INFLUÊNCIAS DAS CIVILIZAÇÕES PRÉ-BÍBLICAS EM ALGUNS CONCEITOS NA CULTURA JUDAICO-CRISTÃ

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

INFLUÊNCIAS DAS CIVILIZAÇÕES PRÉ-BÍBLICAS EM ALGUNS CONCEITOS NA CULTURA JUDAICO-CRISTÃ

Mensagem  Richard Wizard em Ter Dez 17, 2013 8:21 am

Bom pessoal, isso aqui não é mais novidade alguma, em termos comparativos, entre uma cultura e outra, quando se fala em lendas, mitos, cosmogonia, símbolos, e personagens que aparecem em escritos sagrados. Estou aqui, apenas para registrar algumas coisas interessantes, que até mesmo, chegam a ser, um tipo de informação a mais, para alguns que aqui se encontram.

Gilgamesh


Existem ainda muitas outras histórias e lendas que têm seus reflexos na Bíblia, como o Épico de Gilgamesh, no qual o herói de mesmo nome é feito de terra por um deus e, após ser tentado por uma mulher, é expulso de uma espécie de paraíso em que vivia. No mesmo épico, vemos a história de um homem que recebe orientações de uma divindade para construir um barco, porque viria um grande dilúvio. Alguns salmos podem ter tido influência do culto de Baal; e existem ainda mais influências do Zoroastrismo no livro de Isaías, sem falar nas influências do Mitraísmo no Novo Testamento. Quando não se leva em consideração estas influências, pode surgir uma interpretação fundamentalista e extremista do texto bíblico, que a tem como a verdade última e segrega e demoniza outras culturas que, inclusive, podem ter influenciado a formação da própria Bíblia.
Angra Mainyu x Satã

O Zoroastrismo ou Mazdeísmo é uma antiga religião iraniana que acreditava que o mundo foi criado por um deus responsável pelo bem, Ahura Mazda, antagonizado por Angra Mainyu, a origem do mau. É basicamente uma religião dualista, embora a força do criador Ahura Mazda seja superior à do seu opositor. Durante o cativeiro na Babilônia, o povo hebreu esteve em contato com a religião Mazdeísta e foi influenciada por esta, assim como também a influenciou. O livro de Jó foi escrito aproximada mente nessa época.
No Antigo Testamento, especificamente antes do livro de Jó, a palavra “satã” (que significa “opositor” ou “inimigo”) é usada algumas vezes, mas elas se referem a inimigos humanos. Em Jó aparece pela primeira vez um ser que é filho e servo de Deus e faz parte de um conselho divino. Este ser que também é chamado de “promotor” desafia Deus, colocando Jó na miséria para testar sua fé. É a primeira passagem que podemos ver um opositor divino com grandes poderes, influência direta da filosofia dualista do Mazdeísmo durante o cativeiro na Babilônia.
As 42 confissões negativas x 10 mandamentos

Segundo a história bíblica, Moisés era um hebreu que foi criado como príncipe no Egito. Se isso é verídico, com certeza ele tinha conhecimento dos costumes e culturas daquele povo, incluindo o Livro dos Mortos. Este livro egípcio era um guia para a travessia no mundo dos mortos até o julgamento final por Maat e nele encontram-se as 42 confissões negativas, das quais é impossível não traçar um paralelo com os 10 mandamentos. As confissões negativas eram frases que o viajante do mundo dos mortos deveria dizer a cada um dos 42 deuses pelos quais tinha que passar. Entre as negativas, encontramos “eu não blasfemei contra deus”, “Eu não matei homem ou mulher”, “eu não roubei”, “não adulterei com a mulher de homem algum”… Embora a bíblia nos diga que Moisés recebeu os 10 mandamentos diretamente de deus, é bem possível que ele apenas tenha se baseado nas confissões negativas para elaborar os mandamentos judaicos, de maneira mais “enxuta”. Curiosidade: apesar de os egípcios possuírem diversos deuses, eles não eram politeístas: eles acreditavam em apenas um deus-essência, que se manifestava através de formas diferentes, os diferentes deuses. Por isso a confissão “eu não blasfemei contra deus” com “deus” no singular, não no plural.

Instruções de Amenemope x Provérbios

As “Instruções de Amenemope” é um texto egípcio escrito entre 1300-1075 a.C. com 30 capítulos de conselhos para uma vida correta. Muitos estudiosos concordam sobre a grande influência que esse texto teve sobre o livro de Provérbios da Bíblia, já que podemos ver que alguns trechos de Provérbios são praticamente uma versão reescrita do livro egípcio, como esta:
“Inclina o teu ouvido e ouve as palavras dos sábios, e aplica o teu coração à minha doutrina, porque é agradável, se tu mantê-los em teu ventre, para que possam ser estabelecidas em conjunto sobre teus lábios” (Provérbios 22:17-18)

“Dá o teu ouvido e ouve o que eu digo, e aplica o teu coração para apreender; É bom para ti para colocá-los no teu coração, deixe-os descansar na caixa do teu ventre, para que eles possam agir como uma estaca sobre a tua língua” (Amenemope, cap 1)
Rituais de Osíris x Santa Ceia

No antigo Egito existia o mito de Osíris, o Deus Sol, que tinha como inimigo o maligno deus Seth. Na mitologia desse povo, Seth armava uma armadilha para Osíris, o capturava e esquartejava, depois disso jogava as partes no rio Nilo. Ísis, a deusa esposa de Osíris, fazia uma viagem heroica para recuperar as partes de seu amado. Depois de reconstituí-lo, Ísis magicamente o traz de volta à vida e juntos geram um filho, Hórus. (fonte: Wikipedia)
O mais interessante sobre este mito é a forma como ele era celebrado naquela sociedade. Era uma festividade de 7 dias, em que nos 3 últimos dias se celebrava a morte de Osíris, seguido de um dia de “luto” e no terceiro dia ele ressuscitava – então os sacerdotes ofereciam pão e cerveja para o povo, simbolizando o corpo e o sangue de Osíris. Já viu esta história em algum lugar? O documentário “A História Oculta de Jesus” apresenta uma entrevista com uma egiptóloga que revela essas informações, de que histórias de deuses que ressuscitavam eram muito comuns no Egito antigo.
É curioso ver que a própria Bíblia diz que Jesus teria ido para o Egito, nos evangelhos. Estima-se que o primeiro evangelho, o de Mateus, teria sido escrito entre 70 e 115 d.C.  e, segundo o documentário supracitado, o cristianismo teria chegado ao Egito ao redor de 60 d. C., ou seja,  ANTES dos evangelhos serem escritos. É possível que a passagem bíblica da santa ceia, em que Jesus reparte pão e vinho simbolizando seu corpo e sangue, tenha sido incluída para facilitar a conversão dos crentes egípcios. O próprio Paulo de Tarso assumiu: “Tornei-me tudo para com todos, para de alguma forma salvar alguns” (1 Coríntios 9:22). Ou seja, é possível que essa “pequena adaptação” tenha sido feita para ganhar mais adeptos no Egito.
Além disso, vigorou entre os séculos I e IV depois de Cristo (ou seja, simultaneamente ao nascimento do cristianismo) a religião romana do Mitraísmo, que tinha o ritual de comunhão com pão e água e uma cerimônia de iniciação muito semelhante ao batismo, onde o iniciado recebia um banho e era marcado na fronte.


Última edição por Richard Wizard em Ter Jul 21, 2015 4:19 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Richard Wizard
Moderador

Mensagens : 127
Data de inscrição : 16/05/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: INFLUÊNCIAS DAS CIVILIZAÇÕES PRÉ-BÍBLICAS EM ALGUNS CONCEITOS NA CULTURA JUDAICO-CRISTÃ

Mensagem  Neo em Ter Dez 17, 2013 2:45 pm

Richard Wizard escreveu:
Angra Mainyu x Satã

O Zoroastrismo ou Mazdeísmo é uma antiga religião iraniana que acreditava que o mundo foi criado por um deus responsável pelo bem, Ahura Mazda, antagonizado por Angra Mainyu, a origem do mau. É basicamente uma religião dualista, embora a força do criador Ahura Mazda seja superior à do seu opositor. Durante o cativeiro na Babilônia, o povo hebreu esteve em contato com a religião Mazdeísta e foi influenciada por esta, assim como também a influenciou. O livro de Jó foi escrito aproximada mente nessa época.

No Antigo Testamento, especificamente antes do livro de Jó, a palavra “satã” (que significa “opositor” ou “inimigo”) é usada algumas vezes, mas elas se referem a inimigos humanos. Em Jó aparece pela primeira vez um ser que é filho e servo de Deus e faz parte de um conselho divino. Este ser que também é chamado de “promotor” desafia Deus, colocando Jó na miséria para testar sua fé. É a primeira passagem que podemos ver um opositor divino com grandes poderes, influência direta da filosofia dualista do Mazdeísmo durante o cativeiro na Babilônia.

A antiga religião dos persas montou suas crenças com base nas crenças de outros povos que entravam em contato.
com um pedaço daqui e outro dalí o zoroastrismo nasceu, ele por sí só já era uma copia de preceitos alheios, coisas que julgavam fazer sentido e eram adicionadas ao seguimento.
A cultura judaico-cristã seguiu a mesma linha porém com alguns objetivos adicionais.

_________________
''... Porque meras paredes e janelas,
não demoram a conduzir à loucura
um homem que sonha e lê muito..."
Azathoth - H.P. Lovecraft
avatar
Neo
Moderador

Mensagens : 196
Data de inscrição : 10/07/2011
Localização : Rio Grande do Sul

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: INFLUÊNCIAS DAS CIVILIZAÇÕES PRÉ-BÍBLICAS EM ALGUNS CONCEITOS NA CULTURA JUDAICO-CRISTÃ

Mensagem  Richard Wizard em Ter Dez 17, 2013 3:22 pm

Muito bom os acréscimos!  Twisted Evil 
avatar
Richard Wizard
Moderador

Mensagens : 127
Data de inscrição : 16/05/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: INFLUÊNCIAS DAS CIVILIZAÇÕES PRÉ-BÍBLICAS EM ALGUNS CONCEITOS NA CULTURA JUDAICO-CRISTÃ

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum