou Xangô reinava como um deus em meio aos homens, então eu corto meu pescoço. Muito disso é apenas lenda, história para a alma e a imaginação. Nesse ponto eu gosto de diferenciar mentira de mito, ou mais propriamente o mito que encerra uma verdade espiritual ou pessoal da simples mentira.

Todo mito possui um fundo de verdade. Xangô provavelmente foi um homem,mas um governante tão bom que foi eternizado,consagrado como um Deus pelos seus. Jesus pode ter existido,sem transformar água em vinho e sem ser filho de virgem,mas ainda assim sendo um ser humano corajoso e piedoso.
Isso não altera em nada. Uma frase de um jogo um tanto infantil,mas que sempre convém: Tenha fé no ideal e não no ídolo.


Esses para mim foram os pontos onde o autor mais pecou. Eu acho que foi uma tentativa de tentar racionalizar em cima de um grimório medieval,mas que sofreu inúmeras adptações e reedições até chegar onde está.
Para mim a goétia não é uma farsa. Nem uma tradição. Nem uma listinha de "pokemóns de Shlolmo" para você escolher o seu e brincar.
É um sistema. Uma forma de comunicação com entidades,que deve ser bem feita.
Mas acima de tudo,para falar de goétia,cada um deve ter uma vivência séria e uma experiência prática com o próprio sistema.

Ter os pés no chão é necessário,mas prender TUDO a uma realidade física quando se trata de assuntos etéreos é um erro. Como outro membro da mesma comunidade disse,e eu concordo,colocar o Ego humano acima de tudo é um erro terrivelmente grande.

_________________
Diabo velho vou arrancar seu chifre, vou cortar teu rabo e dar para Exú comer. Da sua língua vou fazer um chicote, para dar nas costas de quem fala mal de mim. Fala mal de mim, mas não fala por detrás. Fala mal de mim, mas não fala por detrás. Ô pega ela Exú, pela ela Satanás.
avatar
Lucrezia Rottenstern
Administrador
Administrador

Macaco Mensagens : 584
Data de inscrição : 04/03/2010
Idade : 97
Localização : Iceland

Voltar ao Topo Ir em baixo

Sobre o texto,

Mensagem  Convidad em Sab Dez 10, 2011 7:59 am

Só lembrando que mitos sofrem sincretismo, e antes de cristo, poderia citar um monte de Deuses de morte/ressurreição, que eram celebrados e honrados pelos seus seguidores, seja pela salvação ou pelo conhecimento que trouxeram da morte, entre eles Odin, Dionísio, Osíris (esse daí "venceu" de tanto que morreu/voltou) e tantos outros. Sendo que Dionísio já tinha ritos onde ele morria e seus seguidores bebiam o vinho (seu sangue) e comiam cereais (sua carne) como um mistério de sua morte e de seu renascimento. Talvez, os mistérios de Dinonísio sejam os mais famosos e comparados.

Mas enfim, realmente, querer levar a parte espiritual completamente para o físico não faz sentido algum.

Mas em geral, o que eu mais gostei nas respostas do Cherto, pois me fez rir pra caramba, foi isso daqui:

Para mim a goétia não é uma farsa. Nem uma tradição. Nem uma listinha de "pokemóns de Shlolmo" para você escolher o seu e brincar.

Minha mente trouxe inúmeras situações possíveis, inclusive visualizações das mais cômicas quando li isso, e realmente eu ri.
O pior que eu sei que não é pra rir, e sim, pra chorar. Mas no final, só chora quem diz algo do tipo: "Belial, eu escolho você!" rs

abs

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

O Outro tópico primeiro.

Mensagem  Convidad em Sab Dez 10, 2011 9:01 am

Primeiro vou responder o outro tópico.

Acho que no final, estamos chegando a um lugar 'mais próximo' um dos outros, somente o caminho parece diferente Smile

Lucrétia e Cherto:

Vamos lá, imagina que você está dando uma festa e chama um amigo e manda ele aparece com mais uma vinte cabeças muito mal encaradas. Eu não duvido que você vá passar a chave na cristaleira inglesa da sua mãe com medo no mínimo que eles quebrem alguma coisa. Com daemons funciona assim, eles podem ser uma flor de criatura, podem ser os anjos mais lindos do universo...eles também tem amigos e nem todos eles são legais, logo vale a pena passar a chave na sua casa pros amigos da entidade não ficarem por lá.

Mas aí Lucretia, tem um outro lado: saber o que se está fazendo.

É o mesmo que querer invocar um Deus da morte, um Deus que 'se alimenta' com vida, e alimentá-lo com suco de uva em caixinha. Cara, além de eu estar chamando 'A morte' e 'destruição' para dentro de casa, além de tudo eu quero que ele aceite ISSO como oferenda? nesse caso, o que ele iria 'pegar' sem perguntar nada? rs

Sabendo o que se faz, tendo consciência de que tipo de poder está sendo atraído, deve-se conseguir pensar bem e direcioná-lo para o ponto certo. bem como ter sim, uma boa relação com aquela entidade, porque no final, a 'vantagem é dela': Ela não morre, não sente dor, não tem limites para agir em seus domínios e, você a chamou porque quis. Saber lidar é outro ponto.
É que nem tentar afrontar uma entidade desse porte e esperar espantá-la.
Não creio em milhões de proteções. Creio em poder e de estar protegido, seja por divindades e também pelas "ferramentas", caso se precise delas.

Quando se envolve com ocultismo,você já "meteu o pé na lama". Proteção nunca é demais. Eu mesmo já me ferrei algumas vezes por negligenciar proteções. É como você estar nadando em um tanque de tubarões. Um monte de coisa vem em cima de você. Esse não é um ponto facultativo. Perigos existem,aos montes. Isso não é uma mera teoria. O mundo não é colorido.

O mundo é colorido sim. tanto de branco quanto de vermelho, verde, preto e muitas outras. Existem ainda mil tons diferentes e, muitos, imperceptíveis para nós, tão ocupados em meio a tanto Devir ao invés de alguma contemplação rs
Só que eu, na minha vivência, olho pro "Preto" e pro "roxo", da mesma forma em que olho pro "Branco", ou pro "Amarelo", sabendo que a "temperatura" dessas cores, não resumem seus conceitos, mas apenas apontam algumas características, que no final, todos compartilhamos e temos. procurto andar 'no meio'. Tanto o crescimento quanto a putrefação possuem seus mistérios e importâncias.
Não me acho nadando num tanque de tubarões. Aliás, acho que nado sim, mas entre as pessoas. Lidar com entidades e Divindades é muito mais agradável, mesmo que haja muita surpresa e perigos.

Todos os dias podemos morrer no meio da rua de diversos problemas e acidentes. Estamos vulneráveis o tempo todo. Nem por isso eu uso um "colete a prova de balas" e nem capacete ou escudo nas mãos sempre que saio de casa.
A mesma coisa na minha vida espiritual, que nem separo tanto da vida do dia-a-dia, mesmo que a sociedade tente me forçar a tal. Mas sim, sei que sem não usar um capacete, se um dia algo cair na minha cabeça, o capacete me manteria vivo (ou não) rs
Não sei se passei bem a idéia.
Mas se alguém na rua tenta me agredir, eu luto e brigo, uso o que aprendi com muito treinamento. Ou seja, não uso colete e nem ando armado, mas treinei e treino para ser cada vez mais forte. Isso me garante um certo poder, mais possibilidades. Mas mesmo assim, alguém muito mais forte e completamente imbecil, ou simplesmente com uma arma de fogo, pode me matar.
Isso pode ocorrer com qualquer um, em qualquer lugar, por mais que se esteja preparado.
Nós tentamos, cada um do sei jeito, estar sempre seguro (ou ao menos se sentir).
Mas na realidade, não existe isso: segurança.

Não depende não. Astaroth era uma visão demoníaca criada pela Igreja... mas lembre-se que a Igreja católica na idade média era abarrotada de pessoas que assumiam o sacerdócio por poder político. Muitos deles eram inclusive pagãos,satanistas ou ateus. Alguns deles escreveram inclusive grimórios.
Astarte era deusa da beleza e fertilidade suméria,esposa do líder do panteão (antes de Baal assumir). Deusas da beleza,como Lucrécia mencionou,tendem a ser ciumentas,destrutivas,explosivas. De onde tiraram que ela é uma pessoa agradável só porque ela é relacionada a beleza?A própria Afrodite pode ser relacionada a Astarte... e Afrodite me causa mais medo que a própria Hera em questão de ´"punição". Enquanto uma mata a outra faz questão de torturar bastante,e manter vivo depois.
Agora,levando em consideração princípios Herméticos como o de Dualidade e Vibrãção,deuses da beleza e fertilidade também poderiam ser associados a feiura e a esterilidade... já pensou que o que você olha pode não ser (ou ser também) aquilo que você ignora?rs...

Well... eram sacrificadas virgens belas pra ela de uma maneira não muito legal. Aliás quase todos os deuses sumérios que hoje estão na goétia curtiam sacrifícios humanos. Eu penso que, antigamente você tinha um templo com gente que te amava, que faziam sacrifícios voluntários para você, que faziam festas por você e etc... e de repente aparece um mala sem alça que não tá fazendo nada muito grandioso pra você te pedindo algo. Eu pelo menos ficaria de mal humor com isso... kkkk


Mas vamos concordar. Ninguém aqui está falando de Deusas cor-de-rosa, como muitos pseudo-wiccaninhos acreditam, que sua Deusa é uma fada da Disney, ou um "jesus de saia".
Só estou dizendo que compreendo os atributos e possibilidades dessas divindades, e os aceito como eles são. Não cabe a mim moldar isso "a minha vontade" e nem dizer "o que eles preferem".
Vocês preferem ser muito cautelosos para com eles. Ok. é uma forma de lidar com eles. Eu prefiro mostrar que estou ali, de cara com eles, oferencendo-lhe agrados e me propondo a um contato a longo prazo, mantendo seus selos, seus nomes e "contatos" (isso me soou estranho, tipo 'vou gravar o seu e-mail nos meus contatos' rs).
Sei que é possível inúmeros problemas, incluindo doenças, maldições e a morte (sem especificar o que pode ser pior rs), mas como eu disse, no dia-a-dia vivemos assim, e não levo esse medo para com os Deuses e entidades.

Belphegor veio sugestionar um contato ha uns meses. Só depois que eu vi que ele não era da goécia, por pura distração. Quando fui pesquisar sobre ele, encontrei pouca coisa, mas vi que esse demônio tem uma realção de correspondência comigo e com alguns atributos do meu mapa natal, segundo também, a gematria e algumas coisas de Qabalah. Até agora não o invoquei rs Não vou fazer uma invocação de um demônio 'desse tamanho' sem achar que tenho as informações necessárias para fazê-lo. Não é testar cegamente a tudo. aí é roleta russa rs

Ele não tem intolerância não, é que ele é meio revoltado por não poder entrar na biblioteca do vaticano (sonho da vida dele) xD Ele não gosta da igreja como instituição mas acha muito bonita a religião.

Pois é. Eu estudei teologia a uns tempos em uma determinada faculdade. Minha família inteira é católica,com algumas exceções. Eu nunca tive problemas com isso e nunca fui violentamente reprimido. Não possuo richas com a ICAR. Pelo contrário admiro muito a filosofia,e respeito muito,até por ser a religião de meus pais. Eu apenas fiz uma escolha diferente,não precisei estudar muito para ser tolerante. Nem tenho asco. Como minha mãe é uma senhora de idade as vezes a acompanho a missa,para ajuda-la. Acho até interessante,mas não é a crença que escolhi,sou convicto do que penso.
Mas estudando historicamente é inegável que os membros do clero na era medieval cometeram inúmeras atrocidades por poder e dinheiro e a religião foi chutada de lado e a filosofia violentada e distorcida para servir aos maus caráter que assumiam o poder. Ao invés de conforto e paz de espírito,a religião passava a ser um aparelho de coerção do estado,aparelho de medo,motivo de sofrimento. Mas isso daria um outro tópico mesmo... um bom tema a ser debatido.

Isso sim é interessante. Mas sim, não da pra separar política, religião e sociedade. PRINCIPALMENTE na história da "Santa Igreja".
Quanto à Biblioteca do Vaticano, então somos dois rs

De forma alguma falarei em tom de desdém em um debate ou usarei de ironias dessa forma!Foi uma comparação com o sistema Kingdom of Flames (Reinos das Chamas),que tem uma base em goétia,mas seu criador alterou tanto que resultou em outro sistema totalmente diferente. Apenas isso. Não há com o que se ofender. Aliás,falarei sobre este método de evocação aqui no Via posteriormanete.
Mas o que eu quis realmente dizer é que você se baseia na goétia e faz seu sistema pessoal. A goétia em si é aquilo,ainda que se faça leves alterações... mas com remoção ou inclusão de simbologias ou ideologias,o sistema perde seu alicerce e você constrói outra forma de evocar por cima,entendeu?

Não é desdém não, é que o Kingdom of Flames é meio que um sistema baseado em goétia também, assim como o seu. ^^ O sistema deles é meio falho, mas ele só comparou o fato de terem sido feitos do mesmo modo, usando a goétia como base.

Entendo. Na verdade, a Goécia veio como idéia. Na realidade, suas entidades e simbologias foi o 'atrativo'. Cheguei meio que "puxado", e naturalmente fui traçando um caminho, com estudo e prática.
Se parar para ver na realidade, de goécia mesmo, só as entidades, que sabemos que não pertencem ao sistema. Aliás, goécia, é o sistema em si, não as entidades ou a simbologia astrológica apenas.

Só pra igreja, lá na Grécia ou em Roma (juro que agora não lembro de onde ela é) ela simplesmente é uma deusa. Eu prefiro olhar as coisas como elas eram antigamente, mas claro... sempre sabendo que deuses não costumavam ser muito legais naquela época.

Não que elas não era "legais".
Acho dificil simplificar as "condutas" Divinas dessa forma. Pois alguém que nunca passou "maus bocados" nas mãos de uma certa divindade, pode encontrar alguém que está 'servido como um porquinho com maçã na boca' na mesa da mesma.

É uma questão de relação. Se você tem um amigo matador que te ama, ele vai ser contigo alguém completamente diferente que é com suas vítimas e contratantes...(só nunca traia esse cara! rs)

Não é bem assim... o único tipo de magia realmente marginalizada não importa aonde você fosse, era aquela em que você tinha que mexer com mortos. Ta dã! Necromantes em geral eram vistos quase como os afetados pela pesta negra na Idade Média. Era pro bem? Podia até ser, mas você ainda está violando uma sepultura e isso nunca foi muito bem visto.

Magia nunca foi visto assim, com bons olhos. Mas sempre foi algo procurado quando se está com certos problemas.
Mas sim, Necromancia foi algo especialmente visto com muito maus olhos pela maioria dos povos, mas praticado, ainda bem, pelo que sabemos rs
Mas volto aquela parte: o que definia se era "milagre" ou "bruxaria", se era "bom ou ruim" era "quem permitia" tal ato mágico.

Correto. Mas novamente como Lucrécia afirmou acima,a necromancia era sempre jogada pra escanteio. Mexer em coisas que estão apodrecendo nunca era legal. Pros egípcios era ainda pior,violar sepulturas era crime punido com morte.
Razões obvias. Lugar quente + putrefação + bactérias - remédios = doenças + morte.

Na época medieval (mesmo sendo longa), esturpro era crime que se pagava indulgência, e nem era realmente caro na época. Magia negra era algo absurdamente caro e normalmente pago com a vida rs

Como mencionei antes,as vezes um erro pode ser seu ultimo erro.

Atravessar uma rua também. Só que você sabe disso e sempre olha por dois lados. Eu olho pros dois, mesmo que a rua seja mão única rs

Esse é um erro cometido por muitos quando se trata de goétia. Botar a cabeça alta demais ou baixa demais dá merda. Quando dizer que Astarte é "medonha",eu já citei,princípio de polaridade... ela pode sim aparecer da forma como bem entender par ao magista,que deixará em seus registros a forma que viu. Varia de cada um para cada um. Respeito as entidades é algo obrigatório,adoração por uma entidade... só se valer muito a pena e houver uma afinidade gigante com a mesma.

Erro neste caso, seria não somente enaltecer a divindade, mas também de achar que ela só tem 'um lado'. Uma mulher ciumenta ou traída, pode ser pior do que um homem que deseja ver você morrer. Uma mulher com o orgulho ferido também.
Por isso deve-se ver ambos os lados, e não viver adorando somente um ou temendo o outro.

É entender as relações que nos cercam e saber que com Divindades as coisas tomam proporções diferentes.

Agora, 'adoração' já algo bem mais complicado, mesmo que hajam pitadas disso a longo prazo. Mas quanto mais se trabalha com aquela entidade e mais 'graças' se concede e mais poderes, é natural uma afinidade com a mesma. Mas isso também abre portas para Ela também te contactar e pedir coisas, e também, as oferendas 'aumentam' na mesma proporção que se têm aquilo que se pede rs
Se for tão bom assim, você acaba fazendo um culto ou rituais com datas para a mesma, que aposto que vai amar ter um devoto rs
(só não traia e nem abondone-a, porque imagina só o que a "mulher" vai fazer rs)

Eu não passo do limite. Eu quero me tornar sem limitações... Mas sem morrer no caminho até lá,se possível. Então evito cometer atos inconsequentes (sempre que possível e quando sóbrio). Ir onde ninguém foi é legal,mas cometer erros que já foram cometidos não é algo bom. Também gosto de aprender na prática,do contrário eu apenas mergulharia em livros e não aplicaria nada. Mas tem erros que temos que saber,já foram cometidos antes,são desnecessários e podem ser nossos ultimos erros.

A idéia é boa! Também espero não morrer até lá. Mas sigo meu caminho, pelo meio, da forma que melhor for capaz de fazer, como todos nós.

vai olhar Aphrodite por exemplo, eu não chego perto daquilo nem que me paguem
adorei essa parte hahaha Smile

não podemos esquecer que esses deuses tem características humanas também e o pior é que eles PODEM ser maus, afinal não existe polícia para eles. Deusas da Beleza e do Amor são aquelas que em hipótese alguma se deveria mexer, elas são cruéis e não estão muito ai se você gosta disso ou não. Claro, se você jurar lealdade eterna e não amar mulher alguma além delas e nem fazer sexo com ninguém além de alguma sacerdotisa dela (que diga-se de passagem não são muitas hoje em dia)... é ai elas até protegem e te realizam desejos.^^

Todos podem ser maus quando quiserem ou acharem que devam ser, mesmo sem saber disso. Deuses também. É que vejo "mal" exatamente como vejo o "bem".
Bênçãos podem ser maldições, e maldições podem ser bênçãos.

Não vejo Deusas do amor dessa forma, mas tenho consciência de seus atributos. (Os Deuses gregos são os reis das intrigas! Chega a ser cômico a facilidade que têm em matar e enfiar os pés pelas mãos).

abs

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Lucrétia

Mensagem  Convidad em Sab Dez 10, 2011 9:08 am

Só dando um exemplo Lucrétia:

Vamos lá, imagina que você está dando uma festa e chama um amigo e manda ele aparece com mais uma vinte cabeças muito mal encaradas. Eu não duvido que você vá passar a chave na cristaleira inglesa da sua mãe com medo no mínimo que eles quebrem alguma coisa. Com daemons funciona assim, eles podem ser uma flor de criatura, podem ser os anjos mais lindos do universo...eles também tem amigos e nem todos eles são legais, logo vale a pena passar a chave na sua casa pros amigos da entidade não ficarem por lá.

Já dei festa em casa, quando passei de aborrescente para adulto (na teoria). Houveram inúmeros problemas, mas resolvi todos, porque estava "preparado". Mas já fui em festa, quando aborrescente, na casa de outras pessoas que não estavam preparadas, e o resultado, foram objetos roubados e brigas.

Quando EU dei a festa, impus respeito, até nos mais valentões, porque eu sabia o que significava 'abrir minha casa' para um monte de gente, incluindo amigos de amigos. E no dia seguinte, pus todo mundo que dormiu pela casa, pra trabalhar, e todo mundo o fez, até quem estava de ressaca e tudo ficou limpinho Smile
Já tinha visto erros alheios e não os cometi.

Entende a comparação?

abs

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Goétia,Clavículas de Salomão e Lemegeton

Mensagem  Convidad em Sab Dez 10, 2011 9:53 am

Quando me referi a ter proteção de determinada deidade,não me referi a conceitos de "bem" e "mal". Me referi a forma de adoração a deuses que foi modificada. Um deus que recebia sacrifícios e possuía toda vida de seu sacerdote a sua inteira disposição não vai conceder os mesmos privilégios a um magista só porque o mesmo acha que um agradecimento vale tanto quanto um sacrifício de sangue. Hoje em dia as pessoas não possuem mais a devoção que antigamente. Quanto mais ciência o homem desenvolve mais a sua fé atrofia.

Esse é um ponto importante!
Não somente sobre ciência, que daria um puta tópico, sobre de onde surgiram as tais "ciêncas", de origem sagrada e que hoje só restariam as profanas. Guenon fala muito disso, e fala bem!

Mas um bom ponto, é o valor das Divindades e o tratamento delas. Elas também sabem ver o potencial de quem os chama e o valor que tem dessa pessoa espalhar para outras seus nomes e feitos, e como isso pode fazer outra pessoa chamá-la também.
Se a divindade vai "filtrar" a qualidade de seus seguidores, aí depende de cada uma delas rs
Mas sim, sacrifícios de sangue não devem ser abolidos para nossa comodidade.
Certas divindades exigem isso ainda e muitas tradições ainda o fazem e provavelmente não vão parar.

O problema, é que sacrificar pessoas é algo extremamente complicado, mas dependendo da situação, eu não olharia isso com maus olhos. (vide que "dependendo da situação" seja algo completamente relativo de pessoa para pessoa!).

Não ofereço simplesmente um agrado e acabou. Ofereço, em certos casos, relações. Isso eu acho mais importante do que apenas "um trabalhinho", sendo que todo o trabalho deve ser feito com o respeito que a divindade merece e, o pagamento não pode ser um "cala a boca", e sim, algo feito da melhor forma possível e, se possível, não esquecido.

Se você trabalha sem círculo de proteção e sem o triângulo que são elementos do sistema goético,automaticamente você não trabalha com goétia. Você usa seus próprios métodos. Como eu já disse 1000000000000000000000000 de vezes por aqui,não são as entidades que são a goétia. É o tipo de forma que se chama elas. Não existe essa coisa de "goéticos". Esqueçam isso é besteira!

Não disse que os Demônios da Goécia pertençam à Goécia. Goécia é somente o método que explica o próprio conceito, nada mais.
Realmente, como disse antes, praticamente não uso de goécia em si, mas somente de símbolos que não pertencem à ela propriamente e nem suas correspondências também, podendo ser achadas em tratados de Astrologia Tradicional.

Sem a proteção de um círculo,o que ocorrerá é que a energia liberada por determinadas entidades (não importa se para você são deuses - lembre-se Chernobog também é um Deus. Evoque-o sem proteção e me conte depois...) pode afetar sua vida em inúmeros aspectos. Entidades menores podem vampirizar você ou até mesmo influenciar no ritual,tendo em vista que você não faz banimento (portanto não equilibra as próprias energias,não limpa o ambiente antes e nem depois...).

Talvez essa tal 'energia liberada' que você diz ser tão nociva assim, seja liberada somente com o rito feito do próprio sistema. Como não uso esse sistema, acesso os poderes de uma forma diferente. O sistema em si não diz o que é certo ou errado e nem o que funciona ou não, e sim, a forma como O SISTEMA funciona ou não. Pode-se olhar por este lado.

Quanto a Chernobog, gostei da descrição dele. Mas somente isso NUNCA seria o suficiente para invocá-lo para coisa alguma. Teria que estudar seus cultos, suas preferências, suas histórias, seus ritos e atributos. Só depois, sabendo de tudo isso, poderia tentar uma invocação com tudo que teria aprendido e, mesmo assim, ter consciência que estou chamando alguém bem perigoso para "conhecer", correndo o risco de dar errado, MESMO com todas as precauções tomadas.

Para mim não existe isso de "bruxaria tradicional"/ "ritual mais aproximado" quando se lida com GOETIA. A goétia é uma PORTA. Com as chaves corretas você abre uma porta para uma divindade,e se protege do que pode sair de lá indesejavelmente.

Bruxaria Tradicional, é apenas uma forma de chamar alguns clãns que existem atualmente e que existiram, que mesmo sendo diferentes, carregam em si linhagens, conhecimentos e práticas em comum, bem como uma sabedoria identificada em muitos locais, como a Cultus Sabati ou o Clan of Tubal Caim. Não tem a ver com Goécia propriamente, só usei uma forma de explicar no que acredito e, que não se limita a clã algum ou apenas a uma única e exclusiva Tradição.

Goétia é um método, que se apropriou (sincréticamente, com uma visão comum na época, naquele meio) de símbolos e ciências que existiam na época, com a visão da época, naquela sociedade.
É apenas "uma" das infinitas chaves.
Se não uso as invocações do sistema, nem os conceitos, nem os símbolos de proteção ou supremacia de Jeová ou Elohim, como chegamos a conclusão, não uso de goécia, e sim, algo criado, diferente e novo.

Quanto a abrir portais, é o mesmo que generalizar todas as invocações do mundo achando que tudo funciona da mesma forma que na goécia, que surgiu numa época em que o cenário ocultista borbulhava de criações, estudos e intercâmbios.
Talvez a goécia em si possa trabalhar e liberar esses poderes, da forma que você descreve. Mas da forma que realizo minhas invocações e de outras Tradições que o fazem de formas diferentes, não funciona dessa forma, e se ha similaridades (que sempre ha alguma, no final das contas), a forma de ver e lidar com isso também é diferente.

Se você faz as coisas a "moda boi" ou porque "uma entidade te falou em sonho" (na verdade essa é a maior jogada manipulatória da história das entidades. Faça eles se sentirem importantes e depois puxem o tapete) você VAI eventualmente escorregar. E não vai ser bonito.

"moda boi"? com o número de respostas que postei, acredito que esta parte nem precise ser respondida. E quanto a sonhos, não é "fazer o que mandam", e sim, 'vamos ver qual é'. Houve proposta, houve inclusive muita conversa e comunicação. Houve e ainda está havendo, resultados. Portanto, não tem ninguém sendo subjulgado aqui e nem manipulado.
Sem dizer que não faz o mínimo sentido achar que uma Divindade vai vir até mim, tratar de assuntos comigos, iniciar uma relação em que Ela só tem a ganhar, e isso inclui a longo prazo, pra depois ela vir ser sacana SEM MOTIVO ALGUM só por 'esporte'. Eu acho isso 'paranóico'. Um Deus vir puxar meu tapete só porque ele ta afim, sem motivo algum.

Não é achar que os Deuses me amam, mas também não preciso achar que eles me odeiam. Assim como não odeio ou ame aquilo que não conheço. Com eles não é ao pé da letra, mas pode ser mais ou menos assim. As variantes, não são possíveis de se catalogar, pois cada um é cada um.

Quanto ao "vocÊ VAI escorregar e não vai ser bonito", não ha como vocÊ prever. Aliás, todos nós escorregamos ao longo da vida, tenha a experiência que tiver, o poder que conquistou, ou a sabedoria absorvida. Tombos se leva, sempre. O lance é saber levantar e, principalmente, o que fazer depois.
vocÊ também vai escorregar, assim como todos nós já fizemos e ainda vamos fazer muito. O número de escorregões tende a diminuir com o tempo, e a forma de aprender com eles também, assim como a forma de olhá-los e sentí-los.

No fim das contas eu deixo aqui meus avisos a quem quer praticar a goétia. Se não querem enlouquecer,tornarem-se violentos,terem problemas na saúde ou em diversos aspectos de suas vidas,façam tudo direito em cada mínimo detalhe. As entidades,sejam as 72 listadas ali,sejam os anjos da Theurgia,ou quaisquer outras entidades tem em si um potencial para tornarem-se perigosas seja por sua natureza ou seja se ofendidas de alguma forma

Cherto, mas aí você fala do ocultismo em geral, com várias exceções ainda. Não ha como generalizar. Dá para se falar em goécia sim, com certeza, aí pode ser exatamente dessa forma.
Se eu não uso do sistema em si, da forma que está escrito, então não estou sujeito a essas interpretações (não dessas forma rs).
E qualquer entidade ou divindade ofendida, pode ser realmente perigosa. Mas aí entram mais questões, pois como ofender um Deus? tudo depende muito da Divindade em si e de seus atributos. Alguns Deuses nem ligam prum monte de coisas, outros, são extremante rígidos e agem com extremos.

O próprio Diabo, da forma como acredito e que já trabalhei (aliás, é um trabalho sem fim rs) é completamente imprevisível, isso porque ele só mostra aquilo que queremos ver, mesmo que nós achemos tudo ao contrário: isso não é problema dele, nem como vocÊ vai lidar com o que ver rs

Então prestem atenção. No ocultismo não há segunda chance caso um experimento dê errado. Cada ritual pode ser seu ultimo ritual. Este é outro ponto que MUITOS ocultistas se esquecem.
Não existe "testar com a cara e a coragem" ou brincadeira no ocultismo. Essas coisas podem realmente foder sua vida ou matar você.

Assim como tudo na vida: ha a hora de brincar e de ser sério. Se errar isso com pessoas ou situações (como trabalho, por exemplo), você sofre consequências e, em certos casos, pode morrer rs. Algo pode te fazer mal ou não. Algumas coisas, feitas direitas, basta um pouco de azar para darem erradas. Outras, feitas erradas, podem até ter bons resultados num momento de sorte. A Dama Fortuna também nos influencia. Mas normalmente, quanto mais preparado, melhor. E isso não é somente em 'proteções' ou 'aparatos' mágicos. Isso também tem a ver com 'poder' e 'sabedoria'.
Não ha controle sobre a vida. O segredo não é ser senhor de entidades ou de poderes apenas, nem de controlar ou prever situações.

O segredo da vida não é ser senhor de tudo à sua volta, pois isso é impossível e imprevisível.
O segredo é ser senhor de si mesmo. Tendo isto feito, o externo é pura consequência.

(ops, a frase saiu, vai de assinatura rs)

Ora,o fórum não é apenas um amontoado de conhecimento parado. Ele também é para discussões. Então,quanto mais "acalorado" o debate melhor. São de discussões assim que saem as melhores informações. Então parabenizo o membro por expor aqui seus pontos de vista,suas teorias são sempre bem vindas. Concorde eu com elas ou não.

Isso faz todo mundo ganhar, tanto quem debate, quanto quem lê. Sempre que feito com respeito ao outro.
abs

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Goétia,Clavículas de Salomão e Lemegeton

Mensagem  Convidad em Sab Dez 10, 2011 9:58 am

As descrições contidas no Lemegeton são as aparencias vistas pelo magista que escreveu o livro. Como entidades são energia,elas podem se moldar e se alterar para serem vistas desde como uma linda mulher nua até como o mais grotesco dos monstros,a sua vontade. Tudo a ver com a frequencia energética do ritual.

É bem por aí mesmo.

Tudo tem a ver com a frequência do Ritual, que tem a ver com a relação "indivíduo x entidade".

Deuses e Entidades, são poderes. A idéia de uma "forma física" é nossa, numa tentativa de ter algo mais "palpável" como referência.

Por isso, a forma como você as enxerga, influencia (mas não decide) a forma que poderá aparecer.

Até porque, nível de beleza, assim como algo Sombrio ou outras impressões, são altamente relativas.

Smile

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

E quanto a aceitação?

Mensagem  Convidad em Sab Dez 10, 2011 10:59 am

Cherto em relação ao texto... Não, isso não é fofoca não, mesmo por que vc esta argumentando de maneira á esclarecer pontos que talvez os outros ainda não consegue ver.


Mas voltando ao debate.:

Tudo gira em torno do contato e de experiencias, mas para poder ter á experiencia e necessário antes passar por um caminho que muitas vezes é entediante, sim a busca do conhecimento, que para muitos é entediante, vide as inúmeras adaptações e simplificações dos rituais e suas simbologia.

Concordo quanto a inúmeros sacrifícios feito, para esses deuses/daemons antigos, e então vem a questão.

Por que os Daemons aceitam como parte da "troca"(no qual todo o sistema gira em torno, trocas, isto sempre foi sugerido), estes agradecimentos ou declarações de amor a eles?

Acredito que este é o ponto que me chama atenção, mesmo por que se temos a capacidade de chama-los aqui e somos capazes de manda-los embora( esta parte é aonde muitos se ferram), então por que as pessoas se prestam a fazer este papel que muitas vezes passa a ser ridículo?

Muitos ficam meses estudando tentando entender o bendito circulo, é proteção?...é a ligação deste mundo com o outro? é o mundo do magista aonde ele é unico e rege estas forças que compõem o universo? enfim... Para depois, se rastejar em agradecer ?

Logico que quanto maior a propaganda mais o negocio prospera.

Mas respeito...

Falo agora pelas minha pouca experiencia.:

Os evoco sempre para me esclarecer pontos aos quais me é obscuros, conhecimentos que talvez incompreensíveis para mim até o momento.

Acho que goétia é isso, uma pratica pessoal, com resultados pessoais, e que são para ajudar o Mago a construir a estrada a qual ele esta a seguir.



Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Goétia,Clavículas de Salomão e Lemegeton

Mensagem  sanzo em Sab Dez 10, 2011 12:46 pm

É, já não é de hoje que percebo que minhas opiniões com relação a goétia é semelhante a do Cherto.

Eu me coloco como um tradicionalista, e gosto de fazer tudo certinho, essa de daemon bonzinho que vem passear de mãos dadas comigo e brindar durante um ritual não rola. Penso comigo, desde o inicio, em vários tomos que tem relação com qualquer tipo de evocação o circulo é mencionado, seja no Lemegeton, ou Corvo negro, Magus - de Francis Barret, enfim... Barret, em seu livro só escreve sobre as evocações dos arcanjos do dia, e da uma olhada no aparato de instrumentos que ele utiliza, e esta apenas evocando "Seres Angelicais"...

Mas, é tamanho o despreparo ou a falta de percepção de algumas pessoas para com a prática.

Vejam, recentemente eu fiz uma postagem em uma comunidade de uma rede social, relatando os meus efeitos pós evocatórios, que eram dores no peito e cansaço excessivo... Mesmo já sabendo que aquilo era proveniente de alguma falha no meu ritual, e na minha proteção, pois já havia feito várias e era a primeira vez que aquilo acontecia. Em fim, na verdade eu so queria obter mais informações sobre o ocorrido e saber das experiências alheias, e eis que ao relatar por alto o ritual, um participante me faz a seguinte pergunta:

Para que você usou a adaga e porque 4 velas?

É, nisso realmente deu pra perceber o tipo de ritualística que é usada hoje na goétia! (Mas, como dizem! É uma experiência pessoal...)

Não quis falar muito sobre as velas, mas posto aqui essa imagem que o Cherto inseriu no outro tópico:

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Alguém consegue ler o que esta escrito ao lado dos 4 pentagramas em volta do circulo?
R: Candle = Vela


Mas, assim sendo... Que goétia é uma experiência pessoal não há a menor dúvida, mas isso não te dá o direito de alterar a "sistemática" do rito só pra ficar mais "fácil", ou por que você acha que o daemon é um "cara legal" e você não quer ser rude...

Sem falar do arquétipo gerado pelo uso dos aparatos, ou a frase: "O mago no circulo é Deus..." nunca foi ouvida?

Cada um tem um trato com os espíritos evocados, eu não sou adepto do escarnio, prefiro um trato nobre, educado mas nunca abaixe sua cabeça ou ele montará em você, seja sua crença de que ele é uma parte obscura da sua psiquê, ou um espírito...
avatar
sanzo
Iniciado na Arte
Iniciado na Arte

Mensagens : 48
Data de inscrição : 09/12/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Goétia,Clavículas de Salomão e Lemegeton

Mensagem  Andarilho do Horizonte em Dom Dez 11, 2011 12:38 am

Apesar de eu ser um estudante dos métodos tradicionais, sou um buscador do "caminho do meio" também. Entendo o "modus operandi" do Shamash, afinal a Goécia é um sitema relativamente recente em relação a essas entidades, e o que poderia ser mais "chamativo" a ela: seus ritos e dogmas ou um círculo e um triângulo com um selo desenhado com seu nome e um mago chamando por sua presença?

Sim, fugindo dessa "receita" você faz um bolo com outro sabor, afinal vc sai daquele velho esquema medieval "o homem é o centro do universo" e parte pra um conceito universalista, onde "o homem é parte do universo.", e uma parte importante, sem dúvidas.

Também entendo os "tradicionalistas" que se agarram com unhas e dentes a suas ferramenta e paradigmas( amo essa palavra xD), isso sem dúvida é um combustível para sua Vontade, ajudando-o a exercer a prática mágika e moldando as forças astrais durante o ritual.
Agora, claro que se você usa um sistema definido por uma ritualística própria, modificar essa ritualística por que vc não quer arcar com os custos ou acha que tá complicado d+ é ridículo, puro comodismo, como foi o caso que o Sanso mostrou.

Não sou praticante de Goécia, não vi necessidade para tal prática, por isso só falo do ponto de vista ritualístico e lógico, porém, como um todo, compreendo as 2 partes.

Só tenho algo a acrescentar que vai a favor da visão de ambos indiretamente:


"Conheça a si mesmo e ganhará uma batalha em duas, conheça seus inimigo e ganhará uma batalha em duas. Conheça a si mesmo e a seu inimigo e ganhará todas as batalhas." Sun Tzu, A Arte da Guerra.
avatar
Andarilho do Horizonte
Magus

Mensagens : 217
Data de inscrição : 07/12/2011

http://www.reflexosdohorizonte.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Shamash

Mensagem  Lucrezia Rottenstern em Dom Dez 11, 2011 7:53 pm

O mundo é colorido sim. tanto de branco quanto de vermelho, verde, preto e muitas outras. Existem ainda mil tons diferentes e, muitos, imperceptíveis para nós, tão ocupados em meio a tanto Devir ao invés de alguma contemplação rs
Só que eu, na minha vivência, olho pro "Preto" e pro "roxo", da mesma forma em que olho pro "Branco", ou pro "Amarelo", sabendo que a "temperatura" dessas cores, não resumem seus conceitos, mas apenas apontam algumas características, que no final, todos compartilhamos e temos. procurto andar 'no meio'. Tanto o crescimento quanto a putrefação possuem seus mistérios e importâncias.
Não me acho nadando num tanque de tubarões. Aliás, acho que nado sim, mas entre as pessoas. Lidar com entidades e Divindades é muito mais agradável, mesmo que haja muita surpresa e perigos.

Eu sou daltônico em algum aspecto. Não diferencio tons de cor,embora diferencie as cores em si. Todo tom de azul claro é igual,vermelho escuro é igual,as vezes confundo cores diferentes,erro cores... é complicado. hehehehhell. Foi só uma força de expressão,mas ainda que fosse ao pé da letra,o mundo para mim é bem menos colorido que para as outras pessoas.
De fato chegamos a alguns denominadores comuns. Mas em relação as entidades,elas são como pessoas,como você bem disse. Só que pessoas que não serão presas se te encherem de porrada em determinado momento. Como pessoas,são imprevisíveis. Só são confiáveis se houver uma longa relação de conhecimento. É um assunto absurdamente complicado.

Todos os dias podemos morrer no meio da rua de diversos problemas e acidentes.

Sim,é bem isso. Mas não gostei muito das analogias que você fez. Falando diretamente,minimize os erros e chances de falhas. ISSO que é o importante. Minimizar a chance de dar merda... porque zerar essa chance é impossivel. Para morrer basta estar vivo.
Mas estamos lidando com ocultismo meu caro... a morte é só mais um passo - e há coisas bem piores que nos aguardam se errarmos.

Ninguém aqui está falando de Deusas cor-de-rosa, como muitos pseudo-wiccaninhos acreditam, que sua Deusa é uma fada da Disney, ou um "jesus de saia".

Muitos dos magistas que evocam Astarte como aspecto de Astaroth,por não se depararem com um monstro horrendo acham que ela não pode de forma alguma ser TAMBÉM aquele monstro ou relacionam a beleza ou sensação agradavel de um ritual a uma deusa boazinha. Esse é o erro que explicitamos aqui.

Vocês preferem ser muito cautelosos para com eles. Ok. é uma forma de lidar com eles.
Por mais que alguns ocultistas atirem pedras em mim por aí me taxando de "poser",eu não sou do tipo que gosta de meter o peito aberto para tudo que vem na frente. Sou muito cauteloso e meticuloso quanto a minhas práticas,além da mania de organização e "medidas de segurança". Ao menos nos rituais que eu faço sozinho ou em dupla ou trio. Quando há alguém mais experiente que eu,eu simplesmente prefiro ouvir aquela pessoa.

Belphegor veio sugestionar um contato ha uns meses. Só depois que eu vi que ele não era da goécia, por pura distração. Quando fui pesquisar sobre ele, encontrei pouca coisa, mas vi que esse demônio tem uma realção de correspondência comigo e com alguns atributos do meu mapa natal, segundo também, a gematria e algumas coisas de Qabalah. Até agora não o invoquei rs Não vou fazer uma invocação de um demônio 'desse tamanho' sem achar que tenho as informações necessárias para fazê-lo. Não é testar cegamente a tudo. aí é roleta russa rs

Esse é outro ponto onde nossas crenças vão em sentidos opostos. Eu não creio que entidades grandes se manifestem dessa forma ou "sugiram" ser evocadas dessa forma. Elas tem mais o que fazer que olhar para nós,aqui no físico.
Nesse ponto eu acho que ou é sugestão da própria pessoa ao sentir-se atraída pela entidade,ou uma entidade menor com intenções em relação a você se passando por uma entidade que você tenha afinidade de algum modo ou admiração.

Quanto à Biblioteca do Vaticano, então somos dois rs

Todo ocultista "rato de livro" sonha em entrar lá... imagino o que deve ter... fora os objetos guardados por lá... manuscritos,pergaminhos,grimórios de Brujahs confiscados... Paraíso ocultista na sede do vaticano!hehehehhehell

Atravessar uma rua também. Só que você sabe disso e sempre olha por dois lados. Eu olho pros dois, mesmo que a rua seja mão única rs
A diferença é a chance de falha. Ao olhar a rua você minimiza a chance de ser atropelado. Ao usar proteções você minimiza a chance de se tornar brinquedo de tortura de entidade por uma eternidade´post mortem.

Só dando um exemplo Lucrétia:


Vamos lá, imagina que você está dando uma festa e chama um amigo e manda ele aparece com mais uma vinte cabeças muito mal encaradas. Eu não duvido que você vá passar a chave na cristaleira inglesa da sua mãe com medo no mínimo que eles quebrem alguma coisa. Com daemons funciona assim, eles podem ser uma flor de criatura, podem ser os anjos mais lindos do universo...eles também tem amigos e nem todos eles são legais, logo vale a pena passar a chave na sua casa pros amigos da entidade não ficarem por lá.

Já dei festa em casa, quando passei de aborrescente para adulto (na teoria). Houveram inúmeros problemas, mas resolvi todos, porque estava "preparado". Mas já fui em festa, quando aborrescente, na casa de outras pessoas que não estavam preparadas, e o resultado, foram objetos roubados e brigas.

Quando EU dei a festa, impus respeito, até nos mais valentões, porque eu sabia o que significava 'abrir minha casa' para um monte de gente, incluindo amigos de amigos. E no dia seguinte, pus todo mundo que dormiu pela casa, pra trabalhar, e todo mundo o fez, até quem estava de ressaca e tudo ficou limpinho
Já tinha visto erros alheios e não os cometi.

Entende a comparação?

É totalmente diferente controlar 200 pessoas que estão no mesmo plano que você,que tem medo de inumeras coisas que você conhece,de controlar 1 coisa que está e não está ali ao mesmo tempo e chegou acompanhada de baderneiros que você não consegue machucar,não sabe o que temem e sua unica chance agora é negociar... e nos termos deles. É bem complicado.

Não ofereço simplesmente um agrado e acabou. Ofereço, em certos casos, relações. Isso eu acho mais importante do que apenas "um trabalhinho", sendo que todo o trabalho deve ser feito com o respeito que a divindade merece e, o pagamento não pode ser um "cala a boca", e sim, algo feito da melhor forma possível e, se possível, não esquecido.


Concordo com a parte de sacrificios e oferendas. Mas as entidades muitas vezes não querem ser chamadas. Não querem "contatos". Não querem saber do SEU valor. Elas querem um sacrifício,um templo,um adorno ou algo que ela recebia de seus adoradores. Aliás o que toda entidade quer é....

Não disse que os Demônios da Goécia pertençam à Goécia. Goécia é somente o método que explica o próprio conceito, nada mais.

Desculpe-me,mas é que cada vez que leio a palavra "goéticos" me dá nos nervos. Já vi relatos de pessoas que tentaram conjurar daemons por outros sistemas,e só por aquele daemon se encontrar na lista,elas disseram por aí que fizeram goétia. Não me referi a você.

Talvez essa tal 'energia liberada' que você diz ser tão nociva assim, seja liberada somente com o rito feito do próprio sistema. Como não uso esse sistema, acesso os poderes de uma forma diferente. O sistema em si não diz o que é certo ou errado e nem o que funciona ou não, e sim, a forma como O SISTEMA funciona ou não. Pode-se olhar por este lado.
Dependendo da frequencia da entidade é nociva sim,em questão de acabar influindo na sua vida. Uma evocação de Lilith pode deixá-lo mais promíscuo (o que é um problema se você for comprometido) e uma evocação a Asmodey pode diexa-lo mais agressivo,o que é sempre um problema... Da mesma forma que uma sobrecarga de elementos,a energia que flui da entidade também sobrecarrega o magista,alterando até mesmo aspectos físicos. O círculo também impede isso.

Quanto a Chernobog, gostei da descrição dele. Mas somente isso NUNCA seria o suficiente para invocá-lo para coisa alguma. Teria que estudar seus cultos, suas preferências, suas histórias, seus ritos e atributos. Só depois, sabendo de tudo isso, poderia tentar uma invocação com tudo que teria aprendido e, mesmo assim, ter consciência que estou chamando alguém bem perigoso para "conhecer", correndo o risco de dar errado, MESMO com todas as precauções tomadas.

Não preciso dizer que este deus em especial é meu favorito não é?hehehehehell.
Entre outros claro... não gosto só do "darkside" das coisas. A contraparte boa dele também é dos meus favoritos.

Quanto a abrir portais, é o mesmo que generalizar todas as invocações do mundo achando que tudo funciona da mesma forma que na goécia, que surgiu numa época em que o cenário ocultista borbulhava de criações, estudos e intercâmbios.
Talvez a goécia em si possa trabalhar e liberar esses poderes, da forma que você descreve. Mas da forma que realizo minhas invocações e de outras Tradições que o fazem de formas diferentes, não funciona dessa forma, e se ha similaridades (que sempre ha alguma, no final das contas), a forma de ver e lidar com isso também é diferente.

Até onde eu estudei,uma conjuração é definida de 2 formas,e nada além destas: Ou você chama uma entidade até você,ou você vai até onde uma entidade está.

"moda boi"? com o número de respostas que postei, acredito que esta parte nem precise ser respondida.

Novamente,não me referi a ninguém em especial. Mas já vi uma gama enorma de ocultistas que trabalha de uma forma que só pode ser descrita assim. "A moda boi". O cara faz o que quer,altera o que quer,sem consultar nada e nem ninguém,evoca com um sigilo na tela do pc e sai dizendo que é foda e que evoca todos os "demonios goéticos" facilmente.
Sem palavras quanto a isso...

E quanto a sonhos, não é "fazer o que mandam", e sim, 'vamos ver qual é'. Houve proposta, houve inclusive muita conversa e comunicação. Houve e ainda está havendo, resultados. Portanto, não tem ninguém sendo subjulgado aqui e nem manipulado.
Sem dizer que não faz o mínimo sentido achar que uma Divindade vai vir até mim, tratar de assuntos comigos, iniciar uma relação em que Ela só tem a ganhar, e isso inclui a longo prazo, pra depois ela vir ser sacana SEM MOTIVO ALGUM só por 'esporte'. Eu acho isso 'paranóico'. Um Deus vir puxar meu tapete só porque ele ta afim, sem motivo algum.

Já expliquei os aspectos da "manipulação" neste mesmo post,mais ali em cima. Agora,a pergunta que lhe faço nessa sua visão de ver as coisas é: O que você tem a oferecer para uma divindade?Mais além,o que você tem de tão importante para uma divindade de forma que ela vá até você te propor um acordo?

Quanto ao "vocÊ VAI escorregar e não vai ser bonito", não ha como vocÊ prever. Aliás, todos nós escorregamos ao longo da vida, tenha a experiência que tiver, o poder que conquistou, ou a sabedoria absorvida. Tombos se leva, sempre. O lance é saber levantar e, principalmente, o que fazer depois.
vocÊ também vai escorregar, assim como todos nós já fizemos e ainda vamos fazer muito. O número de escorregões tende a diminuir com o tempo, e a forma de aprender com eles também, assim como a forma de olhá-los e sentí-los.

A intensidade da queda,o que vai rolar quando você tiver no chão e as chances de você cair em uma hora ruim são os pontos importantes. Erros todos cometemos e todo mundo se ferra. O problema são os que citei agora... rs

Cherto, mas aí você fala do ocultismo em geral, com várias exceções ainda. Não ha como generalizar. Dá para se falar em goécia sim, com certeza, aí pode ser exatamente dessa forma.

Do ocultismo em geral,mas quando se trata de evocação de entidades,os riscos aumentam e o aviso deve ser frisado.

Assim como tudo na vida

A diferença é que na vida você morre. No astral você não morre denovo. E a eternidade pode ser bem pior.

Tudo tem a ver com a frequência do Ritual, que tem a ver com a relação "indivíduo x entidade".

Deuses e Entidades, são poderes. A idéia de uma "forma física" é nossa, numa tentativa de ter algo mais "palpável" como referência.

Por isso, a forma como você as enxerga, influencia (mas não decide) a forma que poderá aparecer.

Até porque, nível de beleza, assim como algo Sombrio ou outras impressões, são altamente relativas.

Acho que a frequencia da entidade também conta MUITO. Uma entidade relacionada a sexo,a menos que esteja em um dia ruim,aparecerá lasciva. Em um dia ruim ela pode se manifestar querendo lacerar seus genitais. Agora,o que é um "dia ruim" para uma entidade?Só elas sabem.


_________________
Diabo velho vou arrancar seu chifre, vou cortar teu rabo e dar para Exú comer. Da sua língua vou fazer um chicote, para dar nas costas de quem fala mal de mim. Fala mal de mim, mas não fala por detrás. Fala mal de mim, mas não fala por detrás. Ô pega ela Exú, pela ela Satanás.
avatar
Lucrezia Rottenstern
Administrador
Administrador

Macaco Mensagens : 584
Data de inscrição : 04/03/2010
Idade : 97
Localização : Iceland

Voltar ao Topo Ir em baixo

André

Mensagem  Lucrezia Rottenstern em Dom Dez 11, 2011 8:01 pm

Cherto em relação ao texto... Não, isso não é fofoca não, mesmo por que vc esta argumentando de maneira á esclarecer pontos que talvez os outros ainda não consegue ver.

Ainda assim eu me sinto mal em falar dessa forma sem motivo. Não tenho nada pessoal contra o cara e nem pretendo ter.

Mas voltando ao debate.:

Tudo gira em torno do contato e de experiencias, mas para poder ter á experiencia e necessário antes passar por um caminho que muitas vezes é entediante, sim a busca do conhecimento, que para muitos é entediante, vide as inúmeras adaptações e simplificações dos rituais e suas simbologia.

Acho que pensam muito assim hoje em dia. A maioria dos ocultistas quer tudo mastigado. Eu nunca achei entediante ir atrás de livros,pdfs,traduções,pedir ajuda a mais velhos,correr atrás... sempre,desde que comecei adoro a sensação de estudar algo que eu gosto de fazer e gosto de lidar.

Concordo quanto a inúmeros sacrifícios feito, para esses deuses/daemons antigos, e então vem a questão.

Por que os Daemons aceitam como parte da "troca"(no qual todo o sistema gira em torno, trocas, isto sempre foi sugerido), estes agradecimentos ou declarações de amor a eles?

Ou o "evocador" mentiu,ou se ferrou depois,porque deram a ele a dica errada de como agradar uma entidade e ele achou que colocando no seu perfil de orkut "obrigado Astaroth" a entidade ficaria feliz. Se for um ocultista sério ele parou com isso e foi fazer algo de fato útil aquela entidade.



_________________
Diabo velho vou arrancar seu chifre, vou cortar teu rabo e dar para Exú comer. Da sua língua vou fazer um chicote, para dar nas costas de quem fala mal de mim. Fala mal de mim, mas não fala por detrás. Fala mal de mim, mas não fala por detrás. Ô pega ela Exú, pela ela Satanás.
avatar
Lucrezia Rottenstern
Administrador
Administrador

Macaco Mensagens : 584
Data de inscrição : 04/03/2010
Idade : 97
Localização : Iceland

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Goétia,Clavículas de Salomão e Lemegeton

Mensagem  Lucrezia Rottenstern em Dom Dez 11, 2011 8:05 pm

Mas, é tamanho o despreparo ou a falta de percepção de algumas pessoas para com a prática.

Vejam, recentemente eu fiz uma postagem em uma comunidade de uma rede social, relatando os meus efeitos pós evocatórios, que eram dores no peito e cansaço excessivo... Mesmo já sabendo que aquilo era proveniente de alguma falha no meu ritual, e na minha proteção, pois já havia feito várias e era a primeira vez que aquilo acontecia. Em fim, na verdade eu so queria obter mais informações sobre o ocorrido e saber das experiências alheias, e eis que ao relatar por alto o ritual, um participante me faz a seguinte pergunta:

Para que você usou a adaga e porque 4 velas?

É, nisso realmente deu pra perceber o tipo de ritualística que é usada hoje na goétia!

A goétia foi um caso de conhecimento oculto que ao vir a público tornou-se quase uma piada após alguns anos. Distorceram tanto e tem tanto ocultista egocentrico e/ou charlatão por aí falando merda a respeito que raramente se acha na net algum material confiável sobre o assunto...
Essa de omitir as velas e o punhal/espada eu vi muito a uns anos no blog da ally. Havia um chat que o pessoal falava cada coisa absurda. Inclusive um que afirmava ter "evocado Astaroth com o sigilo na tela do notbook,sem traçar círculo e sem precisar de material nenhum a mais."

Olha só onde estamos indo parar...

_________________
Diabo velho vou arrancar seu chifre, vou cortar teu rabo e dar para Exú comer. Da sua língua vou fazer um chicote, para dar nas costas de quem fala mal de mim. Fala mal de mim, mas não fala por detrás. Fala mal de mim, mas não fala por detrás. Ô pega ela Exú, pela ela Satanás.
avatar
Lucrezia Rottenstern
Administrador
Administrador

Macaco Mensagens : 584
Data de inscrição : 04/03/2010
Idade : 97
Localização : Iceland

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Goétia,Clavículas de Salomão e Lemegeton

Mensagem  Lucrezia Rottenstern em Dom Dez 11, 2011 8:06 pm

Andarilho do Horizonte escreveu:"Conheça a si mesmo e ganhará uma batalha em duas, conheça seus inimigo e ganhará uma batalha em duas. Conheça a si mesmo e a seu inimigo e ganhará todas as batalhas." Sun Tzu, A Arte da Guerra.

Velho e sábio Sun Tzu...

_________________
Diabo velho vou arrancar seu chifre, vou cortar teu rabo e dar para Exú comer. Da sua língua vou fazer um chicote, para dar nas costas de quem fala mal de mim. Fala mal de mim, mas não fala por detrás. Fala mal de mim, mas não fala por detrás. Ô pega ela Exú, pela ela Satanás.
avatar
Lucrezia Rottenstern
Administrador
Administrador

Macaco Mensagens : 584
Data de inscrição : 04/03/2010
Idade : 97
Localização : Iceland

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Goétia,Clavículas de Salomão e Lemegeton

Mensagem  sanzo em Dom Dez 11, 2011 9:21 pm

Olha só onde estamos indo parar...

Nós não... Eles!

Será que ainda estão por aqui?

Ou será que viraram zumbis, como no vodu? rsrsrsrs...
avatar
sanzo
Iniciado na Arte
Iniciado na Arte

Mensagens : 48
Data de inscrição : 09/12/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Sanzo,

Mensagem  Convidad em Ter Dez 13, 2011 8:55 am

Mas, assim sendo... Que goétia é uma experiência pessoal não há a menor dúvida, mas isso não te dá o direito de alterar a "sistemática" do rito só pra ficar mais "fácil", ou por que você acha que o daemon é um "cara legal" e você não quer ser rude...

Não funciona simplesmente assim. Tudo na vida, se você abaixar muito a cabeça, alguém pisa nela, chuta seus dentes ou monta nas suas costas. Com entidades não é diferente.

Mas nesse ponto, concordo com o que escreveu.

Sem falar do arquétipo gerado pelo uso dos aparatos, ou a frase: "O mago no circulo é Deus..." nunca foi ouvida?

Eu acredito que sou descendente dos Deuses todos os dias. o PROBLEMA é que no círculo, nós nos 'condicionamos' e 'focamos' mais nisso, para o sucesso do próprio rito. É como se só fossemos capaz de manter esse pensamento fixo, com vontade intacta, por pouco tempo, dentro dum círculo de poder.

Mas acredito, que essa consciência deveria gradualmente ser trazida para o dia-a-dia, assim, acredito, que o poder e a vontade do magista se torne muito mais poderosa em tudo o que ele fizer ou viver. Isso sim, seria algo poderoso.

Cada um tem um trato com os espíritos evocados, eu não sou adepto do escarnio, prefiro um trato nobre, educado mas nunca abaixe sua cabeça ou ele montará em você, seja sua crença de que ele é uma parte obscura da sua psiquê, ou um espírito...

Não me agrada a idéia e nem conseguiria ver assim, esse lance de que daemons são da minha própria psique ou "sombras" ou ainda "reflexos" de uma divindade interior, ou meus próprios demônios.
Até porque, seria destruir minhas próprias crenças. Também acharia isso uma visão egoísta, como se tudo girasse em torno de mim mesmo e, como não sou fã do Racionalismo, não tenho possibiliddes de crer nisso. Mas sei que você somente usou um exemplo.

Mas sim, os tratos são pessoais, e as trocas mais nobres são as mais valiosas.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Andarilho,

Mensagem  Convidad em Ter Dez 13, 2011 9:04 am

Apesar de eu ser um estudante dos métodos tradicionais, sou um buscador do "caminho do meio" também. Entendo o "modus operandi" do Shamash, afinal a Goécia é um sitema relativamente recente em relação a essas entidades, e o que poderia ser mais "chamativo" a ela: seus ritos e dogmas ou um círculo e um triângulo com um selo desenhado com seu nome e um mago chamando por sua presença?

Usar bases ou ter inspirações de outros sistemas, com certeza é algo comum e largamente produzido por todo o tipo de ocultista, desde os 'imortais' até áqueles que fazem um monte de coisa inútil.
O lance é: funciona? Funciona BEM? (porque se tiver mil efeitos colaterais, você acaba ganhando mais problemas do que benefícios, aí também não vale a pena a não ser que seja corrigido.

Sim, fugindo dessa "receita" você faz um bolo com outro sabor, afinal vc sai daquele velho esquema medieval "o homem é o centro do universo" e parte pra um conceito universalista, onde "o homem é parte do universo.", e uma parte importante, sem dúvidas.

Sim, afinal, bolo se faz de mil forms diferentes, com sabores diferentes. Até bolos simples de laranja, por exemplo, possuem gostos diferentes rs
E se um é melhor do que o outro, aí depende de pesoa para pessoa, tanto quem faz quanto quem come rs

Também entendo os "tradicionalistas" que se agarram com unhas e dentes a suas ferramenta e paradigmas( amo essa palavra xD), isso sem dúvida é um combustível para sua Vontade, ajudando-o a exercer a prática mágika e moldando as forças astrais durante o ritual.
Agora, claro que se você usa um sistema definido por uma ritualística própria, modificar essa ritualística por que vc não quer arcar com os custos ou acha que tá complicado d+ é ridículo, puro comodismo, como foi o caso que o Sanso mostrou.

Alterar/criar/complementar um sistema por PREGUIÇA é falha na certa.
Vide essa 'bruxaria pública' que a wicca gerou. Não sobrou quase nada de útil...

Não sou praticante de Goécia, não vi necessidade para tal prática, por isso só falo do ponto de vista ritualístico e lógico, porém, como um todo, compreendo as 2 partes.

Só tenho algo a acrescentar que vai a favor da visão de ambos indiretamente:

"Conheça a si mesmo e ganhará uma batalha em duas, conheça seus inimigo e ganhará uma batalha em duas. Conheça a si mesmo e a seu inimigo e ganhará todas as batalhas." Sun Tzu, A Arte da Guerra.

Conhecer a si mesmo. Ser senhor de si mesmo. O Verdadeiro Desafio.
abs

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Cherto

Mensagem  Convidad em Ter Dez 13, 2011 10:07 am

Eu sou daltônico em algum aspecto. Não diferencio tons de cor,embora diferencie as cores em si. Todo tom de azul claro é igual,vermelho escuro é igual,as vezes confundo cores diferentes,erro cores... é complicado. hehehehhell. Foi só uma força de expressão,mas ainda que fosse ao pé da letra,o mundo para mim é bem menos colorido que para as outras pessoas.
De fato chegamos a alguns denominadores comuns. Mas em relação as entidades,elas são como pessoas,como você bem disse. Só que pessoas que não serão presas se te encherem de porrada em determinado momento. Como pessoas,são imprevisíveis. Só são confiáveis se houver uma longa relação de conhecimento. É um assunto absurdamente complicado.

Eu sei que não foi ao pé da letra rs
Mas é assim que vivemos: não é só você que é daltônico, todos somos.
Aprendemos valores errados, somos tentados e corrompidos ao longo da vida e muita coisa já está na nossa cabeça quando nos damos conta do que queremos (isso quando se descobre o que se quer rs)

Mas sim, concordo que "relação" com entidades é algo absurdamente complicado.
Acredito que devemos saber do que temos a oferecer à Elas, para não se ficar achando que a divindade é TUDO e eu sou o NADA. Se Ela vem à você, ou se te ajuda de alguma forma, é porque você vale alguma coisa pra Ela, seja para um trabalho, ou para uma relação a longo prazo.

Eu acredito que a noção de passado, presente e futuro de uma forma 'linear' seja uma limitação nossa, e não deles. Mas eles precisam que nós façamos algumas coisas para que ocorra o que já aconteceu no que chamamos de futuro. É algo complicado de explicar aqui, mas acho que se deu para ter uma idéia rs

Sim,é bem isso. Mas não gostei muito das analogias que você fez. Falando diretamente,minimize os erros e chances de falhas. ISSO que é o importante. Minimizar a chance de dar merda... porque zerar essa chance é impossivel. Para morrer basta estar vivo.
Mas estamos lidando com ocultismo meu caro... a morte é só mais um passo - e há coisas bem piores que nos aguardam se errarmos.

Sim, como cada um fz para se "preparar" ou para "ficar mais forte" ou ainda "mais perceptivo", é de uma relatividade que só pode ser comparada de alguma forma com os resultados que gerarem.

A morte é só parte de um proceso. Final de um e início de outro. Acredito que ha um outro caminho a ser trilhado quando morremos aqui e nascemos "lá".
E ter contato com "lá" aqui, já se pode ter contatos, afinidades ou amizades (e também é possível, também, já nascer lá com inimigos ou entidades que você 'pisou na bola' a troco de nada rs). Enfim, apenas um pouco do que acredito.
Smile

Muitos dos magistas que evocam Astarte como aspecto de Astaroth,por não se depararem com um monstro horrendo acham que ela não pode de forma alguma ser TAMBÉM aquele monstro ou relacionam a beleza ou sensação agradavel de um ritual a uma deusa boazinha. Esse é o erro que explicitamos aqui.

Entendo. REALMENTE entendo.
Ela é uma Deusa amorosa, uma energia simplesmente agradável e gostosa, terna, quente. Mas que, por exemplo, gosta de vinho, e seu poder em certo momento, sem aviso, cresce como para mostrar "quem Ela É". É como uma mãe, uma mulher, mas ao mesmo tempo uma Rainha que exige respeito de qualquer um que se apresente ante Ela. Imagino o que acontece quando você ofende uma Rainha que se dispos a te dar esse amor. A morte talvez seja pouco...quem sabe um tempo em calabouços, quem sabe uma castração rs
Enfim, o lance é se ter consciência e agir com sinceridade, pois querer enganar ou 'tirar' proveito das divindades ou entidades é um erro que muito magista que trabalha com coerção e com aparatos ofensivos, acha que pode fzer, se esquecendo que no seu dia-a-dia, ele estará vulnerável em algum momento, mesmo com proteções.

Por mais que alguns ocultistas atirem pedras em mim por aí me taxando de "poser",eu não sou do tipo que gosta de meter o peito aberto para tudo que vem na frente. Sou muito cauteloso e meticuloso quanto a minhas práticas,além da mania de organização e "medidas de segurança". Ao menos nos rituais que eu faço sozinho ou em dupla ou trio. Quando há alguém mais experiente que eu,eu simplesmente prefiro ouvir aquela pessoa.

Não sou iniciante na bruxria, mas em fóruns pela internet, não tenho prática rs
Não sei o que está rolando ou o que rolou por aí rs
Mas agora estou aqui no forum, e tenho gostado das postagens e dos debates.
Portanto, o que vale pra mim é a experiência que estou tendo aqui, postando, lendo e debatendo.

Não gosto de conflitos virtuais, acho-os inúteis. É que nem discutir com alguém que você nem sabe quem é, por alguma coisa que você nem sabe se é verdadeiro.

Aqui no forum, falamos, até agora, de 'assuntos' e não de 'pessoas', o que pra mim está ótimo.
Smile

Quanto a sistema, cada um deve fazer aquilo que acredita, e ver seus próprios resultados. Em algum momento, a prática vem, mesmo que se estude em excesso ou menos do que deveria. Em qualquer caso, normalmente a 'coisa' começa a andar depois das primeiras experiências.

Esse é outro ponto onde nossas crenças vão em sentidos opostos. Eu não creio que entidades grandes se manifestem dessa forma ou "sugiram" ser evocadas dessa forma. Elas tem mais o que fazer que olhar para nós,aqui no físico.
Nesse ponto eu acho que ou é sugestão da própria pessoa ao sentir-se atraída pela entidade,ou uma entidade menor com intenções em relação a você se passando por uma entidade que você tenha afinidade de algum modo ou admiração.

Nesse ponto, sobre Belphegor, o sonho em si me diz algumas coisas (no sonho me falavam para invocá-lo, e me davam mais uma terminação, em hebraico, do "nome" dele, ou de uma referência), mas não posso afirmar nada ainda.
Ashtaroth, realmente, deu certo. E está dando muito certo ainda, mesmo eu tendo colocado uma situação com duas possibilidades distintas, ms que teria que ser uma das duas, e não meio termo, e não do jeito que estava. Putz, "a mulher" é boa! E ela sabe que terá muito retorno, e acredito ainda que em dobro, e a longo prazo também, se tudo continuar dando certo assim.
Mas essa é outra história rs

Todo ocultista "rato de livro" sonha em entrar lá... imagino o que deve ter... fora os objetos guardados por lá... manuscritos,pergaminhos,grimórios de Brujahs confiscados... Paraíso ocultista na sede do vaticano!hehehehhehell

É uma fantasia bem comum rsrsrs Deve ter materiais absurdos lá dentro! Antigos e documentos que fariam o conhecimento oculto ferver em todas as vias existentes e inexistentes!

A diferença é a chance de falha. Ao olhar a rua você minimiza a chance de ser atropelado. Ao usar proteções você minimiza a chance de se tornar brinquedo de tortura de entidade por uma eternidade´post mortem.

Exatamente. Concordo com isso. Ao que parece, só discordamos na "intensidade" dessas coisas. É como se eu bebesse água da torneira e você somente a do filtro. A chance de uma doença transmitida pela água, segundo você em relação a mim, é muito maior, pois as chances de se ficar doente bebendo água do filtro é mínima. Sò discordamos da intensidade e da prioridade, ao que parece.

É totalmente diferente controlar 200 pessoas que estão no mesmo plano que você,que tem medo de inumeras coisas que você conhece,de controlar 1 coisa que está e não está ali ao mesmo tempo e chegou acompanhada de baderneiros que você não consegue machucar,não sabe o que temem e sua unica chance agora é negociar... e nos termos deles. É bem complicado.

Não é ao pé da letra, claro. Imagina eu pegando um Demon de combate e ameaçando-o com violência? se tiver muita sorte ele só vai rir e, na pior das hipóteses, pode levar a sério a ameaça rs

Concordo com a parte de sacrificios e oferendas. Mas as entidades muitas vezes não querem ser chamadas. Não querem "contatos". Não querem saber do SEU valor. Elas querem um sacrifício,um templo,um adorno ou algo que ela recebia de seus adoradores. Aliás o que toda entidade quer é....

"O que elas querem" é bem relativo, assim como "de quem eles querem".

Os estudos servem para se ter uma idéia, a prática, para confirmar (ou para se aprender mais ainda). Mas sim, eles querem seus nomes, suas posições, seu reconhecimento e sua publicidade.
Aliás, fiz um trato uma vez, colocando como "prêmio" um sigilo feito do metal da Entidade, permanente, num altar e tal. Recusado. Depois, com Bune, ofereci um site e divulgação, e um espaço permanente num site que vou fazer, junto com outros também. A coisa foi bem mais aceita.
Dependendo da divindade, ela pode preferir divulgação pelo meio eletrônico do que um sacrifício!
Quando eu pensei sobre, achei absurdo.
Mas é um ponto a se pensar, pelo que nós podemos fazer e pelo que eles não podem fazer sozinhos.

O site que fiz para Bune, gerou outras pessoas interessadas nele enviando mensagens pelo site, as quais respondi de bom grado. Agora, acredito que cada divindade tenha suas preferências. Algumas, quem sabe, prefira sacrifícios de sangue ao invés de divulgação. Outras, dor ou energia sexual ao invés de sigilos pomposos...ha inúmeras possibilidades que só sabemos MESMO quando entramos em contato...

Desculpe-me,mas é que cada vez que leio a palavra "goéticos" me dá nos nervos. Já vi relatos de pessoas que tentaram conjurar daemons por outros sistemas,e só por aquele daemon se encontrar na lista,elas disseram por aí que fizeram goétia. Não me referi a você.

Entendo.
Na realidade, usei de 'goécia' apenas pela força de expressão mesmo. Mas se for ver ao pé-da-letra, não uso o sistema em si e nem o faria, mas preisei estudá-lo para entender seus conceitos e para minhas práticas. Até porque, meus resultados não 'batem' com os do sistema do Lemegeton. Só parece que descobri algo novo, e muito melhor do que esperava.

Dependendo da frequencia da entidade é nociva sim,em questão de acabar influindo na sua vida. Uma evocação de Lilith pode deixá-lo mais promíscuo (o que é um problema se você for comprometido) e uma evocação a Asmodey pode diexa-lo mais agressivo,o que é sempre um problema... Da mesma forma que uma sobrecarga de elementos,a energia que flui da entidade também sobrecarrega o magista,alterando até mesmo aspectos físicos. O círculo também impede isso.

Sim, entendo.
Energia existe e vem quando você invoca a entidade. Ela é feita disso. Esse é o domínio dela. cabe ao mgista usar seus métodos para resistir (se precisar), se proteger e/ou moldar ou DIRECIONAR (o que eu acho mais importante) com certa maestria, para não ficar a mercê daquilo.
É algo realmente complicado e todos os tratados e ordens possuem seus métodos e precauções quanto a esses fatores.

Não preciso dizer que este deus em especial é meu favorito não é?hehehehehell.
Entre outros claro... não gosto só do "darkside" das coisas. A contraparte boa dele também é dos meus favoritos.

Partes Darksides são lindas. É estranho num certo ponto de vista, mas é isso que sinto. Smile

Até onde eu estudei,uma conjuração é definida de 2 formas,e nada além destas: Ou você chama uma entidade até você,ou você vai até onde uma entidade está.

Também dá para se ir até um lugar e chamá-la lá. Algum local nem aqui e nem lá. Tem dado certo sempre comigo. Vou num lugar onde crio um espaço de poder para mim e lá fica como ponto de encontro entre ambas as partes. Defino o espaço e o traço com invocaçõies, 'rasgando' o véu entre os mundos, depois chamo a entidade para lá. Até agora, só tem melhorado rs

Novamente,não me referi a ninguém em especial. Mas já vi uma gama enorma de ocultistas que trabalha de uma forma que só pode ser descrita assim. "A moda boi". O cara faz o que quer,altera o que quer,sem consultar nada e nem ninguém,evoca com um sigilo na tela do pc e sai dizendo que é foda e que evoca todos os "demonios goéticos" facilmente.
Sem palavras quanto a isso...

Essa da tela do PC foi forte...
Eu li isso em algum lugar na net e ri sozinho...acho que tinh algum lance de um besouro que voou em frente ao PC. hahaha Esse daí ganhou o prêmio rs

Já expliquei os aspectos da "manipulação" neste mesmo post,mais ali em cima. Agora,a pergunta que lhe faço nessa sua visão de ver as coisas é: O que você tem a oferecer para uma divindade?Mais além,o que você tem de tão importante para uma divindade de forma que ela vá até você te propor um acordo?

Nesse caso, eu sei que tenho muito a oferecer as entidades que tem aquilo que desejo ou preciso, principalmente no meu caminho.
Não são somentes acordos. Também entra no fato de eu não esquecê-los e incluí-los no meu caminho e na minha vida, se tudo correr bem. Eu credito em descendência divina e no poder esquecido que herdamos e que insistimos em lembrar e reaprender.
Sei que coisas simples, como uma divulgação, que pode dar bons resultados (e que já dá, mesmo com esses testemunhos toscos pela net rs) é algo que eles não podem fazer sozinhos, e que isso garnte seus nomes vivos para a humanidade.
Mas não é somente isso que posso oferecer.
As possibilidades são muitas e acredito que todos temos nossos caminhos e papéis, até mesmo as entidades e também os Deuses. Ninguém está parado, tudo está em movimento.

Não é simplesmente se achar "gostosão", isso é prato cheio para a queda. É ter consciência daquilo que se vive e acredita. Se achando "pequeno", Deus algum vai reconhece valores. Se achando grande de maneira vaidosa, Deus algum vai levar a sério. Mas sabendo que temos fogo dentro de nós, e que esse fogo é o mesmo dos Deuses, a coisa muda de figura. Pois aí você os reconhece pelo que são, e não pelo que você teme ou quer. E esse reconhecimento é devolvido (o que pode mudar de divindade para divindade, ao meu ver). Você passa a ser respeitado, mas deve começar respeitando e dando retorno aos sinais.
No mundo em que vivemos, achar a si mesmo digno, é pecado, é soberba. Se achar miserável parece ser prova de virtude. Vai entender o que se passa. Humildade, hoje em dia, parece o mesmo que baixa-estima rs
Não sei se passei bem a idéia.

A intensidade da queda,o que vai rolar quando você tiver no chão e as chances de você cair em uma hora ruim são os pontos importantes. Erros todos cometemos e todo mundo se ferra. O problema são os que citei agora... rs

Sobre os que você citou, quem sabe a curto, médio ou a longo prazo, não podemos ter alguns resultados?
Wink

Do ocultismo em geral,mas quando se trata de evocação de entidades,os riscos aumentam e o aviso deve ser frisado.

Já soube de gente que se ferrou só invocando o elemento "fogo" dentro de casa e as coisas todas começaram a queimar rs
É complicado rs
Mas sim, se trabalhndo com entidades, as possibilidades são inúmeras e até mesmo, imprevisíveis em muitos pontos.

A diferença é que na vida você morre. No astral você não morre denovo. E a eternidade pode ser bem pior.

Não comparo aqui e lá. Acredito que não deve ser muito diferente, no final das contas e, que ha mais caminhos depois que passamos por isso. Nascer e Morrer: coisas que acredito serem constantes, de várias formas e não só fisicamente.

Acho que a frequencia da entidade também conta MUITO. Uma entidade relacionada a sexo,a menos que esteja em um dia ruim,aparecerá lasciva. Em um dia ruim ela pode se manifestar querendo lacerar seus genitais. Agora,o que é um "dia ruim" para uma entidade?Só elas sabem.

Algumas informações nós temos, como planetas retrógrados, dias específicos, horários ruins, dados astrológicos, calendários com certas datas...enfim, fazemos o que é possível e esperamos não topar com ninhuma Deusa do amor "naqueles dias" rs

abs

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

hahahaha

Mensagem  Convidad em Ter Dez 13, 2011 10:11 am

porque deram a ele a dica errada de como agradar uma entidade e ele achou que colocando no seu perfil de orkut "obrigado Astaroth" a entidade ficaria feliz.

hahaha
muito bom rs

Essa de omitir as velas e o punhal/espada eu vi muito a uns anos no blog da ally. Havia um chat que o pessoal falava cada coisa absurda. Inclusive um que afirmava ter "evocado Astaroth com o sigilo na tela do notbook,sem traçar círculo e sem precisar de material nenhum a mais."

Mais um na tela do PC? Prático não?
daqui a pouco vamos sacrificar algo para as entidades, clicando em Shift+Del, excluindo arquivos e sacrificando-os aos Daemons rs

Só pontos que não tive como resistir rs
abs

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Goétia,Clavículas de Salomão e Lemegeton

Mensagem  sanzo em Ter Dez 13, 2011 12:52 pm

Mais um na tela do PC? Prático não?
daqui a pouco vamos sacrificar algo para as entidades, clicando em Shift+Del, excluindo arquivos e sacrificando-os aos Daemons rs

Só pontos que não tive como resistir rs

Eu ri....

E lembrei de um comentário onde o cara dizia:

Eu tava afim de fazer a evocação e não tinha a "varinha da arte", peguei a colher de pau da mamãe =====O, cortei a aparte da pá ======, entolei um fio de cobre.... Shocked e pronto... fui evocar...

hauhuahuhauhau....

avatar
sanzo
Iniciado na Arte
Iniciado na Arte

Mensagens : 48
Data de inscrição : 09/12/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Goétia,Clavículas de Salomão e Lemegeton

Mensagem  Andarilho do Horizonte em Ter Dez 13, 2011 10:45 pm

[quote="sanzo"]

E lembrei de um comentário onde o cara dizia:

Eu tava afim de fazer a evocação e não tinha a "varinha da arte", peguei a colher de pau da mamãe =====O, cortei a aparte da pá ======, entolei um fio de cobre.... Shocked e pronto... fui evocar...

hauhuahuhauhau....


KKKKKKKKKKKKKKKK

Assim, até Ana Maria Braga vira magita! Very Happy
avatar
Andarilho do Horizonte
Magus

Mensagens : 217
Data de inscrição : 07/12/2011

http://www.reflexosdohorizonte.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Goétia,Clavículas de Salomão e Lemegeton

Mensagem  sanzo em Qua Dez 14, 2011 11:03 am

[quote]
sanzo escreveu:

E lembrei de um comentário onde o cara dizia:

Eu tava afim de fazer a evocação e não tinha a "varinha da arte", peguei a colher de pau da mamãe =====O, cortei a aparte da pá ======, entolei um fio de cobre.... e pronto... fui evocar...

hauhuahuhauhau....

KKKKKKKKKKKKKKKK

Assim, até Ana Maria Braga vira magita!

Engraçado, porém triste!
Nós rimos... Mas infelizmente esse tipo de "magista" existe, e denigre a classe... Imbui descrédito aos estudos empreendidos por nós...
avatar
sanzo
Iniciado na Arte
Iniciado na Arte

Mensagens : 48
Data de inscrição : 09/12/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Goétia,Clavículas de Salomão e Lemegeton

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 3 Anterior  1, 2, 3  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum