Stregheria

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Stregheria

Mensagem  Dirge em Ter Dez 27, 2011 6:43 pm

- O que é a Stregheria?

Stregheria ou Stregoneria é a Bruxaria Tradicional Italiana. Pode ser definida, a grosso modo, como um sistema de práticas e crenças mágico-religiosas derivadas das antigas tradições pagãs dos romanos, etruscos e outros povos que passaram pela Península Itálica ou povoaram a Itália.

- Por que as pessoas se interessam por ela?

Pelo mais diferentes motivos. Ancestralidade italiana e interesse pelo país são dois motivos muito comuns. Mas casa strega (bruxa) tem uma história para contar sobre isso.

- O que é preciso para ser uma strega?

Pergunta complicada. Acima de tudo, muito estudo, fé e paciência. Você não precisa, necessariamente, pertencer a um grupo ou a uma família tradicional de bruxas para seguir a Stregheria. Mas sem um mestre e um clã, você tem que se esforçar em dobro em suas pesquisas e práticas.

- No que as streghe acreditam?

Em Deuses que são identificados com a natureza. Em espíritos ancestrais que olham por nós. Em espíritos da natureza. Muitas crêem também em reencarnação e na vida após a morte.

- Quais Deuses vocês seguem?

Algumas streghe cultuam Deuses romanos, como Diana e Apolo. Outras, Deuses etruscos. Outras cultuam santos. Depende da strega e do que ela aprendeu e praticou.

- A Stregheria é uma tradição da Wicca?

Não. A Wicca bebeu da Stregheria para ser formada, mas esta não foi muito influenciado pela Wicca como nós a conhecemos.


Hitória da Stregheria



A velha religião na Itália começou com os povos Etruscos que apareceram na Itália por volta de 1.000a.c, por serem povos místicos e possuidores de conhecimento de magia eles influenciaram em muito a religião da Itália.

Os povos Etruscos deixaram tumbas magníficas decoradas, pintadas e ás vezes com jóias armas, utensílios de uso pessoal, todos esses objetos indicavam o nível social da pessoa que ali estava enterrada, acreditavam na vida após a morte e que os deuses se fossem bem celebrados durante suas vidas na terra, poderiam lhes reservar uma boa vida após a morte.

Os deuses ocupavam um lugar importante na vida dos Etruscos, influenciavam seus comportamentos, seus relacionamentos e a idéia principal dos Etruscos era o poder que os deuses podiam emprestar "aos humanos", portanto o poder divino era consciente entre os Etruscos, com seus hábitos, sua religião e seus conhecimentos influenciaram sobre maneira toda a região da Itália.

A vinda do cristianismo na Itália determinou a queda do Paganismo e os cultos mágicos aos deuses foi considerado ilegal .As sacerdotizas de Diana se refugiaram em vilas isoladas... onde hoje é encontrado o templo de Diana em ruínas, portanto a Velha Religião foi conservada nessas áreas rurais e o seu conhecimento existem até hoje na Itália moderna.

A perseguição das bruxas na Itália não foi violenta como foi em outros países pois as bruxas italianas se concentravam em vilas isoladas e eram geralmente muito bem toleradas.

A bruxa italiana chama-se Stregha e o bruxo italiano chama-se Streghone e o coven de bruxos é chamado de Boschetto A Stregheria também tem várias tradições conforme as regiões da Itália, por exemplo na Sicilia, norte da Itália, sul da Itália etc...

Na Stregha é muito importante os laços familiares, os espíritos que protegem e preservam a antiga religião e seus conhecimentos. Ha muitas diferenças entre as bruxas americanas e as bruxas italianas, essas diferenças além de serem históricas são devidas a diferentes tradições e diferentes crenças. Os Estados Unidos fica muito longe da Itália e numa época passada, nos tempos primitivos é lógico que o conhecimento da Itália eram diferentes dos conhecimentos americanos assim como a sua história, por exemplo: uma bruxa Strega nunca ouviu falar sobre karma há tempos atrás, por que o conceito oriental místico só chegou na Itália neste século, portanto não se escutava falar sobre tantra, I'ching, chákra, yoga, estes conceitos não estavam presentes na Itália no ano de 1.300... Como a Stregha italiana têm seus alicerces na velha religião praticada nessa época, genuinamente ela não usa conceitos orientais .

Outro exemplo: Na Itália temos quase 200 dialetos diferentes, o que originam diversas formas de conhecimentos, tradições e clãs.

A magia Stregha usa muitos objetos da natureza, amuletos, talismãs, adivinhações, feitiços, os círculos mágicos também são feitos, é muito comum se encontrar chaves feitas de ouro ou prata, tesouras ferraduras, pérolas, fitas vermelhas e sal.

Já foi dito que é muito importante os laços familiares na bruxaria Stregha e geralmente a iniciação de uma bruxa Stregha começa desde o momento de seu nascimento. as mulheres mais velhas da família gradativamente vão oferecendo conhecimentos para a iniciada e vão notando quais os dons que esta iniciada nasceu com eles.

Isto também se dá com os meninos que florecem mais tarde na magia que as meninas.



Objetos usados na Strega



A concha: a mais antiga ferramenta que se tem conhecimento na Strega é a concha. Elas representam o útero feminino, a deusa, e é muito usadas em invocações. elas podem ser de vários tamanhos mas do tipo da concha da "shell", são colocadas em altares com água do mar com uma pequenina concha no centro da maior para representar o poder da lua, a concha maior simboliza a grande deusa e a menor o pedido a ser feito para a deusa, ela pode ser preenchida com licor Stregha que ao pegar fogo representa a divindade.

A varinha: pode ser feita de árvores frutíferas tomando um galho delas de forma consagrada, cada árvore tem um poder respectivo que imanta a varinha com este poder. Quando formos colher um galho de uma árvore para fazer uma varinha devemos fazer uma reverencia a o espírito dela. A varinha representa a extensão do braço humano e ela pode ser usada desde para debelar uma demanda espiritual até mandar uma mensagem .É o símbolo do elemento ar.

O cálice: O cálice é uma derivação da concha ,também simbolizando o útero sagrado, a mesma associação feita à concha, o cálice está associado á compaixão e ao poder pessoal.

A espada ou athame: também chamada espada da razão , ela é necessária para manter a estabilidade mental. E associada ao elemento fogo onde foi forjada.

O pentagrama: O pentagrama original Stregha eram feitos em rochas ou substancias naturais como madeira, couro. Eles sempre foram usados como símbolos de proteção e para delimitar um espaço sagrado.

Nantabag: A Nantabag é usada na Stregha para manter sempre perto da bruxa seus objetos usados para os rituais e para ela criar sua magia em qualquer lugar e qualquer tempo. Ela é feita de couro ou tecido de algodão e nela temos representações em miniaturas das ferramentas usadas em rituais. Uma típica Nantabag contém:

* Um cálice

* Uma varinha ou a própria semente da árvore

*Um pentagrama cunhado em uma moeda

*Uma pedra representando a terra

*Uma pena representando o ar

*Um incenso

*Duas velas pequenas brancas

*Um pedaço de corda com os nós

*Um pequeno copinho para o licor

*Uma pequena concha, um símbolo da deusa

*Uma porção de sal

*Ulgumas ervas

*Seu objeto de poder pessoal, que pode ser um amuleto, um cristal etc...

A vassoura: A vassoura é usada na Stregha como proteção e para rituais de banimento, a vassoura é um símbolo de como uma bruxa Stregha pode viajar no astral, se projetar para qualquer lugar, entrar em qualquer porta e em qualquer área. Em rituais de banimento ela é usada atravessada na porta de entrada com o sal para remover as energias negativas, quando atravessamos a vassoura na porta de entrada de uma casa estamos impedindo a entrada de qualquer energia.

Tesouras: As tesouras são usadas para quebrar feitiços e para ajudar nas conexões astrais, deve ser colocadas sobre as janelas ou atrás das portas para cortar qualquer maldição.

O caldeirão: É usado nos rituais em celebração e oferendas aos deuses e espíritos.O ponto central do altar da bruxa Stregha é a chama azul gerada pela queima do Stregha, um licor preparado especialmente para os deuses que pode ser colocado no caldeirão ou na concha.

Oratório: O oratório é usado para representar um templo sagrado suportado por duas colunas esse oratório deve ser colocado sobre a terra e de maneira que oferendas possam ser feitas nesse lugar, o oratório é o ponto principal onde os velhos espíritos se comunicam com a Stregha. A imagem da deusa, de um anjo pode estar contido no oratório, um prato com leite, vinho e mel deve ser oferecido aos deuses, velas acesas, jóias, pinturas e os objetos pessoais da bruxa.



Deuses e deusas



Agenoria: deusa etrusca para despertar ações

Anterus: deus da paixão.

Aplu: deus etrusco do tempo.

Astréa: deusa da justiça.

Belchans: deus etrusco do fogo.

Carmem ou Carmina: deusa dos encantamentos e dos feitiços.

Caltha: deus etrusco do sol.

Cloacina: deusa etrusca de tudo que é sujo e obsceno.

Charun: deus etrusco do submundo, sua função é governar a morte e transportar as almas para a vida após a morte.

Comos: deus das bebidas.

Corvus: mensageiro dos deuses.

Cópia: deusa da prosperidade.

Diana: deusa triplice, jovem, mãe e anciã, a deusa das bruxas.

Dianus: deus da fertilidade, deus cornudo das florestas, com sorte de Diana.

Egéria: deusa etrusca das fontes, ela possuia o dom da profecia.

Fana: deusa da terra, das florestas e da fertilidade.

Faunos: o masculino de Fana.

Februus: deus etrusco da purificação iniciação e morte.

Felicitas: deusa etrusca da boa sorte.

Feronia: deusa etrusca que protege a liberdade dos homens, a vida nas florestas e as cabanas aos pés das montanhas.

Fortuna: deusa do destino, da fortuna, da sorte e da fertilidade.

Furina: deusa etrusca da noite e dos ladrões.

Horta: deusa etrusca da agricultura.

Jana: deusa da lua.

Janus: deus etrusco do sol, dos portais, dos limites, associado com jornadas.

Losna: deusa etrusca da lua.

Lupercus: o deus lobo, deus da agricultura.

Nethuns: deus etrusco da água fresca.

Nox: deusa da noite.

Pertunda: deusa do amor sexual e dos prazeres.

Tagni: nome mais velho do deus da bruxaria.

Tana: deusa das estrelas.

Tanus: deus das estrelas, consorte de Tana.

Tuchulcha: deusa etrusca da morte, ela é parte humana, parte pássaro, com cobras nos cabelos e nos braços.

Umbria: deusa das sombras e de tudo que é secreto.

Veive: deusa etrusca da vingança, é retratada com um jovem coroado de louros com arco e flecha nas mãos.

Vesta: deusa do fogo e do coração.

Zirna: deusa etrusca da lua, ela é representada pela meia lua.


Continua...

_________________
''Aquele que é corajoso e paciente o suficiente para exergar, na escuridão, toda a sua vida, será o primeiro a encontrar um raio de Luz.'' Metrô 2033 (livro)

''As respostas para os maiores misterios da humanidade estão dentro de cada ser vivente.''
avatar
Dirge
Moderador

Rato Mensagens : 358
Data de inscrição : 03/11/2011
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Stregheria

Mensagem  Dirge em Ter Dez 27, 2011 7:54 pm

Academia Stregheria de Magia



Com data incerta, sabe-se que a escola foi fundada por quatro experientes bruxos italianos: Iezzi Ifrit, Sofia Shiva, Ianella Ixion e Bianchi Bahamut. Os quatro eram os maiores bruxos do país e resoveram construir juntos uma escola, de modo a passar seus conhecimentos aos jovens bruxos italianos.

Passados vários anos, a escola cresceu e se tornou uma das principais escolas de magia de toda a Europa, tornando-se a casa não apenas de alunos italianos, como também de alguns estrangeiros, cujos países não possuíam uma escola própria.

Passados alguns séculos, por volta de 1940, a escola foi forçada a fechar devido à oq uma grande guerra mundial trouxe, que envolvia diretamente o país. Devido aos constantes bombardeios, os bruxos estrangeiros tinham medo de vir ao país, enquanto os bruxos italianos, preferiam manter seus filhos em casa, sob sua proteção.

Alguns anos após o conflito, a comunidade bruxa italiana resolveu reativar a escola. Na reabertura houve a idéia de homenagear os fundadores da escola, se baseando numa idéia da escola inglesa Hogwarts e, assim, criaram quatro casas na escola: Ifrit, Shiva, Ixion e Bahamut.

A escola recuperou rapidamente sua tradição e hoje ocupa novamente um lugar de destaque entre as escolas européias.


Diretores da Era Moderna


*Nicholas Johnny Galahad

*Yuji Kelly Galahad

*Yuna Ëllenlindälle Galahad

*Marco Desv Hylwer

*Gustav Nuremberg Massa (Interino)

*Signor del Hawk Campelus (Interino)

*Lindsey Sophie Lancaster

*Iris Evans Lioncourt

*Nicholas Johnny Galahad (Interino)

*Ricardo Brian Lioncourt

*Lindsey Sophie Lancaster

*Marcello Lioncourt

*Leonardo Lancaster

*Virginia Galahad



Hinos Oficiais

Versão em portugues:

''Stregheria, Stregheria, Streggy, Stregheria,
Nos ensine algo por favor,
Que sejamos velhos e calvos
Quer moços de pernas raladas,
Temos as cabeças precisadas
De idéias interessantes
Pois estão ocas e cheias de ar,
Moscas mortas e fios de cotão
Nos ensine o que vale a pena
Faça lembrar o que ja esquecemos
Faça o melhor, faremos o resto
Estudaremos até o cérebro se desmanchar.''



Dietro em Italiano:

''Stregheria, Stregheria del nostro cuore,
te ne preghiamo, insegnaci bene
Hgiovani, vecchi, o del Pleistocene,
la nostra testa tu sola riempi
con tante cose interessanti.
Perché ora è vuota e piena di venti,
di mosche morte e idee deliranti.
Insegnaci dunque quel che è richiesto,
dalla memoria cancella l'oblio
fai del tuo meglio, a noi spetta il resto
finché al cervello daremo l'addio.''






Última edição por ygoryy em Qua Dez 28, 2011 8:07 am, editado 1 vez(es)

_________________
''Aquele que é corajoso e paciente o suficiente para exergar, na escuridão, toda a sua vida, será o primeiro a encontrar um raio de Luz.'' Metrô 2033 (livro)

''As respostas para os maiores misterios da humanidade estão dentro de cada ser vivente.''
avatar
Dirge
Moderador

Rato Mensagens : 358
Data de inscrição : 03/11/2011
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Stregheria

Mensagem  Dirge em Ter Dez 27, 2011 9:02 pm

Aradia



Muitas bruxas italianas acreditam na existência histórica de uma mulher chamada Aradia, que provocou um renascimento da Bruxaria italiana. Ela é muitas vezes chamada de Strega Sagrada ou La Bella Peregrina. Nas tradições orais em torno Aradia, residente na Velha Religião da Itália, diz-se que ela viveu e ensinou durante a segunda metade do século 14. O italiano Inquisitor Bernardo Rategno documentou em seu Tractatus de Strigibus (escrito em 1508 AD.) que uma "rápida expansão" da "seita das bruxas" começou 150 anos antes de seu tempo.

Remontando ao longo dos anos, ele pin-apontado o início do julgamento das bruxas, e notou o seu crescimento acentuado ao longo de um período de anos. Após um estudo aprofundado destes registros (mantidos nos arquivos da Inquisição em Como, Itália) Rategno fixa o tempo em algum lugar em meados do século 14. Se Aradia tinha nascido em 1313, como a alegação de lendas, esta certamente teria tido tempo suficiente para ter ensinado e influenciado outros, e para formar grupos que carregavam seus ensinamentos. Em 1890, o autor e folclorista Charles Leland publicou um livro sobre bruxaria italiana intitulado ''Aradia, o Evangelho das Bruxas''.

Leland conta que a lenda da "Bela Peregrina" foi preservada entre os camponeses da Toscana durante gerações. Em parte, esta lenda diz: "Então, tendo obtido um vestido de peregrino, viajou por toda parte, ensinando e pregando a religião dos velhos tempos, a religião de Diana, a Rainha das Fadas e da Lua, a deusa dos pobres e os oprimidos. E a fama de sua sabedoria e beleza, saiu em toda a terra, e as pessoas adoraram ela, chamando-a de La Bella Pellegrina (A Bela Peregrina). " Em 1962, T.C. Lethbridge (ex-diretor de Cambridge University Museu de Arqueologia e Etnologia) publicou um livro chamado ''Witches'' (Bruxas), que se refere a Aradia em vários capítulos.

No Capítulo 2, Lethbridge escreve: "Eu acho que podemos, então, vamos supor que as evidências e os julgamentos de Vangelo Leland e do Dr. Murray são mais ou menos contemporâneos e que é razoável utilizar os dois juntos para formar uma imagem do culto das bruxas em cerca de 1400 AD. ... Aradia foi enviada à Terra para ensinar esta arte a humanidade. Ou seja, ela era, na opinião de seus devotos, um personagem, conhecido na religião hindu como Avatar, que lhes ensinou como aproveitar o poder mágico. Aradia, em algum momento distante, pode ter sido tanto uma pessoa histórica, como Cristo, Krishna ou Buda ... " Também é interessante notar que Ecstascies - Decifrando Sabbath das Bruxas, de Carlo Ginzburg, contém uma passagem que pode ser uma referência histórica para Aradia. Na página 189, ele fala de uma seita pagã conhecida como "Calusari" que, durante a Idade Média (entre os séculos 16 e 17), adoravam uma Imperatriz mítica que eles às vezes chamavam de "Arada" ou "Irodeasa".

Os Calusari também usaram o termo "Amante das Fadas" para ela, assim como os seguidores de Aradia chamavam ela de ''Diana a Rainha das Fadas''. Poderia esta seita ter ainda praticando uma forma de adoração iniciada por Aradia mais de 100 anos antes? Segundo a lenda original de Aradia, ela deixou a Itália em algum momento de sua missão e viajou para fora do país. Sérvia, a terra do Calusari, encontra-se a uma curta distância no Mar Adriático, a partir da Itália Central, e viajar de navio não era incomum naquela época. Quando deixou a Itália Aradia não teria viajado para o oeste, para a França, porque o Papa tinha se estabelecido la na época, e Aradia ainda estava sendo caçada pela Igreja. Teria sido muito perigoso ter ido para o norte da Europa, porque as bruxas eram queimadas ou enforcadas naquela Região (A Itália não começou a queima das bruxas, até depois da época de Aradia). Então, na verdade um êxodo oriental teria sido a única ação lógica que Aradia poderia ter tomado. No mínimo, há uma coincidência notável entre bruxas Aradia e os Calusari de Arada.

No final do século 12, Joachim de Flora (também chamado de Joachim de Fiore), o Abade de Corazzo escreveu um texto profético sobre a Idade da Razão. Seus escritos tiveram uma grande influência sobre o pensamento religioso em todo o restante da Idade Média. Ele passou seus escritos sobre a Santa Sé em 1200 para aprovação. Sobre a Idade da Razão, Joachim escreveu:

"O período do Velho Testamento estava sob a influência direta de Deus Pai. Com o advento de Cristo veio a idade de Deus Filho. O tempo agora estava maduro para o reino de Deus, o Espírito Santo. Uma nova Era estava sendo introduzida, uma culminação; No novo dia o homem não terá que recorrer a fé, porque tudo sera fundado no conhecimento e na razão ".

O ano 1300 foi declarado Ano jubilar por Bonifácio VIII. Foi também o ano em que Dante teve a sua "visão do Inferno". Uma seita conhecida como Guglielmites acreditava que uma certa mulher, chamada Guglielma de Milão era a encarnação do Espírito Santo e desejava estabelecer uma igreja com um papa e os cardeais do sexo feminino. O Milenarismo serviram de base para o progresso social em relação às mulheres. As mulheres têm historicamente tomado papéis muito ativos e criativos em grupos, mesmo em sociedades onde as suas vozes, normalmente, têm sido reprimidas, como a de Guglielma do Milan.

Manfreda Visconti foi eleita pelos Guglielmites para ser sua Papisa. Ela foi queimada na fogueira em 1300. O ano 1300 inaugurou uma nova era de mulheres como papisas, com a missa que Manfreda oficializou na Ste. Maria Maggiore. Guglielma era na realidade, a princesa Blazena Vilemina, filha do rei da Boêmia. Ela nasceu em 1210 e apareceu em Milão por volta de 1260 e teria morrido em 24 de agosto de 1281. Ela apareceu em Milão vestida como uma "mulher comum". Por causa de sua origem nobre, ela atraiu seguidores de ambos da família Visconti, bem como a família Torriani, rivais nobres da época, e era vista como uma "pacificadora" entre as famílias. Há alguma conjectura de que ela pode ter sido influenciada pelas irmãs do "Espírito Livre", um grupo herege muito proeminente da época, que pregava os ensinamentos de Joachim.

Maifreda da Pirovano, primo de Matteo Visconti, foi o chefe da seita Guglielmite. Foi concedido o título de papa a Maifreda, vigário do Espírito Santo sobre a terra, pela seita, e, supostamente, é o retrato dela que é a Sacerdotisa do baralho de Tarot Visconti. Dos cerca de 30 membros da seita, cerca de 7 famílias eram Milanesas, as mulheres superaram os homens, mas 10 dos membros mais fervorosos eram do sexo masculino. A seita tinha uma vida social interessante em que houve igualdade entre os sexos. Não houve ênfase na virgindade na seita, embora um bom número de membros do sexo feminino eram viúvas ou solteiras. O que é interessante, é que os membros da seita atravessaram fronteiras sociais. Havia pessoas muito ricas envolvidas, bem como servos pobres. A Filiação variava de filho do governante, Galeazzo Visconti a Taria, pobre costureira e Bianca, empregada domestica. Pelo fato de qie Guglielma queria que seus devotos permanecessem juntos como uma família, realizaram freqüentes refeições comemorativas em sua honra. Consta que houve tentativas em todo o ano de 1300 para continuar a lembrança de Guglielma, escondendo-a em pinturas e chamando-a por outro nome.

Este tema, de um messias feminino, uma refeição comemorativa e uma vindoura da Razão pode muito bem ter as bases para as lendas em torno Aradia. No mínimo, ele demonstra que tal tema era conhecido na Itália durante o século 14. A pré-existência de um tema que mais tarde apareceram no material de Aradia, dá crédito às lendas Streghe, proporcionando assim algum fundamento histórico para sua aparência lógica na Itália Velha.

Segundo a lenda, Aradia nasceu em 1313 no norte da Itália, na cidade de Volterra. Ela reuniu um pequeno grupo de seguidores e seguiu sobre o campo do ensino e pregação da Velha Religião da Itália. Aradia falou de uma Idade da Razão, que viria, e que substituiria a Idade do Filho. Quando ela partiu, Aradia solicitou que uma refeição fosse realizada em sua honra, e que ela queria ser lembrada pelas gerações futuras...


No séc. XIV, Aradia ensinou que os poderes "tradicionais" de uma Bruxa pertenceriam àqueles que seguissem a Velha Religião. Ela os chamo de Dons, porque ela colocava que são apenas "um adicional" aos poderes de uma verdadeira bruxa, e não a razão pela qual alguém deveria ser tornar uma ou seguir La Vecchia. Estes são os seguintes:

1. Atrair sucesso nos assuntos do coração
2. Abençoar e consagrar
3. Falar com os espíritos
4. Saber das coisas ocultas
5. Chamar espíritos
6. Conhecer a Voz do Vento
7. Ter o conhecimento da transformação
8. Ter o conhecimento da divinação
9. Conhecer os Sinais Secretos
10. Curar males
11. Trazer a beleza
12. Ter influencia sobre as feras selvagens
13. Conhecer os segredos das mãos.

Aradia também ensinou que uma Bruxa deve seguir aos Ritos Sazonais e os
momentos da Lua Cheia para manter os dons.




Ufa, cansei. Agora vou dormir e depois posto um pouco mais sobre o assunto...

_________________
''Aquele que é corajoso e paciente o suficiente para exergar, na escuridão, toda a sua vida, será o primeiro a encontrar um raio de Luz.'' Metrô 2033 (livro)

''As respostas para os maiores misterios da humanidade estão dentro de cada ser vivente.''
avatar
Dirge
Moderador

Rato Mensagens : 358
Data de inscrição : 03/11/2011
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Stregheria

Mensagem  Dirge em Ter Dez 27, 2011 9:14 pm

As Oito Treguendas



Na Itália não se usa a palavra Sabbath para os festivais. A palavra é Treguenda.

Na moderna tradição Aridiana existem oito treguendas: quatro maiores e quatro menores. As maiores são em outubro, fevereiro, maio e agosto (familiar? Smile). Embora haja semelhança com o ano celta, estes são festivais baseados no ano romano.
O ano agrícola era vital para os romanos e depois para os fazendeiros italianos. Os romanos antigos tinham vários festivais pelos meses do ano; logo, é muito fácil encontrar celebrações parecidas com as da Wicca moderna. Os fazendeiros romanos conheciam os equinócios e solstícios e sabiam de seu lugar na roda do ano; isto também pode ser visto pelo culto dos Mistérios Eleusinos da Grécia. Os ritos dos Mistérios Eleusinos Menores eram celebrados na primavera e os Mistérios Maiores, no outono. Estes ritos se baseavam na descida da Deusa no Mundo das Sombras e sua subida na primavera. Para termos uma visão geral entre os antigos festivais italianos de origens etruscas e romanas, vamos olhar aos sabaths com seus partes italianas:



Samhain (31/10) – Festa Dell’Ombra

De acordo com a tradição italiana os mortos voltam ao mundo dos vivos na noite anterior a novembro e ficam nele até a segunda noite do mesmo mês. No século XV, a igreja Católica Apostólica Romana (numa tentativa de acabar com as tradições pagãs) oficialmente usou este dia para celebrar o que chamam de Ognissanti ou Todas as Almas. Na verdade, no século X, esta tradição pagã italiana já preocupava alguns monges cristãos. A Igreja permitiu que estas práticas continuassem porque apresentava uma oportunidade para conversões; os monges passaram a cozinhar fava para os pobres e colocavam nas ruas em honra aos espíritos dos fiéis que partiram. Um sermão acompanhava com comida de graça.



Yule (21/12) – Festa dell’Inverno

Dezembro é marcado pelos festivais romanos para o Deus Sol e para o Deus agrícola Saturno. A conexão intima entre o sol e as plantações que crescem pediam pela invocação dos dois aspectos do Deus.


Imbolg (1/02) – Festa di Lupercus

O mês de fevereiro era sagrado para o Deus romano Februs que era um deus da purificação e da morte. Os ritos de purificação da Lupercália também era celebrado em fevereiro. Lupercus é o Deus novo, a energia do Lobo. Esta ocasião ritual foi depois transformado na festa de São Simão. No século VII, a Igreja romana renomeou este festival de “A Apresentação do Senhor”. A data foi mudada para o dia 2 de fevereiro tentando substituir as celebrações pagãs. Então, os festivais da igreja passaram o coincidir com a data do festival de purificação da Roma pagã: o de Iuno Februata e o ritual da Lupercália, sendo também transformado em festival da Santa Virgem.


Ostara (21/3) – Equinozio della Primavera

Março era marcado pelo festival de Libéria, que também era conhecida como Proserpina (Perséfone). Proserpina era (entre outras coisas) uma deusa da primavera cuja subida do Mundo dos Mortos era marcado por rituais dos Mistérios Eleusinos.


Beltane (30/4- 1/05) – La Giornata di Tana

Maio era marcado pelos festivais da primavera da Florália. Flora era a deusa romana dos jardins e das flores.


Litha (22/6) – La Festa dell’Estate

O festival romano de Vesta ocorria em Junho. Vesta era a deusa do calor e do fogo sagrado. Os Lare (espíritos ancestrais) estavam sob o seu domínio. O festival de meio de verão (Mid_Summer) era ligado às fadas e aos momentos mágicos.


Lammas (31/7- 1/08) – La Festa di Cornucopia

O festival de Ops acontecia em agosto. Ops era a deusa da fertilidade, forças criativas. Ela era a esposa de Saturno, que era o deus romano da agricultura. Na mitologia romana ela era identificada com a deusa Fauna.


Mabon (21/9) – Equinozio di Autunno

Nos ritos Eleusinos da Grécia e de Roma este era o momento no qual a Deusa descia ao Mundo dos Mortos.



Os ritos aridianos modernos são baseados nos mitos da Velha Religião, conhecido como “O Mythos”. Estes mitos empregam os nomes de várias deidades para personificar os caminhos da natureza, e para retratar a vida dos seres humanos, tanto quanto os processos de nascimento, morte e renascimento. Cada treguenda tem uma dramatização do mito do festival. O ano inicia em outubro, marcado pela celebração do Shadowfest – La Festa dell’Ombra. Abaixo vem um resumido de cada treguenda:

Festa dell’Ombra: celebração da Pré-Criação. No mythos, é a união da Deusa e do Deus.

Festa dell’Inverno: o nascimento do Deus Sol, da união da treguenda anterior. Celebração de promessa, luz e esperança.

Festa di Lupercus: celebração da purificação, e o começo da fertilidade. No mythos, o Deus Sol está na puberdade.

Equinozio della Primavera: celebração da subida da Deusa do Mundo das Sombras. Celebração do despertar da fertilidade.

La Gionatta di Tana: no mythos, é a corte da Deusa e do Deus. Celebração da volta da Deusa, da vida e da fertilidade em sua totalidade.

La Festa dell’Estate: no mythos, é o casamento da Deusa e do Deus. Celebração da vida e do crescimento.

La Festa di Cornucópia: celebração da abundância e da colheita. No mythos, o Deus está se preparando para o seu sacrifício para que o mundo continue.

Equinozio di Autunno: celebração da colheita. No mythos, o Deus morre e vai para o Mundo das Sombras. A Deusa então desce para procurar seu amor perdido.



Também é colocado no velho mythos que o Deus se levanta todos os dias e viajava pelo céu do leste ao oeste. Ao faze-lo, ele recolhe as almas daqueles que morreram durante sua partida. Então ele desce ao Mundo das Sombras e as entrega para a Deusa. Ela então as levava para o Reino de Luna (a lua). Quanto mais almas se juntavam , a luz da lua ia aumentando até ela ficar cheia. À medida que estas almas renasciam na terra, a luz diminuía.

Aradia ensinou que a participação nos festivais das Treguendas fazia com que as bruxas entrassem em harmonia com a natureza. Isto as alinhava com os padrões de energia que fluem na terra. Aradia prometeu que os poderes tradicionais da bruxaria poderiam ser observados e desenvolvidos através da comemoração da Roda do Ano.

Além disso, em dezembro os romanos tinham um festival chamado Saturnália. Este rito em particular teve muita influencia em costumes europeus mais recentes, influenciando a Velha Religião e muitas outras. No calendário pré-republicanao, o festival se iniciava em 17/12 e durava vários dias, terminando no Solstício de Inverno. Fogueiras queimavam durante o festival, e a celebração era marcada por orgias que não foram domadas até o séc. XIV. Havia a eleição do “Senhor do Desgoverno” que deveria ser um homem jovem e bonito. Este poderia se dedicar a quaisquer prazeres que desejasse até o fim do festival. Ele era a representação do deus Saturno, ao qual o festival era dedicado.




_________________
''Aquele que é corajoso e paciente o suficiente para exergar, na escuridão, toda a sua vida, será o primeiro a encontrar um raio de Luz.'' Metrô 2033 (livro)

''As respostas para os maiores misterios da humanidade estão dentro de cada ser vivente.''
avatar
Dirge
Moderador

Rato Mensagens : 358
Data de inscrição : 03/11/2011
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Stregheria

Mensagem  Neo em Qua Dez 28, 2011 6:26 am

É um ótimo tópico.
abraços


Última edição por Neo em Qua Dez 28, 2011 9:05 am, editado 1 vez(es)

_________________
''... Porque meras paredes e janelas,
não demoram a conduzir à loucura
um homem que sonha e lê muito..."
Azathoth - H.P. Lovecraft
avatar
Neo
Moderador

Mensagens : 196
Data de inscrição : 10/07/2011
Localização : Rio Grande do Sul

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Stregheria

Mensagem  Dirge em Qua Dez 28, 2011 7:23 am

Neo, a autora de Harry Potter se baseou na bruxaria e ate em um pouco do ocultismo... Depois pesquisa o numero de plagios q acusaram ela. A ASM é uma escola secular e Harry Potter é uma coisa do sec. XXI... Ou seja, ela copiou o brasão da ASM. Talvez os outros brasões tbem tenham sido copiados de sistemas mágickos. Wink

_________________
''Aquele que é corajoso e paciente o suficiente para exergar, na escuridão, toda a sua vida, será o primeiro a encontrar um raio de Luz.'' Metrô 2033 (livro)

''As respostas para os maiores misterios da humanidade estão dentro de cada ser vivente.''
avatar
Dirge
Moderador

Rato Mensagens : 358
Data de inscrição : 03/11/2011
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Stregheria

Mensagem  Neo em Qua Dez 28, 2011 7:57 am

edit.


Última edição por Neo em Qua Dez 28, 2011 9:06 am, editado 1 vez(es)

_________________
''... Porque meras paredes e janelas,
não demoram a conduzir à loucura
um homem que sonha e lê muito..."
Azathoth - H.P. Lovecraft
avatar
Neo
Moderador

Mensagens : 196
Data de inscrição : 10/07/2011
Localização : Rio Grande do Sul

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Stregheria

Mensagem  Dirge em Qua Dez 28, 2011 8:06 am

Os Poderes da Luz e das Trevas

Na tradição aridiana, os aspectos do ano crescente e decrescente são simbolizados pelo Deus Veado e o Deus Lobo, respectivamente. O Deus Lobo é chamado Lupercus e o Deus Veado é Kern. Estes Deuses, diferentemente da tradição wiccana, não se matam, mas são mortos por outros.

Na Velha Religião da Itália existem três aspectos do Deus. Nestes aspectos nos encontramos as conexões com o mundo físico. Os três títulos pelos quais o Deus é conhecido são O Encapuzado, O Astado e O Velho. O Encapuzado é comumente ligado ao Green Man. Ele vive coberto de vegetação. O Astado é uma entidade de chifres de veado e é o Deus das Florestas, do que é selvagem. O Velho é o Ancião.

Os três aspectos do Deus tem a ver com a mudança de uma sociedade de caça para uma sociedade agrícola. O Encapuzado está ligado às plantações e vem logo depois do Deus Veado. Ele é o filho do Deus Veado. O caçador que veio antes da sociedade agrícola e o espírito animal era valorizado antes do espírito das plantas.

Outros aspectos do Deus são simplesmente variações dos aspectos básicos. O aspecto Brincalhão, por exemplo, é ligado aO Encapuzado. Na tradição italiana, O Corvo (um brincalhão renomado) é associado com o Encapuzado em seu papel de Guardião da gruta.


O Veado e o Lobo



O Deus Veado e o Deus Lobo voltam aos dias da antiguidade do Culto das Bruxas. Em uma imagem etrusca, encontrada num vaso do séc. XI ac, mostra a Deusa junto com um veado e com um lobo. Isso não é surpresa, pois a bruxaria italiana tem grande influência da Toscana, onde a civilização etrusca floresceu uma vez. O lobo, o “uivador da noite” era o principal animal de culto da Deusa. Sua importância na religião da velha Europa pode ser encontrada nas várias figuras que mostram a Deusa e o lobo e o veado.

O lobo é sagrado à Deusa da Lua. Sua natureza lunar é indicada pelas crescentes que aparecem junto com suas imagens em artefatos antigos. Mais comum hoje é o retrato da Deusa Diana com seus cães de caça (lobos domesticados), mas as estátuas mais antigas de Diana a mostram com seu veado – temos também imagens da deusa Ártemis no mesmo papel. É em Diana que descobrimos as estações do lobo e do veado.

A ambigüidade do Deus como caçador/ protetor é mostrado, por um lado, pela pele de lobo e armas que Ele carrega e, por outro lado, em sua relação com o veado que fica ao seu lado enquanto Ele descansa. E é neste ícone que vemos a ligação do Deus da Velha Religião com as imagens do veado e do lobo. Ele é mostrado tanto como caçado quanto protetor de todos os animais da floresta, Guardião da Gruta, o Senhor das Árvores, O Velho.


O Senhor do Desgoverno



Os ritos de inverno da Velha Religião, na Itália, são conectados com os antigos rituais romanos da Saturnália, e os “cultistas do lobo” presentes na Lupercália, ainda são aspectos da bruxaria italiana hoje. Estes personagens são visíveis principalmente nos festivais feitos durante o dia e celebrações dos Caminhos Antigos, mas partes deles podem ser vistos nos rituais noturnos que são maioria na tradição aridiana. O Senhor do Desgoverno e o Sacerdote Lobo de Lupercus são responsáveis pelas partes antigas de seus respectivos ritos.

Alguns ritos antigos ainda podem ser vistos no Carnevale, ou Carnaval italiano. Na Idade Média, o Carnaval era marcado por canções obscenas e danças eróticas (coincidência????????) e os participantes usavam máscaras. As celebrações geralmente terminavam em orgias dados os temas eróticos das celebrações. A intenção era mágika em natureza, e era feita para impregnar a terra, onde as sementes esperavam pela estação do crescimento. Mulheres grávidas se juntavam às celebrações para estimular as sementes que cresciam dentro de seus úteros. Também havia a tradição de quem encontrasse uma semente de fava era declarado Rei do Carnaval e poderia escolher qualquer uma para ser sua rainha. O casal então governa durante o tempo do festival (uma semana). No final, uma efígie do rei é queimada para que haja prosperidade para os súditos.


Os Benandanti



Os Benandanti lutavam contra as forma-pensamento negativas e destrutivas e limpavam a consciência coletiva de suas comunidades. Deles era a batalha contra as forças do mal, personificando um exercito na luta entre a Luz e as Trevas. A tradição Benandanti era uma sociedade xamânica trabalhando por trás das forças da Natureza.

_________________
''Aquele que é corajoso e paciente o suficiente para exergar, na escuridão, toda a sua vida, será o primeiro a encontrar um raio de Luz.'' Metrô 2033 (livro)

''As respostas para os maiores misterios da humanidade estão dentro de cada ser vivente.''
avatar
Dirge
Moderador

Rato Mensagens : 358
Data de inscrição : 03/11/2011
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Stregheria

Mensagem  Dirge em Qua Dez 28, 2011 8:09 am

Neo escreveu:compreendo mas...
trouxas eu só ouvi no Harry Potter
e Hogwarts ( em português "verrugas de porco") acredito até pelo nome, que seja algo ficticio, então a Academia Strigheira de Magia, não poderia copiar nada de Hogwarts pois quando foi fundada nem a autora de Harry Potter havia nascido. Esta sim pode ter se baseado numa escola real no caso esta academia para criar a sua escola ficticia.

Erro de ortografia... O certo é ''trouxe'' rsrs. Laughing

_________________
''Aquele que é corajoso e paciente o suficiente para exergar, na escuridão, toda a sua vida, será o primeiro a encontrar um raio de Luz.'' Metrô 2033 (livro)

''As respostas para os maiores misterios da humanidade estão dentro de cada ser vivente.''
avatar
Dirge
Moderador

Rato Mensagens : 358
Data de inscrição : 03/11/2011
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Stregheria

Mensagem  Dirge em Qua Dez 28, 2011 8:13 am

Os Guardiões Stregha



Encontrado na stregheria e comum para várias tradições wiccanas, são o conceito dos Guardiões, que são vistos de forma diferente pelos vários sistemas mágikos. Vamos ver neste capitulo o conceito mais antigo dos Guardiões, datado dos Cultos Estelares. Entre as streghe este seres são chamados de Grigori, particularmente para as bruxas tanárricas, que são conhecidas como “Bruxas das Estrelas”. A Tanarra preservou os antigos Mistérios Estelares, e é através de seus ensinamentos que poderemos ter um entendimento melhor de quem os Guardiões/ Grigori realmente são.

Nos antigos Cultos Estelares da Pérsia haviam quatro estrelas “reais” (conhecidas como “Senhores”) que eram chamados de Guardiões. Cada uma destas estrelas reinava sobre um ponto cardeal. A antiga forma ritual dos Guardiões são feitas com a invocação no momento de fechar o círculo mágiko. Há uma ligação definitiva entre os “poderes” das bruxas e a “visão” dos Guardiões. Assumir a posição do Guardião é invoca-lo dentro de sua Psique.

A estrela Aldebaran, quando marcava o equinócio de Primavera, tinha a posição do Guardião do Leste; Regulus, marcando o solstício de verão, era o Guardião do Sul; Antares, marcando o equinócio de outono, era o Guardião do Oeste; Fomalhaut, marcando o solstício de inverno, era o Guardião do norte.

As torres foram construídas como símbolos dos Guardiões para que fosse feita sua adoração e também para propósito de invocação. Durante o “Rito de Chamada”, estes símbolos eram traçados no ar, usando tochas ou as varinhas e os nomes secretos dos Guardiões eram chamados.

Na bruxaria italiana, estes seres antigos são Guardiões dos Planos Dimensionais, protetores do círculo mágiko e eram testemunhas dos ritos. Cada um dos Grigori tem uma “Torre de Observação” que é um portal marcando cada um dos quadrantes do circulo mágiko. No conhecimento das bruxas italianas as estrelas eram vistas como os campos das legiões dos Grigori. No mythos, eles eram os Guardiões das Quatro Entradas para os Reinos de Áster, que era o local da morada dos deuses na mitologia da stregheria.

Para que se realmente entenda os Grigori, precisamos olhar para seu papel na bruxaria como uma religião. Nosso primeiro encontro com eles é no momento de fechar o circulo para fazermos nossos ritos. Os Guardiões são chamados, ou invocados, para guardar o círculo e testemunhar o ritual.


_________________
''Aquele que é corajoso e paciente o suficiente para exergar, na escuridão, toda a sua vida, será o primeiro a encontrar um raio de Luz.'' Metrô 2033 (livro)

''As respostas para os maiores misterios da humanidade estão dentro de cada ser vivente.''
avatar
Dirge
Moderador

Rato Mensagens : 358
Data de inscrição : 03/11/2011
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Stregheria

Mensagem  Andarilho do Horizonte em Qui Jan 05, 2012 12:31 am

Um ótimo tópico, que tem um bom material de referência.

Embora eu não considere que a Stregheria possa ser aprendida fora de um clã (o máximo que poderá conseguir é usar magia natural cultuando deuses greco-romanos, sem os segredos da magia italiana em si.) considero essas informações bem úteis sobre o assunto.

Agora quando essa escola de Stregheria, bem primeiro vai contra td o que é conhecido como "tradição", principalmente pelo povo italiano que é muito tradicional. Abrir uma escola de magia ensinando suas tradições assim de mão beijada é meio estranho. Além de td os nomes das "casas" referidas são ainda mais suspeitos.

Bahamut seria uma divindade da mesopotamia se não me engano.
Ifrit seria um nome de um rei djiin (não pesquisei a fundo sobre isso)
Shiva é de origem oriental e o próprio texto, no seu iniício descarta as influências orientais
E Ixion eu desconheço a origem
Mas todos esses nomes constam como Summons do jogo Final Fantasy ( sendo os summons mais clássicos, enfim.) ou seja, essa parte do texto pra mim parece bastante furada.

A parte dos guardiões me pareceu apenas uma versão "pagã" do ritual de abertura da torre de vigia. Coisa mais antiga que andar pra frente.

A parte que mais gostei foi o texto sobre a Rainha Bruxa.

Sobre a "roda do ano", apesar do texto estar alegando que essa roda é coisa Stregha, bem na minha visão não passa de uma coisa universal, desde os egípcios até os índios americanos conheciam a roda do ano, o texto busca desassociar a Stregheria da Wicca mas acaba é se enrolando ainda mais ao fazer isso. rs
avatar
Andarilho do Horizonte
Magus

Mensagens : 217
Data de inscrição : 07/12/2011

http://www.reflexosdohorizonte.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Stregheria

Mensagem  Dirge em Dom Jan 08, 2012 7:28 am

Qto a escola eu acho q n é aberta para todos... Qto aos nomes das casas, poderiam ser esses nomes mesmo, talvez para confundir os curiosos e esconder um pouco a cultura dos Stregha. Qto a associação com a Wicca, acho q a Wicca surgiu de fãs da Stregheria q n tiveram acesso a ela.



Aqui vai a bibliografia:

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Nesse ultimo tem coisas q eu n postei aqui.

_________________
''Aquele que é corajoso e paciente o suficiente para exergar, na escuridão, toda a sua vida, será o primeiro a encontrar um raio de Luz.'' Metrô 2033 (livro)

''As respostas para os maiores misterios da humanidade estão dentro de cada ser vivente.''
avatar
Dirge
Moderador

Rato Mensagens : 358
Data de inscrição : 03/11/2011
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Stregheria

Mensagem  Andarilho do Horizonte em Dom Fev 05, 2012 12:01 am

Dirge escreveu:Qto a escola eu acho q n é aberta para todos... Qto aos nomes das casas, poderiam ser esses nomes mesmo, talvez para confundir os curiosos e esconder um pouco a cultura dos Stregha. Qto a associação com a Wicca, acho q a Wicca surgiu de fãs da Stregheria q n tiveram acesso a ela.

Bem, indiferente a escola (acho que ninguém tá afim de provar se ela existe ou não) a questão da Wicca é fácil de saber, só procurar se informar sobre a história do Gardner (que pra mim era mais um ocultista querendo fazer nome e metendo um rótulo pagão no feminismo) e sua religião salada-de-frutas, o tópico de Wicca tá recheado de conteúdo, de qualquer forma, espero que a Stregueria esteja firme e forte e que um dia eu possa encarnar descendente genuíno de italianos pra receber essa magnífica herança.
avatar
Andarilho do Horizonte
Magus

Mensagens : 217
Data de inscrição : 07/12/2011

http://www.reflexosdohorizonte.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Stregheria

Mensagem  Alyss em Dom Fev 05, 2012 9:28 pm

desculpa, eu sou bastante curiosa sobre ocultismo e bruxaria, mas nunca estudei muito sobre isso.
só que algum tempo atrás eu venho sonhando com essa palavra: Stregheria.
desde então venho procurando sobre o assunto.
eu sou descendente de família Italiana, mas nunca soube muita coisa sobre minha família, meus parentes nunca falaram nada e eu também nunca achei nada sobre ela na internet.
eu queria saber que se por um acaso eu tiver sangue de strega, tem alguma coisa com isso... Sei lá, se faz alguma diferença.
eu fiquei bastante curiosa depois daqueles sonhos.

Alyss
Novato
Novato

Mensagens : 1
Data de inscrição : 05/02/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Stregheria

Mensagem  MAGGOBRANCO em Dom Fev 05, 2012 9:55 pm

Irmã!!! Em primeiro lugar, seja bem vinda!!!

O fato de que tu tens(ou possa ter) no teu sangue o dom da bruxaria não traz problemas nenhum pra ti, desde que tu estude e aprimore teus dons sempre com cautela!!!

O fato de tu sonhar com isso pode ser que tu já está preparada para iniciar teus estudos, é como um sinal verde, entende??? No que tu precisar de alguma dica, não hesite em pedir a qualquer um de nós, pois vai ser um prazer te ajudar a desenvolver teu dom!!!

_________________
"As plantas que mais dão flores são as que mais tem os galhos arrancados..."


Maggobranco
avatar
MAGGOBRANCO
Moderador

Dragão Mensagens : 323
Data de inscrição : 31/10/2011
Idade : 77
Localização : Dream's Valley

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Stregheria

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum