Aparatos Mágikos do Sistema Goético

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Aparatos Mágikos do Sistema Goético

Mensagem  J13K$#N em Sab Fev 23, 2013 10:58 am

A serpente espiralada é mostrada somente em um códice particular e os nomes em hebraico, na maioria dos casos, estão escritos em arranjo espiral com o duplo círculo. Deve ser lembrado que o hebraico é sempre escrito da direita para a esquerda, ao invés da esquerda para a direita, como na maioria dos idiomas latinos. As pequenas cruzes de malta estão colocadas para marcar a conclusão de cada conjunto separado de nomes hebreus. Estes nomes são daquelas Deidades, Anjos e Arcanjos associados pelos cabalistas a cada uma das nove primeiras Sephiroth ou Emanações Divinas. Em letras latinas vão da seguinte maneira, começando pela cabeça da serpente:

Arrow X Ehyeh Kether Metatron Chaioth Ha-Qadesh Rashith Ha-Galgalim S.P.M. (para “Sphæra Primum Mobile”, ou “Esfera do Primum Mobile”) X Iah Chokmah Ratziel Auphanim Masloth E.E.F. (para “Sphæra Fixed Star” ou “Esfera das Estrelas Fixas”; ou S.Z., para “Sphæra Zodiaci” ou “Esfera do Zodíaco”) X Iehovah Elohim Binah Tzaphquiel Aralim Shabbathai S. (para “Sphæra”) de Saturno X El Chesed Tzadquiel Chaschmalim Tzedeq S. de Júpiter X Elohim Gibor Geburah Kamael Serafim Madim E. de Marte X Iehovah Eloah Va-Daäth Tiphareth Rafaël Malakim Shemesh S. do Sol X Iehovah Tzabaoth Netzach Haniel Elohim Nogah S. de Vênus X Elohim Tzabaoth Hod Michaël Beni Elohim Kokav S. de Mercúrio X Shaddaï El Chai Iesod Gabriel Querubim Levanah S. da Lua X.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
avatar
J13K$#N
Seguidor da Via

Mensagens : 316
Data de inscrição : 09/12/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aparatos Mágikos do Sistema Goético

Mensagem  J13K$#N em Sab Fev 23, 2013 11:04 am

A Baqueta

A baqueta ( ou cajado), se comparada com os outros instrumentos da ARTE, pode
ser considerada, sem sombra de duvida, o mais importante entre eles. Sendo
essencialmente um símbolo fálico, o bastão representa a presença e o poder do
eu criador e da vontade manifesta do magista. O bastão deve assim ser reto e
poderoso, uma figura digna de sua força divina. (Note "E ele regerá as nações
com a vara de ferro" Apc 2,27).
A baqueta representa por extensão o equilíbrio mágico pois corresponde, na
arvore da vida ao pilar do meio, cuja soma é 463 -- consulte para isso o SEPHER
SEPHIROT de A. Crowley. Portanto ela é o caminho que conduz diretamente do
reino a coroa e vice versa. Ou seja através dela é que a energia descerá do céu
até a terra, pelo fio condutor de cobre que a varinha deveria ter segundo a
tradição, como é exposto em algumas clavículas de salomão; o cobre aqui
representaria o amor que une os dois pólos imantados e conduz a energia, pois é
um metal correspondente a Vênus: a amante. além disto, seria desnecessário
dizer que a baqueta é essencialmente dupla assim, tal como a eletricidade tem
nos circuitos seu veiculo de atuação a baqueta seria então este veiculo que
corresponde ao transmissor da ordem do agente para o objeto
Diversos autores poderão lhe dar descrições detalhadas sobre a confecção deste
artefato, se por exemplo, as orientações de Lévi sobre a aquisição da baqueta
forem seguidas, então “esse instrumento deveria confeccionado de um galho
perfeitamente reto da amendoeira ou aveleira, galho este cortado da árvore sem
entalhamento e sem hesitação de um só golpe com uma faca afiada. Isso deve ser
feito antes do nascer do sol e na estação em que a árvore estiver prestes a
florescer. O galho deverá ser submetido a um meticuloso procedimento de
preparação, sendo despojado de suas folhas e brotos, as ascas removidas e as
extremidades aparadas cuidadosamente e os nós aplainados” Segue-se daí mais
diversas instruções que podem ser lidas em Dogma e Ritual de Alta Magia.
Esta forma de aquisição da baqueta, não é a única, mas guarda algo em comum
com todas as outras. É demorada, complicada e desafiadora. No final de contas, o
mais importante é o exercício e desenvolvimento da vontade submetido a uma
forte prova. Nas palavras de Israel Regardie, em A Árvore da Vida:
"O mago que se incomodou a ponto de se levantar duas ou três vezes á meianoite
por seu bastão, negando-se o repouso e sono, terá pelo próprio fato de ter
assim agido, se beneficiado consideravelmente no que diz respeito à vontade".
Ou como Eliphas Leví completou em Dogma e ritual da Alta magia:
“O camponês que cada manhã se levanta às duas ou três horas e caminha para
longe do conforto de sua cama para colher um ramo da mesma planta antes do
nascer do sol, pode realizar inúmeros prodígios simplesmente portando a plana”.
É por isso que uma baqueta comprada ou ganhada de presente não têm qualquer
valor para o adepto. Sendo conquistado a duras penas a baqueta passa a
representar a palavra, o verbo ativo da vontade direcionada. Só tendo a própria
vontade sob controle tem-se controle sobre as vontades alheias e o magista fará
isso através da sua baqueta.
Não é a baqueta que deve controlar o mago, mas o contrário. Também não é
aconselhável que se perca tempo com brincadeiras inúteis ou com fantasias estilo
ocus pocus porque a baqueta, assim como a vontade do operador deve ser
considerada no mais absoluto respeito uma vez que é um instrumento de criação,
fruto de sua mais forte vontade. Tal como um homem castrado, o magus sem a
baqueta nada pode fazer senão destruir.
Por sua importância e valor a tradição sempre defendeu que a baqueta deveria ser
a medida de todo o templo. Como está escrito: “Foi me dada uma vara como
régua com as palavras: "Eleva-te e mede o templo de Deus, o altar e aqueles que
nele adoram.” [Apc 11,1]. Ela deveria, portanto, ser do tamanho do antebraço, do
palmo ou da pegada do magista e a partir desta medida básica seriam feitos o
altar e dispostos os demais instrumentos ao redor do mesmo.
Mas todos estes detalhes técnicos só estão aqui colocados com o fito único de
expor de maneira sucinta a proporção da importância deste instrumento e o poder
que ele representa dentro do circulo. E assim o magista poderá conhecer a arte da
baqueta com a qual fará as invocações e comandará os espíritos conforme o
maestro rege sua orquestra.
avatar
J13K$#N
Seguidor da Via

Mensagens : 316
Data de inscrição : 09/12/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aparatos Mágikos do Sistema Goético

Mensagem  J13K$#N em Sab Fev 23, 2013 11:06 am

O Anel Mágico de Salomão

Esta é a forma do Anel Mágico, ou preferivelmente Disco, de Salomão, a figura do qual deve ser feita em prata ou ouro. Deve-se pôr contra o rosto do magista para preservá-lo da pestilência dos humos sulfurosos e o hálito chamejante dos espíritos do mal.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
avatar
J13K$#N
Seguidor da Via

Mensagens : 316
Data de inscrição : 09/12/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

MEDALHÃO

Mensagem  BENNY em Dom Jun 30, 2013 7:54 pm

Mandei fazer um cordão com um medalhão cujo desenho é o pentagrama de salomão e um anel como o disco de Salomão, em ouro. Saiu caro, mas gostei muito do resultado, assim que eu estiver com eles em mãos posto aqui uma foto.
avatar
BENNY
Novato
Novato

Rato Mensagens : 3
Data de inscrição : 29/06/2013
Idade : 21
Localização : Rio de Janeiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aparatos Mágikos do Sistema Goético

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum