Oração a Deusa Hécate

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Deusa Hécate.....

Mensagem  Convidad em Qua Jul 18, 2012 11:15 am

Hécate era uma divindade nocturna, da vida e da morte. Era chamada de “A Mais Amável”, “Rainha do Mundo dos Espíritos”, “Deusa da Bruxaria”.
Era a mais antiga forma grega da Deusa Tríplice, que controlava o Paraíso, o Submundo e a Terra.
É uma Deusa tricéfala grega, Deusa da Lua Minguante, guardiã das encruzilhadas, senhora dos mortos e rainha da noite. Ela era homenageada com procissões em que se carregavam tochas e oferendas para as conhecidas "ceias de Hécate".
É conhecida como uma Deusa "escura" por seu poder de afastar os espíritos maléficos, encaminhar as almas e usar sua magia para a regeneração. Invocava-se a sua ajuda em seu dia (13 de Agosto) para afastar as tempestades que poderiam prejudicar as colheitas.
Especialmente para os trácios, Hécate era a Deusa da Lua, das horas de escuridão e do submundo. Parteiras eram ligadas a ela. Era conhecida entre as Amazonas como a Deusa da Lua Nova, uma das três faces da Lua e regente do Submundo.
A lenda não é clara quanto à sua origem. Alguns mitos dizem que Hécate era filha dos titãs Tártaros e Noite; outras versões dizem ser de Perseus e Astéria (Noite-Estrelada), ou de Zeus e Hera. Sabemos que seu culto não se originou na Grécia. Lendas de Hécate eram contadas por todo o Mediterrâneo.
No início, Hécate não era uma Deusa ruim. Após a queda do matriarcado, os gregos a cultuavam como uma das rainhas do Submundo e governante da encruzilhada de três caminhos.
Um de seus animais sagrados era a rã, um símbolo da concepção. Era chamada de A Deusa das Transformações, pois regia várias passagens da vida, e podia alterar formas e idades. Outro animal sagrado era o cão.
Hécate era considerada como o terceiro aspecto da Lua, a Megera ou a Anciã (Portadora da Sabedoria). Os gregos chamavam-na de A Megera dos Mortos. Aliada de Zeus, ela era acompanhada por uma matilha de lobos.
Como aspecto da deusa Amazona, a carruagem de Hécate era puxada por dragões. Outros de seus símbolos eram a chave e o caldeirão. As mulheres que a cultuavam normalmente tingiam as palmas de suas mãos e as solas dos pés com hena. Seus festivais aconteciam durante a noite, à luz de tochas. Anualmente, na ilha de Aegina no golfo Sarônico, acontecia um misterioso festival em sua honra.
Essa era uma Deusa caçadora que sabia de seu papel no reino dos espíritos; todas as forças secretas da Natureza estavam sob o seu controle. Os gregos e trácios diziam que ela controlava o nascimento, a vida e a morte.
Hécate era considerada a patrona das sacerdotisas, Deusa das feiticeiras. Estava associada à cura, profecias, visões, magia, Lua Minguante, encantamentos, vingança, livrar-se do mal, riqueza, vitória, sabedoria, transformação, purificação, escolhas, renovação e regeneração.
Como Senhora da Caçada Selvagem e da feitiçaria, Hécate era a princípio uma divindade das mulheres, tanto para cultuar como para pedir auxílio, e também para temer caso alguém não estivesse com sua vida espiritual em ordem.

*Fonte: Herculano Pires*

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Alguma informações uteis sobre Hécate...........

Mensagem  Convidad em Qua Jul 18, 2012 11:18 am

Ervas:
salgueiro, teixo, mandrágora, cíclame, menta, cipreste, tamareira, gergelim, dente-de-leão, alho, carvalho, cebola.

Elementos: água e terra

Cores: preto, azul, vermelho, branco, dourado, cinza.

Pedras: ônix, turmalina negra.

Dia da semana: sábado ou segunda-feira

Mês do ano: Agosto

Dias de honra a Hécate:
31/01, 27/02, 04/03, 13/08, 21/09, 31/10, 01/11, 07/11, 16/11.

Festas de Hecate: Hécate era adorada tanto pelos gregos como pelos romanos, e tinham suas próprias festas dedicadas a ela. Segundo Ruickbie, os gregos guardavam dois dias consagrados a Hécate, um o 13 de Agosto e outro o 30 de Novembro. Os romanos consideravam o 29 de cada mês consagrado a ela.

Lua: minguante e nova (luas negras)

Associações: trabalhos psíquicos, mistérios e segredos profundos e escondidos, predição, feitiços e transes

Animais: mariposa, cão, loba.

Fonte: Druidas.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Outros Nomes Destinados Hécate

Mensagem  Convidad em Qua Jul 18, 2012 11:19 am

Nomes e epítetos de Hecate

Ctonia (Χθονια, ‘da terra’)
Crateis (‘poderosa’)
Enodia (Ενοδια, ‘dos caminhos’)
Antania (‘inimiga da humanidade’)
Curótrofa (Κουροτροφος, ‘ama dos jovens’)
Artemisia das encruzilhadas
Propylaia (‘[a que está] adiante da porta’)
Propolos (‘a que dirige’)
Phosphoros (‘que traz a luz’)
Soteira (‘salvadora’)
Prytania (‘rainha dos mortos’)
Trioditis (grego) ou Trivia ( latim, ‘dos três caminhos’)
Klêidouchos (‘guardiã das chaves’)
Tricéfala ou Tríceps (‘de três cabeças’)
Triformis (‘de três formas’)

Fonte: Sedentários Druidas.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Outras Versções de Hécate.........

Mensagem  Convidad em Qua Jul 18, 2012 11:21 am

A triplicidade de Hécate mostra seu domínio sobre três mundos, que penetra e une os três reinos: Céu, Terra e Inferno.

Deusa das encruzilhadas
Hécate tinha um papel especial nas encruzilhadas de três caminhos (ou trivios), onde os gregos situavam postes com máscaras da cada uma de suas cabeças olhando em diferentes direcções.
A função de Hécate nas encruzilhadas provém de sua esfera original como deusa das terras selvagens e as zonas inexploradas. Isto levava a realizar sacrifícios para viajar com segurança por estes territórios. Este papel tem relação com o de Hermes, deus das fronteiras.
Hécate é a versão grega da Trivia (‘três caminhos’) da mitologia romana. No século VII, Elegio acostumava a recordar em sua recém convertida congregação de Flandres: que nenhum cristão deveria prestar ou guardar devoção alguma aos deuses dos trivios, onde três caminhos se cruzam, aos faunos ou as rochas, ou fontes ou arboledas ou esquinas.
Hécate era a deusa que aparecia com mais frequência em textos mágicos como os papiros mágicos gregos e as defixios, junto com Hermes.

Rainha das bruxas
Nos oráculos caldeus que foram editados em Alexandría, foi também associada com um labirinto serpentino ao redor de uma espiral, conhecido como roda de Hécate (o Strophalos de Hécate, verso 194 da tradução de 1836 de Isaac Preston Cory). O simbolismo alude ao poder da serpente para renascer, ao labirinto de conhecimento através do qual Hécate guia à humanidade e ao lume da própria vida: Os seios produtores de vida de Hécate, esse Lume Vivente que se viste a si mesma de Matéria para manifestar a Existência (verso 55 da tradução de Cory dos oráculos caldeos).
Em O Evangelho das Bruxas compilado por Charles Leland (1899) descrevem-se os remanescentes de uma tradição de bruxaria italiana, incluindo um culto a Diana parecido ao de Hécate. É discutível se o Alvo representado na obra de Leland é em realidade Hécate ou não. Ainda que Diana costuma ser muito identificada com Artemisa, não se representa em O evangelho como a do culto romano. Por exemplo, diz que Diana sempre tem um cão a seu lado, sendo Hécate famosa por sua relação com os cães.

Rainha dos mortos
Rainha dos Fantasmas é um título associado com Hécate devido à crença de que podia tanto evitar que o mau saísse do mundo dos espíritos, como também permitir que dito mau entrasse. Hécate, pois, tinha um papel e poder especial nos cemitérios. Guarda os caminhos e caminhos que se cruzam. Sua associação com os cemitérios também teve muita importância na ideia de Hécate como Deusa Lunar.
As folhas do álamo negro são escuras por uma cara e claras pela outra, simbolizando o limite entre os mundos. O teço tem estado associado desde faz muito no Infra-mundo.

Fonte: Herculano Pires.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Seus Símbolos - Deusa Hécate

Mensagem  Convidad em Qua Jul 18, 2012 11:27 am


Os símbolos de Hécate são:
- as tochas que nos iluminam e nos guiam pela escuridão,
- a chave que abre os portais entre os mundos,
- o açoite que disciplina e purga,
- o punhal que corta o ar do círculo mágico, e
- o prato de libação cheio de um elixir misterioso.

A triplicidade de Hécate mostra seu domínio sobre três mundos, que penetra e une os três reinos: Céu, Terra e Inferno.

"Eu lhe exalto, adorável triforme Hécate Enodia”,
velada em açafrão, de Céu, Terra e Mar,
que celebra a Bacanália na tumba,
com as almas dos mortos;
filha de Perses, amante de solidão, honrada com bolos,
noturna, protetora dos cães, soberana invencível,
anunciada pelo rugido das bestas selvagens,
rainha portadora das chaves de todo o cosmos".
(Hino Órfico à Hécate).

Fonte: Herculano Pires.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

As Faces de Hécate

Mensagem  Convidad em Qua Jul 18, 2012 11:29 am

Hécate é o arquétipo mais incompreendido da mitologia grega. Ela é uma Deusa Tríplice Lunar vinculada com o aspecto sombrio do disco lunar, ou seja, o lado inconsciente do feminino. E, representa ainda, o lado feminino ligado ao destino. Seu domínio se dá em três dimensões: no Céu, na Terra e no Submundo. Hécate é, portanto, uma Deusa lunar por excelência e sua presença é sentida nas três fases lunares.

A Lua Nova pressupõe a face oculta de Hécate, a Lua Cheia vai sendo aos poucos sombreada pelo seu lado escuro, revelando o aspecto negativo da Mãe. E a Lua Minguante revela seu aspecto luminoso. É preciso morrer para renascer.

Esta Deusa ainda permanece com o estigma de ser uma figura do mal. Essa percepção foi particularmente consolidada na psique ocidental durante o período medieval, quando a igreja organizada projetou este arquétipo em simplórias pessoas pagãs do campo que seguiam seus antigos costumes e habilidades populares ligados a fertilidade. Estes indivíduos eram considerados malévolos adoradores do “demônio”. Hécate era então, a Deusa das bruxas, Padroeira do aspecto virago, mas nos é impossível termos uma imagem clara do que realmente acontecia devido às projeções distorcidas, aos medos íntimos e inseguranças espirituais destes sacerdotes e confessores cristãos.
Em épocas primevas, antes do patriarcado ter se estabelecido, é mais fácil descobrir a essência interior do arquétipo Hécate e relacionar-se com ele. Hécate está vinculada com as trevas e com o lado escuro do Lua. A Lua, na verdade, não possui luz própria. A luz que se projeta na Lua é a luz solar. Logo, a Lua Cheia é a Lua vista pela luz do Sol. A Lua Nova Negra é, portanto, a verdadeira face da Lua.
Hécate costuma ser considerada uma Deusa lunar tríplice: Àrtemis, a virgem, personificava a Lua Crescente que renascia; Hécate personifica a escura Lua Nova e Selene, ou Deméter, eram a Lua Cheia. Ou, como as forças da Lua em vários reinos: Selene no Céu, Ártemis na Terra e Hécate no Mundo Inferior.

Sófocles retrata a Ártemis a imagem e semelhança de Hécate, quando a denomina a "flecheira dos cervos, a que porta uma tocha em cada mão". Em Áulide havia duas estátuas de pedra de Ártemis, uma com arco e flecha e outra com tochas. Parece como se a Deusa originária da lua contivesse o aspecto escuro e luminoso em uma só unidade.

Hécate seria uma projeção de Ártemis, pois a luz pressupõe a sombra. O lado visível da Lua, o lado de Ártemis, que reflete a vida em pleno vigor, pressupõe o lado de Hécate, o lado oculto da lua, o lado da sombra e da morte; a polaridade negativa, o impedimento para a realização, o lado inconsciente.

O perigo que pode ocorrer quando esse lado sombrio se constela é o de que a energia psíquica seja posta a serviço da morte e da doença.

Hécate, Rainha da Noite, como a chama a poetisa Safo, leva uma diadema brilhante e duas tochas ardentes nas mãos, olhos resplandecentes da escuridão. Talvez se trate de uma imagem da intuição que presente à forma das coisas, mas que todavia, é invisível. Isso explicaria por que, junto com Hermes, deus da imaginação, é guardiã das cruzes dos caminhos, onde não se sabe qual é a direção "correta". Seus companheiros eram os cães, animais que seguem uma rastro "cegamente". Nos lembra o chacal Anubis do submundo egípcio, que podia distinguir o bom do mal, e o Cérbero, o cão de três cabeças que guardava as portas do submundo da antiga Grécia.

Hécate nos revela, os caminhos mais escondidos e secretos do inconsciente, os sonhos guardados, o lado dos desejos mais ocultos. A Lua Crescente, com suas fases clara e escura, também nos sugere esse domínio do feminino.

O lado de Hécate ainda, traz um potencial para a fertilização, desde que seja encaminhado para este fim. A doença pode ser uma via para a saúde e a morte para servir de adubo para a vida.

O feminino tem um movimento livre dentro do reino oculto. O terreno da magia pertence ao feminino. O masculino está ligado aos aspectos mais claros, mais visíveis, mais objetivos. O campo de ação da ciência pertence ao reino masculino.

Hécate é a Deusa que pode conduzir aos caminhos mais difíceis e perigosos, aos abismos e às encruzilhadas da própria psique. A sua função é de guia dentro do reino oculto da alma.

A Terra é o grande inconsciente uterino de onde brota toda a semente. É também o lugar para onde tudo retornará. Nesse inconsciente crônico a vida e a morte coexistem em um mesmo processo cíclico. Deste modo, o "ser" e o "não ser" podem viver sem conflito.

Hécate é uma antiga Deusa de estrato pré-grego de mitos. Os gregos tiveram dificuldade em enquadrá-la em seu esquema de Deuses, mas terminaram por vê-la como filha dos titãs Perseus e Astéria, Noite Estrelada, que era irmã de Leto, que por sua vez, era mãe de Ártemis e Apolo. A avó de Hécate era Febe, uma anciã titã que personificava a Lua. Dizia-se que Hécate seria uma reaparição de Febe, e portanto uma Deusa Lunar, que se manifestava na lua escura.

Outras tradições tomaram-na por uma Deusa mais primal, fazendo dela irmã de Erebo e de Nix (a Noite).

Zeus deu-lhe um lugar especial entre os Deuses, porque, embora ela não fosse membro do grupo olímpico, permitiu-lhe o domínio sobre o Céu, a Terra e o Mundo Inferior. Ela é, pois, a doadora da riqueza e de todas as bênçãos da vida cotidiana.

Na esfera humana, cabia-lhe presidir os três grandes mistérios do nascimento, da vida e da morte. Seu nome significa "a distante, a remota", sendo ela vista como protetora dos lugares remotos, guardiã das estradas e dos caminhos.

Seu aspecto tríplice tornava-a especialmente presente nas encruzilhadas, ou seja, na convergência de três caminhos. Nesses locais, os gregos podiam encontrar-se com facilidade com Hécate, razão por que os consideravam sagrados, erigindo aí com freqüência estátuas tricéfalas chamadas Hecatéias. Também deixavam oferendas do seu alimento ritual, o "almoço de Hécate", nessas encruzilhadas durante seus festivais especiais.

Os três símbolos sagrados de Hécate são:
- a Chave, por ser ela carcereira do Mundo Inferior;
- o Chicote, que revela o seu lado punitivo e seu papel de condutora das almas;
- e o Punhal, símbolo de seu poder espiritual, que mais tarde tornou-se o Athame das bruxas.

Todos os animais selvagens eram consagrados à Hécate e por isso, foi mostrada muitas vezes com três cabeças de animais: o cão, a serpente e o leão, ou alternadamente, o cão, o cavalo e o urso. Seus animais mais conhecidos são entretanto, o cão e o lobo.

O cipreste era a árvore sagrada da Deusa.

Na mitologia grega, Hécate, como representação da Lua Escura, aparece sempre acompanhada por cães que ladram. Como Deusa Tríplice, podia aparecer na representação de um cão com três cabeças (cão da lua), para lembrar de que em eras passadas ela própria era o cão da lua. Sua qualidade trina é representada também em estátuas posteriores, onde aparece como mulher tripla. Freqüentemente carregava consigo o cão que ela própria havia sido, ou uma tocha, emblema lunar, que é seu poder de fertilidade e seu dom especial.

No Submundo, ou Mundo Inferior, Hécate é a carcereira e condutora das almas, a Pritânia, a "Rainha Invisível" dos Mortos. Tendo passado por Cérbero, o cão tricéfalo, e tendo sido julgadas pelos três Juízes dos Mortos (Minos, Radamando e Éaco), as almas devem chegar às encruzilhadas tríplices do Inferno. Nesse ponto, Hécate envia ao reino para o qual foram julgadas adequadas: para as campinas do Asfódelo, para o Tártaro ou para os Campos Elíseos.

Como aspecto de Deusa Amazona, a carruagem de Hécate era puxada por dragões. As mulheres que a cultuavam normalmente tingiam as palmas das mãos e as solas dos pés com hena.

Seus festivais aconteciam durante a noite, à luz de tochas. Anualmente, na ilha de Aegina no Golfo Sarônico, acontecia um misterioso festival em sua honra.

Hécate está associada a cura, profecias, visões, magia, Lua Nova, magia negra, encantamentos, vingança, livrar-se do mal, riqueza, vitória, sabedoria, transformação, purificação, escolhas, renovação e regeneração.

HÉCATE: PADROEIRA DAS BRUXAS

A Deusa Hécate, segundo algumas versões, recebeu o título de "Rainha dos Fantasmas" e "Deusa das Feiticeiras". Para protegerem-se, os gregos colocavam estátuas da Deusa na entrada das cidades e nas portas das casas.

Medéia, que era uma de suas sacerdotisas, praticava bruxaria para manipular com destreza ervas mágicas e venenos, e ainda, para poder deter o curso dos rios e comprovar as trajetórias das estrelas e da lua.

Como Deusa Feiticeira tinha cães fantasmas como servos fiéis ao seu lado.

Há um grande números de bruxas que, ainda hoje, são devotas de Hécate, pois se sentem atraídas pelos aspectos escuros da Deusa.

Hécate, como Anciã e Deusa da Lua Escura, compreende o "poder do silêncio". Muitas viagens espirituais incluem um período de muita meditação e silêncio. É essencial praticarmos o silêncio em nossos rituais e meditações, pois só o silêncio abre as portas da consciência universal.

Foi a Deusa Hécate que introduziu o alho como amuleto de proteção contra inimigos, roubo, mau tempo e enfermidades. Todos os anos, a meia-noite do dia 13 de Agosto (Noite do Festival de Hécate), deve-se depositar cabeças de alho em encruzilhadas como oferenda de sacrifício em nome de Hécate.

HÉCATE HOJE

Hoje podemos nos relacionar com Hécate como uma figura guardiã do nosso inconsciente, que tem nas mãos a chave dos reinos sombrios que há dentro de nós e que traz as tochas para iluminar nosso caminho para as profundezas de nosso interior.
Nossa civilização patriarcal talvez tenha nos ensinado a temer esta figura, mas se confiarmos em suas energias antigas, encontraremos nela uma gentil guardiã.
Ela está presente em todas as encruzilhadas que existem em todos os níveis do nosso ser, manifestando-se como espírito, alma e corpo. Devemos reconhecer que a imagem terrível, tenebrosa e horrenda de Hécate é um mero registro do medo inconsciente do feminino que os homens, imersos em um patriarcado unilateral, projetaram ao longo de milênios nesse arquétipo.
Temos que encarar nossa Hécate interior, estabelecermos uma relação com ela e, confiando na sua assistência, permitir a nós mesmos o desenvolvimento de uma percepção desse rico reino do nosso Mundo Inferior Pessoal. Somente por meio dessa atitude poderemos nos tornar seres integrados, capazes de lidar com as polaridades sem projetar de imediato dualismos.
Ao passar por uma encruzilhada, você irá se deparar com Hécate e ela dirá que nossas vidas são feitas de escolhas. Não existem escolhas certas ou erradas, mas sim, somente escolhas. Independente do que escolher, a experiência, por si só, já é algo valioso. Hécate insiste para que não tenhamos medo do desconhecido. Os desafios apresentados precisam de um salto de fé da pessoa que faz a escolha. Confie que será capaz de fazer uma escolha quando chegar a hora. Conceda-se tempo e espaço, nunca se censure ou se culpe, apenas faça sua escolha.


Fonte: Visão sobre Deuses Antigos e Herculano Pires.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Algumas dádivas dadas por essa Deusa - Hécate

Mensagem  Convidad em Qua Jul 18, 2012 11:31 am

AS DÁDIVAS DA DEUSA HÉCATE

O dia 13 de Agosto era uma data importante no antigo calendário greco-romano, dedicada às celebrações das deusas Hécate e Diana, quando Lhes eram pedidas bênçãos de proteção para evitar as tempestades do verão europeu que prejudicassem as colheitas.
Na tradição cristã comemora-se no dia 15 de Agosto a Ascensão da Virgem Maria, festa sobreposta sobre as antigas festividades pagãs para apagar sua lembrança, mas com a mesma finalidade: pedir e receber proteção.Com o passar do tempo perdeu-se o seu real significado e origem e preservou-se apenas o medo incutido pela igreja cristã em relação ao nome e atuação de Hécate. Esta poderosa Deusa com múltiplos atributos foi considerada um ser maléfico, regente das sombras e fantasmas, que trazia tempestades, pesadelos, morte e destruição, exigindo dos seus adoradores sacrifícios lúgubres e ritos macabros. Para desmistificar as distorções patriarcais e cristãs e contribuir para a revelação das verdades milenares, segue um resumo dos aspectos, atributos e poderes da deusa Hécate.

Hécate Trivia ou Triformis era uma das mais antigas deusas da Grécia pré-helênica, cultuada originariamente na Trácia como representação arcaica da Deusa Tríplice, associada com a noite, lua negra, magia, profecias, cura e os mistérios da morte, renovação e nascimento.”Senhora das encruzilhadas” - dos caminhos e da vida - e do mundo subterrâneo, Hécate é um arquétipo primordial do inconsciente pessoal e coletivo, que nos permite o acesso às camadas profundas da memória ancestral. É representada no plano humano pela xamã que se movimenta entre os mundos, pela vidente que olha para passado, presente e futuro e pela curadora que transpõe as pontes entre os reinos visíveis e invisíveis, em busca de segredos, soluções, visões e comunicações espirituais para a cura e regeneração dos seus semelhantes.
Filha dos Titãs estelares Astéria e Perseu, Hécate usa a tiara de estrelas que ilumina os escuros caminhos da noite, bem como a vastidão da escuridão interior. Neta de Nyx, deusa ancestral da noite, Hécate também é uma “Rainha da Noite” e tem o domínio do céu, da Terra e do mundo subterrâneo. “Senhora da magia” confere o conhecimento dos encantamentos, palavras de poder, poções, rituais e adivinhações àqueles que A cultuam, enquanto no aspecto de Antea, a “Guardiã dos sonhos e das visões”, tanto pode enviar visões proféticas, quanto alucinações e pesadelos se as brechas individuais permitirem.
Como Prytania, a “Rainha dos mortos”, Hécate é a condutora das almas e sua guardiã durante a passagem entre os mundos, mas Ela também rege os poderes de regeneração, sendo invocada no desencarne e nos nascimentos como Protyraia, para garantir proteção e segurança no parto, vida longa, saúde e boa sorte.
Hécate Kourotrophos cuida das crianças durante a vida intra-uterina e no seu nascimento, assim como fazia sua antecessora egípcia, a parteira divina Heqet. Possuidora de uma aura fosforescente que brilha na escuridão do mundo subterrâneo, Hécate Phosphoros é a guardiã do inconsciente e guia das almas na transição, enquanto as duas tochas de Hécate Propolos, apontadas para o céu e a terra, iluminam a busca da transformação espiritual e o renascimento, orientado por Soteira, a Salvadora.
Como deusa lunar Hécate rege a face escura da Lua, Ártemis sendo associada com a lua nova e Selene com a lua cheia. No ciclo das estações e das fases da vida feminina Hécate forma uma tríade divina juntamente com: Kore/Perséfone/Proserpina/Hebe - que presidem a primavera, fertilidade e juventude -, Deméter/Ceres/Hera – regentes da maturidade, gestação, parto e colheita - e o Seu aspecto Chtonia, deusa anciã, detentora de sabedoria, padroeira do inverno, da velhice e das profundezas da terra.
Hécate Trivia e Trioditis, protetoras dos viajantes e guardiãs das encruzilhadas de três caminhos, recebiam dos Seus adeptos pedidos de proteção e oferendas chamadas “ceias de Hécate”. Propylaia era reverenciada como guardiã das casas, portas, famílias e bens pelas mulheres, que oravam na frente do altar antes de sair de casa pedindo Sua benção. As imagens antigas colocadas nas encruzilhadas ou na porta das casas representavam Hécate Triformis ou Tricephalus como pilar ou estátua com 3 cabeças e 6 braços que seguravam suas insígnias: tocha (ilumina o caminho), chave (abre os mistérios), corda (conduz as almas e reproduz o cordão umbilical do nascimento), foice (corta ilusões e medos).
Devido à Sua natureza multiforme e misteriosa e à ligação com os poderes femininos “escuros”, as interpretações patriarcais distorceram o simbolismo antigo desta deusa protetora das mulheres e enfatizaram Seus poderes destrutivos ligados à magia negra (com sacrifícios de animais pretos nas noites de lua negra) e aos ritos funerários.
Na Idade Média, o cristianismo distorceu mais ainda seus atributos, transformando Hécate na “Rainha das bruxas”, responsável por atos de maldade, missas negras, desgraças, tempestades, mortes de animais, perda das colheitas e atos satânicos. Estas invenções tendenciosas levaram à perseguição, tortura e morte pela Inquisição de milhares de “protegidas de Hécate”, as curandeiras, parteiras e videntes, mulheres “suspeitas” de serem Suas seguidoras e animais a Ela associados (cachorros e gatos pretos, corujas).
No intuito de abolir qualquer resquício do Seu poder, Hécate foi caricaturizada pela tradição patriarcal como uma bruxa perigosa e hostil, à espreita nas encruzilhadas nas noites escuras, buscando e caçando almas perdidas e viajantes com sua matilha de cães pretos, levando-os para o escuro reino das sombras vampirizantes e castigando os homens com pesadelos e perda da virilidade. As imagens horrendas e chocantes são projeções dos medos inconscientes masculinos perante os poderes “escuros” da Deusa, padroeira da independência feminina, defensora contra as violências e opressões das mulheres e regente dos seus rituais de proteção, transformação e afirmação.
No atual renascimento das antigas tradições da Deusa compete aos círculos sagrados femininos resgatar as verdades milenares, descartando e desmascarando imagens e falsas lendas que apenas encobrem o medo patriarcal perante a força mágica e o poder ancestral feminino. Em função das nossas próprias memórias de repressão e dos medos impregnados no inconsciente coletivo, o contato com a Deusa Escura pode ser atemorizador por acessar a programação negativa que associa escuridão com mal, perigo, morte. Para resgatar as qualidades regeneradoras, fortalecedoras e curadoras de Hécate precisamos reconhecer que as imagens destorcidas não são reais, nem verdadeiras, que nos foram incutidas pela proibição de mergulhar no nosso inconsciente, descobrir e usar nosso verdadeiro poder.
A conexão com Hécate representa para nós um valioso meio para acessar a intuição e o conhecimento inato, desvendar e curar nossos processos psíquicos, aceitar a passagem inexorável do tempo e transmutar nossos medos perante o envelhecimento e a morte. Hécate nos ensina que o caminho que leva à visão sagrada e que inspira a renovação passa pela escuridão, o desapego e transmutação. Ela detém a chave que abre a porta dos mistérios e do lado oculto da psique; Sua tocha ilumina tanto as riquezas, quanto os terrores do inconsciente, que precisam ser reconhecidos e transmutados. Ela nos conduz pela escuridão e nos revela o caminho da renovação. Porém, para receber Seus dons visionários, criativos ou proféticos precisamos mergulhar nas profundezas do nosso mundo interior, encarar o reflexo da Deusa Escura dentro de nós, honrando Seu poder e Lhe entregando a guarda do nosso inconsciente. Ao reconhecermos e integrarmos Sua presença em nós, Ela irá nos guiar nos processos psicológicos e espirituais e no eterno ciclo de morte e renovação. Porém, devemos sacrificar ou deixar morrer o velho, encarar e superar medos e limitações; somente assim poderemos flutuar sobre as escuras e revoltas águas dos nossos conflitos e lembranças dolorosas e emergir para o novo.

Fonte: Herculano Pires.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Essa é a forma de se fazer o óleo destinado a Hécate

Mensagem  Convidad em Qua Jul 18, 2012 11:33 am

Ingredientes:
* 3 colheres de sopa de resina de incenso (olíbano);
* 3 colheres de resina de mirra;
* 1 punhado de folhas de mirra (ou 7 gotas de óleo de mirra);
* 1 ramo fresco de cipreste;
* 3 flores de ciclâmen;
* 1 pedra de ônix;
* 2 xícaras de óleo mineral;
* 1 vidro com tampa de rolha;
* 1 fita preta.

Modo de fazer:

Na primeira noite de Lua Minguante moa as resinas com um pilão. Coloque as resinas moídas no vidro. Caso utilize o óleo de mirra, misture-o com as resinas moídas. Se utilizar as folhas, amasse-as à parte e coloque-as no vidro. Acrescente o cipreste (levemente socado), as flores de ciclâmen e o ônix. Acrescente por fim o óleo. Feche o vidro com a rolha e amarre a fita preta no gargalo do vidro, dando três nós. Agite bem e guarde-o num local escuro e fresco por uma Lua (até a próxima Lua Minguante).

Utilize este óleo para ungir as velas nos rituais em honra a Hécate, nos Esbbáths de Lua Minguante. Quando fizer Amuletos e Feitiços que invoquem a presença de Hécate (magia de proteção, banimento do mal, ou mesmo quando realizar algum malefício), unja uma vela preta com esse óleo, e acenda-a, junto a incenso (resinas de olíbano e de mirra moídas em carvão em brasa no fogareiro). Ou utilize incensos em varetas de mirra e olíbano.

Fonte: Herculano Pires e Conversas com Bruxas.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Este óleo deve ser preparado dentro do Círculo Mágico no Esbbáth de Lua Negra destinado também a Hécate

Mensagem  Convidad em Qua Jul 18, 2012 11:35 am

Ingredientes:
* 1 punhado de folhas secas de beladona ou de meimendro-negro;
* 3 pitadas de pó de chumbo;
* 1 colher de sopa de pó de cemitério;
* 1 colher de sopa de enxofre em pó;
* 1 garra de corvo (ou de urubu);
* 1 sapo seco pequeno;
* as asas de um morcego;
* 1 cobra venenosa pequena;
* 1 pedra de ônix;
* 3 pitadas de azeviche em pó;
* 1 punhado de urtiga-brava;
* 1 colher de sopa de óleo de rícino;
* 1 aranha venenosa;
* meio litro de azeite de oliva (ou óleo mineral);
* 1 vidro com tampa de rolha;
* 1 fita preta.

Modo de fazer:
Numa noite de Lua Negra, misture os ingredientes em seu negro caldeirão, que será circundado por 13 velas pretas.
Cuidado ao acrescentar o enxofre, devido à chama das velas ao redor do caldeirão. Misture os ingredientes em sentido anti-horário, recitando o seguinte Encantamento:

"Hécate Venéfica, Domina Maleficarum!
Rogo-te que me ajudes!
Consagre esta Poção Negra com o Teu Poder!
Hécate Brimô, Domina Sabatum!
Consagre com o Vosso Poder este Malefício!"

Retire a colher de pau do caldeirão e coloque as mãos sobre ele, dizendo com voz firme as seguintes palavras de poder em latim:

IN NOMINE HECATE VENEFICA
DOMINA MALEFICARVM
CONSVMATUM EST.

Coloque a mistura maléfica no vidro (deve ser um vidro de boca larga, se não for tampado com rolha, que seja com tampa de metal). Amarre a fita preta no gargalo do vidro, dando três nós. Utilize este óleo maligno em feitiços negros de amaldiçoamento. Unja uma vela preta com este óleo, da base para o pavio e acenda-a sobre a fotografia ou o nome de quem quer enfeitiçar. Segure seu Athame com a mão de poder, apontando-o para cima, e direcione a outra mão para a chama da vela, fazendo o gesto de maldição, enquanto pronuncia por 13 vezes a seguinte maldição:

IN NOMINE HECATE VENEFICA
DOMINA MALEFICARVM
IN NOMINE FVRIAE
ALECTO TISIFONE
ET MEGERA
CAPVT TUA
MALEDICTA EST.

Fonte: Rituais e Magias dedicado a Deusa. Herculano Pires

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Óleo de Banimento dedicado a Hécate

Mensagem  Convidad em Qua Jul 18, 2012 11:36 am

Ingredientes:
* 3 ramos de arruda;
* 3 dentes de alho descascados;
* 1 xícara de azeite de oliva;
* sal marinho;
* 1 fita vermelha;
* 1 vidro com tampa de rolha.

Modo de fazer:
Macere num pilador a arruda e o alho. Em seguida acrescenta-se um pouco de azeite. Volte a macerar. Coloque a mistura no vidro e acrescente o restante do azeite. Coloque por último um pouco de sal marinho. Tampe o vidro com a rolha e amarre a fita vermelha no gargalo do vidro, dando três nós.

Este óleo deve ser utilizado em rituais de banimento de forças inimigas, na unção das velas. Sele as portas e janelas de sua casa com esse óleo, barrando assim as energias nocivas, expulsando todo o mal. Para banir feitiços inimigos e maldições, unja uma vela preta da base para o pavio e acenda-a, junto com um incenso de arruda. Invoque a Deusa Hécate, com o seguinte contra-feitiço:

HECATE LVCIFERA
DOMINA MALEFICARVM
LIBERA NOS A MALO

Caso saiba o nome de quem quer amaldiçoa-lo, coloque o nome dessa pessoa escrito em baixo da vela, dizendo o seguinte contra feitiço:

GLADIVS TVVM
INTRET IN CORDA TVA
ET ARCVS TVVM
CONFRICATVR

Em seguida, repita o primeiro contra-feitiço, concentrando-se no banimento do mal. Deixe a vela e o incenso queimarem até o fim. Sopre as cinzas ao vento.
É uma receita tradicional das Streghe, as Bruxas italianas.

Fonte: Herculano Pires e Magia Tradicional a Grande Deusa.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Incenso destinado a Hécate

Mensagem  Convidad em Qua Jul 18, 2012 11:38 am

Incenso de Hécate
1/2 colher (de chá) de folhas secas de louro
1/2 colher (de chá) de folhas secas de menta
1/2 colher (de chá) de cardo seco
1 pitada de resina de mirra
1 pitada de resina de olíbano
13 gotas de óleo de cipreste
3 gotas de óleo de cânfora

Usando um almofariz e um pilão, amasse o louro, a menta e o cardo até quase reduzi-los a pó. Agite as resinas de olíbano e de mirra. Adicione os óleos de cipreste e de cânfora e misture bem. Guarde numa jarra coberta e bem tampada e deixe a mistura maturar por, pelo menos, duas semanas antes de usar.

Queime num bloco de carvão em brasa durante o Ritual de Hécate (13 de Agosto) para honrar a Deusa ou nos rituais de lua cheia como poderoso incenso para previsão.

Fonte: Herculano Pires e Magia Tradicional a Deusa Hécate.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Faça um pequeno chá com Hécate se assim tiver coragem de aproximação com a Deusa.

Mensagem  Convidad em Qua Jul 18, 2012 11:39 am

Ingredientes
Um caldeirão
Cálice com água mineral
Uma colher (de sopa) de vinho branco
1 colher (de chá) de erva cidreira
1 colher (de chá) de cravo-da-índia
1 colher (de chá) de jasmim
1 colher (de chá) de canela
1 colher (de chá) de papoula
Mel puro à gosto.

Coloque o caldeirão no fogo e despeje nele a água do cálice. Espere levantar fervura e vá colocando os ingredientes de acordo com o encantamento:

"Hécate, divina Hécate, Deusa das trevas, Invoco a ti grande protetora, Para que consagre-me como feiticeira. Honro-te e conjuro a ti, Em nome da lua, do céu, da Terra e do mar, Seus domínios Da Terra, do ar, da água e do fogo.Com este vinho homenageio-te e encanto esta poção Erva cidreira, pelos poderes da lua, Para propiciar o amor perfeito. Cravo-da-índia, pelos poderes de Júpiter, Para propiciar a confiança perfeita. Jasmim da luz, Para a unificação com a mente da minha Deusa. Canela do sol, Para a recepção da luz interior do meu Deus. Papoula, Para o poder da criação e da transformação da lua Chás das iniciantes, pelos poderes de Hécate. Para consagrar a mais nova bruxa."

Aguarde três minutos e coe o chá. Coloque no cálice e beba-o, fazendo a seguinte consagração:

"Hécate, grande deusa da lua, Me inicie neste caminho que conduz até tua a sabedoria Prepara-me com tua força. O caminho é a escuridão desta noite, A luz interior é tu que me propicias, através da luz da lua. Minha força é a tua força, Atuando para o bem, a sabedoria e a felicidade. Agradeço pelas tuas criações e pelos teus caminhos, Revelados pelas gloriosas irmãs da antiga Tradição. Que assim seja ! "

Destrace o círculo de proteção corretamente e jogue o resto das folhas coadas aos pés de uma árvore mais próxima.

Fonte: Herculano Pires.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Um dos Hinos dedicados a Deusa Hécate

Mensagem  Convidad em Qua Jul 18, 2012 11:43 am

Órfico a Hécate

“Hécate a Beleza, eu a invoco:
Vós, dos caminhos e encruzilhadas, do céu, da terra e também do mar.
Vós, vestida de açafrão, dentre as tumbas,
Dançando com as almas mortas e o ritual báquico.
Vós, filha de Perses, amante da desolação, se regozija em gamos e cães, na noite.
Vós, terrível Rainha! Devoradora de bestas!
Despertada, possuída por forma inacessível!
Vós, caçadora de búfalos, Imperatriz soberana universal:
Vós, guia que vagueia pela montanha, é noiva, é pajem,
eu rogo, Ó Donzela, sua presença nestes rituais sagrados.
Vós, que vindes com a graciosidade do touro e um eterno coração alegre".

Traduzido do grego para o inglês por Shawn Eyer
Hecate é uma das deusas Greco-Romanas simultaneamente mais temida e admirada. Hecate é uma deusa lunar, um pouco á imagem da temida Lilith. Como todas Deusas lunares, Hecate encontra-se profundamente ligada ao mundo da magia, do oculto, da bruxaria, dos mais profundos segredos.
Hecate é a Deusa das bruxas, e simultaneamente a Deusa que vem a este mundo recolher almas para as conduzir ao abismo do reino dos mortos. Trata-se por isso de uma Deusa a que cabe um papel previligiado na «ponte» entre o mundo dos vivos, e o mundo dos mortos, entre o nosso mundo fisico e o mundo dos espiritos.
Hecate é a Deusa das encruzilhadas, onde lhe eram dedicadas oferendas e sacrificios : bodes negros, caes negros ou gatos negros eram-lhe oferendados no decurso de rituais de adoraçao, ou de feitiçarias. Hecate pode incorporar numa lindissima mulher de longos cabelos negros, e pode ser uma amante incomparavel. Contudo a sua furia e o seu poder sao temiveis, e perante Hecate todo o respeito é pouco para garantir a sua ajuda. Dizem as lendas que Hacate tambem podia assumir a forma de um majestoso lobo negro, ou de um belo cao preto.
As estatutas existentes nas encruzilhadas onde hacete era venerada e as bruxarias eram executadas, chamavam-se «hecateias», e constavam na fugira de uma lindissma mulher com tres faces, ou tres belos corpos feminino unidos num só.
Hecate permite a operaçao de tarefas misticas essencialmente atraves de processo de meditaçao. Atraves desse processo, no silencio de uma meditaçao e atraves do aprofundamento dos nossos sentidos, pensamentos e forças espirituais, é que Hecate reside e abre portas ao mundo magico. Como deusa lunar que é, Hecate tambem opera a nivel dos sentidos, aguçando-os, excitando-os, fazendo com que a carnalidade e o prazer se tornem uma poderosa chave de concretizaçao de processos misticos poderosos.
Hecate reina na terra, ( onde vem buscar as almas dos mortos, conduzindo-as para o submundo ), no ceu, ( onde viaja atraves do luar), e do mar, ( onde se enebria com os prazeres do amor), pelo que é denominada a Deusa Triplice.

Fonte: Herculano Pires.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Oração a Deusa Hécate

Mensagem  Convidad em Qua Jul 18, 2012 11:45 am

Hécate eu sou, Mãe Negra, a Anciã.
Meu rosto é enrugado como uma pedra idosa.
Meus olhos são pretos como o breu, meus cabelos brancos como a neve.
Eu sou a noite escura sem lua.
Eu guio pelo lugar da Caçada Selvagem com meu poder negro
Pelo inverno à meia-noite
Meu reino começa na noite do Samhain
E dura até o dia da Luz de Imbolc.
Para as bruxas, eu sou sua Rainha divina
Sua líder, pelos séculos
Eu as ensino o poder mágico extremamente forte
Eu as ensino a diferenciar o certo do errado.
Mas se elas fazem o que é errado minha fúria, as farão pagar por isso
E minha vingança fará com que seus destinos na Terra fiquem marcados.
Porque eu sou a Justiça, eu sou a Morte, eu sou a vingança, Lua Negra
Eu sou a sabedoria e o Amor e a condenação do Mal.
Eu guardo todas as encruzilhadas de todos os lugares
Quem viaja com o mal deve tomar cuidado!
Eu tiro-lhes a alma e faço com que fiquem insanos
Para que nunca mais tenham a sorte de cruzar meu caminho novamente.
Eu sou terrível, gentil e implacável.
O que você vê em mim é você mesmo.
Quando sua hora chegar, eu o chamarei para junto de mim
Para passar pelo lugar da Caçada Selvagem até seu renascimento.
Então venha, minha Filha Bruxa
Siga meu caminho
Do poder mágico, não tenha medo de minha fúria.
Se você tiver coragem, será minha sacerdotisa
A escolha é sua, o que você escolher acontecerá.

Hecate é uma das deusas Greco-Romanas simultaneamente mais temida e admirada. Hecate é uma deusa lunar, um pouco á imagem da temida Lilith. Como todas Deusas lunares, Hecate encontra-se profundamente ligada ao mundo da magia, do oculto, da bruxaria, dos mais profundos segredos. Hecate é a Deusa das bruxas, e simultaneamente a Deusa que vem a este mundo recolher almas para as conduzir ao abismo do reino dos mortos. Trata-se por isso de uma Deusa a que cabe um papel previligiado na «ponte» entre o mundo dos vivos, e o mundo dos mortos, entre o nosso mundo fisico e o mundo dos espiritos.
Hecate é a Deusa das encruzilhadas, onde lhe eram dedicadas oferendas e sacrificios : bodes negros, caes negros ou gatos negros eram-lhe oferendados no decurso de rituais de adoraçao, ou de feitiçarias. Hecate pode incorporar numa lindissima mulher de longos cabelos negros, e pode ser uma amante incomparavel. Contudo a sua furia e o seu poder sao temiveis, e perante Hecate todo o respeito é pouco para garantir a sua ajuda. Dizem as lendas que Hacate tambem podia assumir a forma de um majestoso lobo negro, ou de um belo cao preto.
As estatutas existentes nas encruzilhadas onde hacete era venerada e as bruxarias eram executadas, chamavam-se «hecateias», e constavam na fugira de uma lindissma mulher com tres faces, ou tres belos corpos feminino unidos num só. Hecate permite a operaçao de tarefas misticas essencialmente atraves de processo de meditaçao. Atraves desse processo, no silencio de uma meditaçao e atraves do aprofundamento dos nossos sentidos, pensamentos e forças espirituais, é que Hecate reside e abre portas ao mundo magico.
Como deusa lunar que é, Hecate tambem opera a nivel dos sentidos, aguçando-os, excitando-os, fazendo com que a carnalidade e o prazer se tornem uma poderosa chave de concretizaçao de processos misticos poderosos. Hecate reina na terra, ( onde vem buscar as almas dos mortos, conduzindo-as para o submundo ), no ceu, ( onde viaja atraves do luar), e do mar, ( onde se enebria com os prazeres do amor), pelo que é denominada a Deusa Triplice.

Fonte: Herculano Pires

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Oração a Deusa Hécate

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum