Maçonaria por Abbath Doom Occulta

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Maçonaria por Abbath Doom Occulta

Mensagem  J13K$#N em Sex Set 27, 2013 4:06 pm

O que se ganha na maçonaria?
Basicamente, autoconhecimento e auto-aperfeiçoamento...
avatar
J13K$#N
Seguidor da Via

Mensagens : 316
Data de inscrição : 09/12/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Várias Maçonarias

Mensagem  benhaim em Dom Out 13, 2013 2:48 am

Olá!
Já acompanho o grupo há algum tempo, porém me senti muito à vontade de postar neste tópico, pois é um assunto que sempre fui ligado.
Na real existem diversas Maçonarias e aqui nem entro no mérito de "regular ou irregular", pois não vem ao caso.
Posso falar sobre o que vi, vivi e ainda estudo.

existem varições que chamamos "Ritos" e cada um tem uma abordagem diferente. Vou falar sobre os mais praticados aqui.

Rito Escocês Antigo e Aceito:
Sem dúvida alguma este é o mais difundido no Brasil, pois ele começa com a famosa temática judaico-cristã e vai até o estudo de "avatares" como Moisés, Buda e Jesus, entre outros.
Este, graças aos livros do Rizzardo da Camino tem uma visão bem cristã mesmo (não no sentido ofensivo). Ele deixa muitas aberturas que acabam caindo na Teosofia.

Rito Moderno:
Este é muitas vezes chamado de rito "ateu", porém é uma inverdade, já que ele deixa a questão de Deus e Divindades para foro íntimo.
É um Rito Humanista e mais racional, por isso tem grande apelo político.

Rito de York e Emulation:
O Emulation (inglês) é o mais praticado dos dois, já que ele se baseia na Grande Loja Unida da Inglaterra, porém o Rito de York é o Americano e, ainda muito pouco praticado no Brasil.
O York é bem cristão assim como o Emulation, porém o inglês é bem Anglicano...

Rito Adonhiramita:
É o Rito Moderno em uma versão muito esotérica. Tem grande apelo judaico e uma das cerimônias mais bonitas que já participei.
Agora estão retomando em Portugal, mas é praticado quase só no Brasil.

Rito de Schroeder:
É um Rito alemão de ritualística muito simples. Como diz um grande Irmão: "aonde puder ter meia dúzia de cadeiras, um tapete e 3 caixas de maçã dá pra fazer o ritual."
A particularidade dele é que eles usam cartolas e tem uma visão diferente sobre a localização simbólica do ritual.

Rito Escocês Retificado:
Muito ligado ao martinismo. É um rito cristão, criado por Willermoz que tem seu auge no Cavaleiro Benfeitor da Cidade Santa.

Rito de Memphis e de Memphis-Misraim:
Chamados de Ritos "egípcios", porém são judaicos, mas como suas lendas remetem ao Egito, é creditado erroneamente.
Um rito totalmente esotérico e muito bonito, porém já conheci muita gente que se "perdeu nas idéias" tentando achar cabelo em ovo...

Como podem ver existem os mais variados motivos para existirem Lojas Maçônicas, desde reuniões sociais até estudos sérios.
Acredito que até por esta postura é que a Maçonaria existe até os dias de hoje, mas infelizmente é difícil para alguns Irmãos aceitarem que ela surgiu de meras associações de pedreiros e tentam das mais variadas formas vincular aos templários...

Me desculpem se algum Ir.'. se sentiu ofendido, pois o objetivo é acabar com os vícios da ignorância.

Parabéns pela postagem.
avatar
benhaim
Novato
Novato

Mensagens : 2
Data de inscrição : 17/11/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

ratificações

Mensagem  Hiram_abiff em Dom Out 13, 2013 12:01 pm

Eu também como o amigo acima normalmente não posto nada, pois nesses assuntos do fórum sou um mero estudante, mas me sinto a vontade pra falar sobre a maçonaria, visto que sou Mestre Maçom. Com relação a entrada na maçonaria pela internet, isso normalmente é feito por as ditas "maçonarias irregulares", um grande oriente regular , que diga-se de passagem no Brasil só são três, sejam eles : GOB (Grande Oriente do Brasil),  a COMAB (Confederação Maçônica do Brasil) e a CMSB (Confederação da Maçonaria Simbólica no Brasil), essas nunca dão propostas pela internet, somente pessoalmente aos IIr.’. e esses repassam aos seus candidatos; digo isso porque me perdoem quem se ofender mas essas “maçonarias” mas parecem a Igreja universal “informatizada”, poucas realmente trabalham de forma séria, na grande maioria alteram os Landmarks( as leis universais maçônicas) quando não o suprimem, acrescentam e tiram símbolos a sua própria interpretação, alteram rituais etc. A maçonaria Universal tem suas tradições e uma história que devem ser respeitadas; quando se altera um Landmark está descaracterizando a maçonaria, pois são a “espinhal Dorsal” que sustenta toda a tradição maçônica; quando se planta um semente de jabuticabeira ela vai crescer e dar frutos e ter folhas de uma jabuticabeira, nunca uma mangueira; assim é o conjunto de tradições dentro da ordem. Tratando-se de Ocultismo dentro da maçonaria, primeiro gostaria de definir: “Nas ciências ocultas, a palavra oculto refere-se a um "conhecimento não revelado" ou "conhecimento secreto", em oposição ao "conhecimento ortodoxo" ou que é associado à ciência convencional. Para as pessoas que seguem aprofundando seus estudos pessoais de filosofia ocultista, o conhecimento oculto é algo comum e compreensível em seus símbolos e significados” , assim sendo a maçonaria tem um lado ocultista visto que, seus símbolos e rituais tem interpretações que só cabem aos iniciados, e a compreensão só a possuem em sua totalidade quem passa pela experiência dos rituais. Seja em um casamento(um ritual religioso), um batismo ou uma formatura, que são ritos de passagem em nossas vidas, que por mais que tentemos exprimi-los ficam incompreensíveis por quem não vivenciou, portanto o “Segredo maçônico” é impronunciável, por mais que um maçom saia da ordem por qualquer motivo que seja, e fale torna-se meras palavras jogadas ao vento. Ainda digo mais, a compreensão é extremamente individual, posto que cada um interpreta de forma diferente, então o “segredo”, a pedra filosofal é vista de um ângulo diferente. Por isso a maçonaria tem uma filosofia um tanto relativista, pois a verdade ninguém a possui em sua totalidade. Tem IIr.’. que vem a ordem por uma ótica social, outro filosófica, outro esotérica etc; e nenhum deles está errado, a grande verdade é como um quebra cabeça onde todas as meias verdades se completam em uma só, ou seja, a “grande verdade universal”.
avatar
Hiram_abiff
Novato
Novato

Gato Mensagens : 1
Data de inscrição : 20/05/2013
Idade : 29
Localização : Israel

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Maçonaria por Abbath Doom Occulta

Mensagem  benhaim em Dom Out 13, 2013 5:09 pm

Concordo em grande parte com que o Ir.'. falou, ainda mais sobre maçonaria por internet, pois isso é inaceitável não só para a Maçonaria, mas para qualquer Ordem séria.
Também faço parte, assim como o Ir.'., do grupo "regular", porém essa discussão nunca levou a lugar algum, já que a regularidade se dá pelo reconhecimento da Grande Loja Unida da Inglaterra, portanto o Grande Oriente da França seria irregular, o que não consigo aceitar, já que muito da fama da Maçonaria, ainda mais pelos feitos se deu por lá.
Não vejo o segredo como impronunciável, pois tenho visto nestes anos (sim já não sou tão novo assim) muitos que recebem os graus, porém jamais compreenderam algum de seus significados.
A visão dos ritos é o que mais se destaca pra mim em termos de estrutura, pois permite as várias interpretações que o Ir.'. falou e, até por isso, é muito comum IIr.'. trocarem de rito após o 3º grau, já com suas "metas" dentro da Ordem.

Tive a "sorte" de encerrar o trajeto em 2 ritos (33º REAA e 9º Rito Moderno), muito diferentes entre sí e pude perceber essa variações da Ordem. Sobre as "irregulares" não podenos é colocá-las todas como iguais, pois maçâs podres existem em todo saco...
Realmente também não pude (pelo menos em meu Estado) ver mais do que uma ou duas que trabalhassem sério, é olha que tem uma em cada esquina, mas também não conheço todas...

Vi excelentes IIr.'. com apelo Moral e outros que são excelentes estudantes de ocultismo. Se respeitarem suas visões individuais (o que infelizmente nem sempre ocorre) teríamos uma Maçonaria menos dividida.
Tive uma experiência com isso quando fui V.'.M.'. de minha Loja pela primeira vez, pois a discussão "Moral x Ocultismo" ocasionou a saída de dois bons IIr.'. que não tiveram a compreensão que o Ir.'. tem (e que todos deveriam) de uma "Maçonaria pessoal".

Parabéns pelo comentário

TFA
avatar
benhaim
Novato
Novato

Mensagens : 2
Data de inscrição : 17/11/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Pastel

Mensagem  tiadarvulia em Dom Dez 15, 2013 11:27 am

Os macons da loja Fenix de Patrocinio Paulista, na sua barraquinha da festa do peao,vendem um PASTEL muito,muito bom...
avatar
tiadarvulia
Adepto de Osíris

Tigre Mensagens : 102
Data de inscrição : 16/08/2013
Idade : 31
Localização : S P BRASIL

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Maçonaria por Abbath Doom Occulta

Mensagem  J13K$#N em Qui Maio 22, 2014 10:39 pm

Lucrécia escreveu:Para que os Rituais e os impressos Maçônicos não sejam entendidos por profanos, é costume fazer abreviaturas, através da apócope de palavras escritas colocando logo depois do corte na palavra, os três pontos em formato de delta (triângulo) ou seja, ocupando os três ângulos de um triângulo equilátero.

Evidentemente, existe um certo número de palavras que, abreviadas, são entendidas pelos MM.'.: o que não se pode fazer é chegar ao excesso de abreviar, indiscriminadamente, qualquer palavra, uma prática que, lamentavelmente, tem sido muito seguida, tornando incompreensí­veis certos Rituais, até para os próprios MM.'. do Rito.

Para formar as abreviaturas, existem duas regras fundamentais:

1) O Corte das palavras deve ser feito, sempre, entre uma consoante e uma vogal.
Exemplo: Oriente = Or.'.
A única exceção a essa regra, é a palavra Irmão, cuja abreviatura costumeira é Ir.'.. Alguns autores costumam citar, também, como exceção a palavra Aprendiz, cuja abreviatura seria Ap.'.. Ocorre entretanto, que essa forma é errada, pois a abreviatura correta e mais usual é Apr.'.
e...

2) O plural das palavras é feito através da repetição da letra inicial:
Exemplos: Orientes = OOr.'., Vigilantes = VVig.'. e Irmãos = IIr.'.
Existe, todavia, uma outra forma, menos costumeira, mas que é usada por algumas OOb.'. Européias e que consiste em repetir a palavra abreviada, para indicar o plural:
Exemplos: Orientes = Or.'.Or.'., Vigilantes = Vig.'.Vig.'. e Irmãos = Ir.'.Ir.'.

Entendido? Ótimo!

Há muitos outros sí­mbolos na Maç.'.. Apresento aqui, superficialmente, somente os mais difundidos e conhecidos símbolos incorporados à Maç.'., de conhecimento de profanos em geral.

Vamos a eles:

O ESQ.'. E O COMP.'.: O Comp.'. e o Esq.'. reunidos tem sido mais antiga bem como a mais comum representação da Instituição Maçônica. Tanto se apresentou este sí­mbolo comp.'.-esq.'., que ele é prontamente reconhecido, até mesmo pelos profanos (homens não iniciados na Maç.'.). É o sinal distintivo do Ven.'. M.'. (Presidente da Loj.'.) uma vez que esotericamente representa a "Justa Medida". A Justa Medida quer dizer em última análise a Retidão. Faz lembrar aos MM.'. em geral e a cada instante que todas as suas ações deverão ser plantadas com serenidade, bom senso e espí­rito de justiça. Faz recordar o compromisso solene assumido pelo Iniciado, de sempre agir dentro de uma escola de perfeita honestidade e retidão.

O COMP.'.: O Comp.'. é considerado um sí­mbolo da espiritualidade e do conhecimento humano. Sendo visto como sí­mbolo da espiritualidade, sua posição sobre o Livro da Lei varia conforme o Gr.'.. No Gr.'. de Apr.'., ele está embaixo do Esq.'., indicando que existe, por enquanto, a predominância da matéria sobre o espí­rito. A abertura indica o ní­vel do conhecimento humano, sendo esta limitada ao máximo de 90º, isto é ¼ do conhecimento. A sua simbologia ainda é muito mais variada, podendo ser entendido como sí­mbolo da justiça, com a qual devam ser medidos os atos humanos. Simboliza a exatidão da pesquisa e ainda pode ser visto como sí­mbolo da imparcialidade e infalibilidade do Todo-Poderoso.

O ESQ.'.: O primeiro instrumento passivo e companheiro por excelência do Comp.'. é o Esq.'.. Seu desenho nos permite traçar o ângulo reto e, por tanto, esquadrejar todas as formas. Deste modo, é visto como sí­mbolo, por excelência, da retidão. é também a primeira das chamadas Jóias Móveis de uma Loj.'., constituindo-se na Jóia do Ven.'., pois, dentre todos, este deve ser o mais justo e equitativo dos MM.'.. O Esq.'., ao contrário do Comp.'., representa a matéria; por isso é que, em Loj.'. de Apr.'., ele se apresenta sobre o Comp.'.. Predominância da matéria sobre o espí­rito.

A LETRA "G": é o sí­mbolo de D-us, o Divino Geômetra. Uma das razões de ser tomada como sí­mbolo sagrado da Divindade, é que, com ela, a palavra D-us, se inicia em vários idiomas. GAS, em Sirí­aco; GADA, em persa; GUD, em sueco; GOTT, em alemão; GOD, em inglês, etc. é a sétima letra do nosso alfabeto e que sabiamente, os MM.'. apresentam grandes questionamentos, e que através de estudos, apresentamos um resumo dos diversos significados: Gravitação - é a força primordial que rege o movimento e o equilí­brio da matéria; Geometria ou a Quinta Ciência - é fundamento da ciência positiva, simboloizando a ciência dos cálculos, aplicada à extensão, à divisão de terras, de onde surge a noção da parte que nelas a nós compete, na grande partilha da humanidade e dos direitos da terra cultivada; Geração - é a vida perpetuando a série dos seres. Força Criadora que se acha no centro de todo ser e de todas as coisas; Gênio - é a inteligência humana a brilhar com seu mais vivo fulgor; Gnose - é o mais amplo conhecimento moral, o impulso que leva o homem a aprender sempre mais e que é o principal fator do progresso; Glória - a D-us; Grandeza - O homem, a maior e mais perfeita Obra da Criação; Gomel - Uma palavra hebraica, entende-se os deveres do homem para com D-us e os seus semelhantes. Concluiremos, sintetizando que, a letra G é, realmente, o grande segredo Maçônico, segredo tão secreto e misterioso, que nem mesmo os mais cultos e sábios MM.'. conseguem decifrá-lo.

O Nº 9: é o princí­pio da Luz Divina, Criadora, que ilumina todo pensamento, todo desejo e toda obra, exprime externamente a Obra de D-us que mora em cada homem, para descansar depois de concluir sua Obra. O homem novenário que pelo triplo do ternário, é a união do absoluto com o relativo, do abstrato com o concreto. O número nove, no simbolismo Maçônico, desempenha um papel variado e importante com significados aplicados na sua forma ritualí­sticasendo também o número dos Iniciados e dos Profetas.

AC.'.: A planta sí­mbolo por excelência da Maç.'. representa a segurança, a clareza, e também a inocência ou pureza. A Ac.'. foi tida na antiguidade, entre os hebreus, como árvore sagrada e daí­ sua conservação como sí­mbolo Maçônico. A Ac.'. é inicialmente um sí­mbolo da verdadeira Iniciação para uma nova vida, a ressurreição para uma vida futura.

A TROLHA: Ou colher de pedreiro. Trata-se de uma espécie de pá achatada com a qual os Pedreiros assentam e alisam a argamassa. Sendo um instrumento neutro, deve ser visto como um Sí­mbolo da tolerância, com que o M.'. deve aceitar as possí­veis falhas e defeitos dos demais IIr.'.. Pode ser vista, também, como um sí­mbolo do amor fraternal que será, então, o único cimento que uniria toda a Maç.'.. Desta forma, passar a Trolha, significa perdoar, desculpar, esquecer as diferenças. Entendida desta forma, pode ser vista como sí­mbolo da Paz que deve reinar entre os IIr.'..

O AV.'.: é o sí­mbolo do trabalho, é a parte principal do vestuário Maçônico, constituindo-se um dos sí­mbolos mais importantes da Maç.'.. Tem a forma de um retângulo, encimado por um triângulo; nos dois primeiros GGr.'. são simples, sem enfeites ou adornos, e de tecido branco. Os AAv.'. dos demais GGr.'., tem cor e desenhos variados, conforme os GGr.'. que representa e conforme o Rito adotado. O fundo, porém é sempre branco. (Logo postarei aqui sobre os aventais de cada grau do R.'. E.'. A.'. A.'., bem como, se possí­vel for, suas fotos. Sobreviva e verá.)

A P.'. B.'.: Simboliza a inteligência do Apr.'. M.'., ainda rude, porque com os vestí­gios do Mundo Profano, está apenas iniciando sua aprendizagem nos Mistérios da Maç.'.. As arestas desta P.'. B.'. cabe ao Apr.'. desbastar disciplinando, educando instruindo sua personalidade, objetivando vencer suas paixões e subordinar sua vontade à prática do bem. Assim a tarefa principal do Apr.'. consiste em trabalhar e estudar para adquirir o conhecimento do simbolismo do seu Gr.'. e a sua interpretação filosófica.

O MALHO E O CINZEL: Estas duas ferramentas servem para desbastar a P.'. B.'.. A primeira representa nossas resoluções espirituais: é o cinzel de aço, que se aplica sobre a pedra com a mão esquerda lado passivo, e corresponde à receptividade, ao discernimento especulativo. A segunda é a vontade executiva, o malho, insí­gnia do mando, vibrado com a mão direita, lado ativo, relacionada coma energia atuante e a determinação moral donde dinama a realização prática.

PAVIMENTO EM MOSÁICO: Piso em xadrez de quadrados pretos e brancos, com que devem ser revestidos os templos; sí­mbolo da diversidade do globo e das raças, unidas pela Maç.'.; sí­mbolo também da oposição dos contrários, bem e mal, espí­rito e corpo, luz e trevas.

TEMPLO: Sí­mbolo da construção Maçônica por excelência, da paz profunda para que tendem todos os MM.'..

CCOL.'.: Sí­mbolos dos limites do mundo criado, da vida e da morte, do elemento masculino e do elemento feminino, do ativo e do passivo. (Em breve falaremos mais sobre J.'., B.'. e as CCol.'. Zodiacais).

A P.'. C.'.: Havendo o Apr.'. trabalhado na P.'. B.'. como Malho e o Cinzel, transformando-a num cubo imperfeito, caber ao Comp.'., polir este cubo com o auxí­lio do Esq.'., do Ní­vel e do Prumo, tornando-a finalmente em P.'. C.'.. Desbastadas as rudes arestas da personalidade, ainda como Apr.'., cabe agora, ao Comp.'. disciplinar suas ações através do conhecimento adquirido realizando contornos e nuances delicadas em seus psiquismos, fazendo então, do seu "eu", um cubo perfeito, a pedra polida que assim estará apta a ser utilizada na construção do edifico do Templo, isto é, a humanidade Perfeita.

O MALHETE: é o instrumento de Trab.'. do Ven.'. M.'. e dos VVig.'. (na hierarquia os dois cargos logo abaixo do Ven.'. M.'. e que juntamente com ele dirige os TTrab.'. da Loj.'.). Nada mais é que uma espécie de malho, e como tal é sí­mbolo da vontade, da força, do trabalho e da determinação. Um aspecto fundamental na utilização deste instrumento é o do discernimento e lógica que devem conduzir a vontade. Utilizando ao caso, com força apenas, ele passará a ser um instrumento de destruição, incompatí­vel com a Maç.'..

TRÊS PONTOS: Triângulo: sí­mbolo com várias interpretações, aliás conciliáveis: luz, trevas e tempo; passado, presente e futuro; sabedoria, força e beleza; nascimento, vida e morte; liberdade, igualdade e fraternidade.

O DELTA LUMINOSO: Também chamado de Triângulo Fulgurante, representa na Maç.'. o Supremo Criador de todas as coisas, cujo olho luminoso é o Olho da Sabedoria e da Providência, que observa tudo que vê e provê. Ele simboliza também, os atributos da Divindade: Onipresença, Onividência e Onisciência, que o verdadeiro M.'. tem como lembrete divino de sua suprema relevância para sua vida. Não sendo efetivamente uma religião (logo mais poderemos explanar melhor este tema também), a Maç.'. compreende e reverencia todas as crenças e cada crente M.'. pode ter no Delta Luminoso a representação de todos os sentimentos de religiosidade. Ele é como uma lembrança para uma advertência permanente e solene, traduzida pela compreensão fraternal, que não procura sobrepor a importância de qualquer religião em particular, as demais profissões de fé. Espiritualistas por princí­pio, sabem os MM.'., na interpretação do Triângulo Fulgurante, que há um D-us que tudo vê e por esta razão entendem que uma oportunidade de fazer o bem que deixam escapar, é uma eternidade que se lhes espera.

ESTRELA DE CICO PONTAS: Sendo a Estrela do Oriente ou a Estrela Iniciação, é a que simbolizou o nascimento de Jesus. é o sí­mbolo do Homem Perfeito, da Humanidade plena entre Pai e Filho; o homem em seus cinco aspectos: fí­sico, emocional, mental, intuitivo e espiritual. Totalmente realizado e uno com o G.'. A.'. D.'. U.'., é o homem de braços abertos, mas sem virilidade, porque dominou as paixões e emoções. As Estrelas representam as lágrimas da beleza da Criação. Olhemos para cima, para o céu e encontraremos a nossa estrela guia. Na Maç.'. e nos seus Templos, a abóbada celeste está adornada de estrelas. A Estrela é o emblema do gênio Flamejante que levam às grandes coisas com a sua influência. É o emblema da paz, do bom acolhimento e da amizade fraternal.

(IIr.'. presentes a uma Sessão Magna de Iniciação)

O Av.'. é um legado que a Maç.'. Esp.'. recebeu da Maç.'. Op.'.. Esta peça, que foi de tanta utilidade para o M.'. Operativo, já que lhe protegia a roupa, transformou-se para o M.'. moderno numa alfaia simbolizando o Trab.'. do M.'..

Até a sua regulamentação pela G.'. L.'. U.'. I.'., os AAv.'. da Maç.'. Inglesa assumiram os mais variados aspectos e formas. Simples peles desalinhadas de cordeiro, no princí­pio, os AAv.'. sofreram uma evolução constante nos paí­ses que adotaram a instituição Maçônica.

Em fins do século XVIII era grande moda enfeitar os AAv.'. com pinturas e bordados à mão que reproduziam a riqueza emblemática da Maç.'..


Grau 01 - Apr.'. M.'.


Grau 02 - Comp.'. M.'.


Grau 03 - M.'. M.'.


Grau 04 - Mestre Secreto


Grau 07 - Preboste e Juiz


Grau 09 - Cavaleiro eleito dos 9


Grau 10 - Eleito dos 15

Grau 11: Sublime Cavaleiro Eleito: Avental branco debruado de preto, com orla decorativa também a preto; no meio, uma algibeira tendo pintada ou bordada uma cruz vermelha; abeta debruada e orlada de preto. Banda preta, colocada a tiracolo, da esquerda para a direita, tendo bordada a prata a divisa "VICERE AUT MORI"; a jóia, pendente da extremidade inferior da banda é um punhal de ouro com lí¢mina de prata. Nos rituais do século XX permite-se a substituição da divisa por "três corações inflamados", bordados

Grau 12: Grande Mestre Arquiteto - Avental branco, debruado e orlado de azul, com uma algibeira ao meio, também orlada da mesma cor, abeta debruada de azul. Banda azul a tiracolo, da direita para a esquerda; tem suspensa, na sua extremidade inferior, a jóia, que é uma chapa quadrada com inscrições alusivas ao grau

Grau 13: Cavaleiro Real Arco - Banda escarlate, da direita para a esquerda, de cuja extremidade inferior pende a jóia, um trií¢ngulo ou uma medalha de ouro com inscrições alusivas ao grau. Nos rituais do século XX usa-se, além da banda - convertida em fita posta ao pescoço - , um avental branco orlado de escarlate


Grau 14 - Perfeito e sublime Maçom


Grau 15 - Cavaleiro do Oriente


Grau 16 - Prí­ncipe de Jerusalém


Grau 17 - Cavaleiro do Oriente e do Ocidente


Grau 18 - Cavaleiro Rosa-Cruz


Grau 19 - Grande pontí­fice ou Sublime Escocês

Grau 20: Venerável Mestre de todas as Lojas - Avental azul orlado de amarelo, com abeta amarela; pintado ou bordado a ouro, no meio, um trií¢ngulo com a letra "R" inscrita; da fita que ata o avental pendem dois cordões amarelos franjados. Escapulário azul e amarelo estando, na parte da frente, o azul em cima e o amarelo em baixo e, na parte de trás, o amarelo em cima e o azul em baixo. A jóia, que pende do escapulário, é um trií¢ngulo de ouro com a letra "R"

Grau 21: Cavaleiro Prussiano ou Noaquita - Avental amarelo. Banda preta, posta a tiracolo, da direita para a esquerda, tendo pendente, da extremidade inferior, a jóia, que é um trií¢ngulo equilátero de ouro atravessado por uma flecha com a ponta virada para baixo. Luvas amarelas


Grau 22 - Cavaleiro do Real Machado ou Prí­ncipe do Lí­bano

Grau 23: Chefe do Tabernáculo - Faixa escarlate í cintura, com franja de ouro pendente do lado direito. A jóia, pendente da faixa, é um turí­bulo suspenso por roseta preta. Toga branca. Nos rituais modernos, acrescentam-se um avental escarlate, orlado de amarelo e uma fita da mesma cor, ao pescoço

Grau 24: Princí­pe do Tabernáculo - Avental branco debruado de cor de fogo, tendo no meio uma esfera de ouro. Banda da mesma cor com a esfera ao meio, posta a tiracolo, da direita para a esquerda. Facultativamente, usa-se uma toga azul semeada de estrelas de ouro, com gola guarnecida de "raios de garça de oiro de maneira que formem uma espécie de resplendor por detrás da cabeça". Fita azul com estrelas de ouro cingindo a testa. Nos rituais modernos surgem variantes: escarlate em vez de cor de fogo; fita ao pescoço em vez de banda; trií¢ngulo luminoso em vez de esfera; murça azul e manto cor de ouro

Grau 25: Cavaleiro da Serpente de Bronze - Fita vermelha ao pescoço, com a divisa "VIRTUDE E CORAGEM"; pendente da sua extremidade, a jóia, que é uma serpente enroscada numa vara terminando em "T". Nos rituais modernos, acrescenta-se um avental brando, orlado de escarlate.

Grau 26: Prí­ncipe da Mercê (também grafado "Merci" ou "Mercy") - Avental escarlate, no meio do qual está pintado um trií¢ngulo, metade verde e metade branco. Ao pescoço, fita tricolor, vermelha, branca e verde, em faixas paralelas, estando o verde em baixo; dela pende a jóia, que é um trií¢ngulo equilátero de ouro

Grau 27: Grande Comendador do Templo - Avental vermelho forrado e debruado de preto; no meio, tem, a preto, uma cruz teutí´nica rodeada por uma coroa de louro; na abeta, e na mesma cor, uma chave. Ao pescoço, fita branca com risca vermelha perto de cada borda, semeada de cruzes duplas vermelhas; dela pende a jóia, um trií¢ngulo equilátero de ouro. Nos rituais modernos, como aliás na própria descrição escrita de 1841-42, a cruz do avental coloca-se na abeta, juntamente com a chave; há ainda outras variantes, de menos importí¢ncia

Grau 28: Cavaleiro do Sol - Avental de pele parda, debruado de preto. Ao pescoço, fira de moirée branco, tendo na ponta, bordado ou pintado, um olho a ouro; a jóia, pendente da fita, é um trií¢ngulo radiante de ouro, com um olhos no meio. Túnica curta azul celeste. Barrete de seda azul, bordado a ouro, ou fita amarela cingindo a testa. Nos rituais modernos suprime-se o avental.


Grau 29: Grande Escocês de Santo André - Banda de moirée carmesim, posta a tiracolo, da esquerda para a direita; dela pende a jóia alusiva ao grua. Toga vermelha com cinta de seda branca, franjada a ouro. Nos rituais modernos há variantes; acrescenta-se um avental branco orlado de verde com franjas de ouro, permite-se a substituição da banda por uma fita ao pescoço e conhecem-se dois tipos de jóia, consoante se use banda ou fita


Grau 30 - Cavaleiro Kadosh ou Cavaleiro da Águia Branca e Negra


Grau 31 - Inspetor Inquiridor Comendador


Grau 32 - Sublime Cavaleiro do Real Segredo


Grau 33 - Grande Inspetor geral
avatar
J13K$#N
Seguidor da Via

Mensagens : 316
Data de inscrição : 09/12/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Maçonaria por Abbath Doom Occulta

Mensagem  J13K$#N em Ter Nov 04, 2014 10:48 pm

a palavra rito, do latim "ritus" significa um conjunto de gestos, palavras e formalidades, geralmente, tendo um valor de culto, cuja apresentação é ordenada e codificada por uma religião ou tradições de uma comunidade. são regras e cerimônias a serem cumpridas.
A maçonaria tem regras e cerimônias, mas não é religião, seus membros cultivam a liberdade, igualdade, fraternidade, democracia, humanismo, o aperfeiçoamento intelectual e espiritual.
os ritos maçônicos são procedimentos e métodos para organizar e transmitir ensinamentos de aperfeiçoamento do maçom.
avatar
J13K$#N
Seguidor da Via

Mensagens : 316
Data de inscrição : 09/12/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Maçonaria por Abbath Doom Occulta

Mensagem  J13K$#N em Qua Nov 05, 2014 12:03 am

maçonaria significa, construção, também refere-se a construção de uma pessoa melhor, dois tipos de pedreiros(maçons).

rough mason (pedreiro bruto) que trabalhava com a pedra sem dar-lhe forma,

free mason (pedreiro livre) que detinha o segredo de dar forma a pedra bruta.

a pedra bruta refere-se as "arestas" da personalidade q o mason deve aperfeiçoar, tais arestas são os vícios a falta da moral, ou seja todos os defeitos humanos!

avatar
J13K$#N
Seguidor da Via

Mensagens : 316
Data de inscrição : 09/12/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Maçonaria por Abbath Doom Occulta

Mensagem  J13K$#N em Qui Nov 06, 2014 5:26 pm

avatar
J13K$#N
Seguidor da Via

Mensagens : 316
Data de inscrição : 09/12/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Maçonaria por Abbath Doom Occulta

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum